Por que Moro assinou exoneração de Alvaro Antonio e não as demais?

Tem caroço debaixo do angu da exoneração e do depois “não era bem isso”  com a exoneração do ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antonio, do PSL.

E a ponta do caroço é o fato de que as outras três exonerações de ministros para tomarem posse no mandato de deputado federal tiveram a assinatura solitária de Jair Bolsonaro, a única necessária, aliás.

A de Marcelo teve o privilégio de contar, também, com a de Sérgio Moro, o ex-vigia da moralidade, justo no momento em que o colega era acusado de desviar verbas eleitorais.

Como dizia aquele velho bordão: “nada é fruto do acaso”.

Para quem não acredita, os atos de exoneração dos outros ministros para tomarem posse na Câmara vai abaixo, na primeira página do Diário Oficial da União do dia 1° de fevereiro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

2 respostas

  1. E o Arnesto Araújo? Colocou-se acima do próprio governo, deu de ombros para as Forças Armadas, e negocia sozinho com o John Bolton, que ele julga ser o “coração guerreiro” dos Estados Unidos, a guerra contra a Venezuela. Opinião de militares brasileiros para quê? Preservar nosso continente de invasores estrangeiros para quê? Ele agora está a falar diretamente com aqueles que ele julga serem os verdadeiros e únicos donos dos porcos. Certamente ele só deve satisfações ao seu Sumo Sacerdote, o ególatra copista Olavinho de Carvalho…

    1. Esse bigodinho de século XIX do Bolton, sei não…está mais para “tia” falsa-moralista.

      Quer dizer então que o problema de um país com questões humanitárias se resolve sabotando-o com sanções econômicas?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.