Proposta dos militares arruina discurso por cortes na Previdência

O Estadão destaca hoje o que foi apontado aqui logo no dia da entrega da proposta de mudanças nos critérios de aposentadorias dos militares: não há corte algum para eles, a pífia economia de R$ 1 bi por ano é obtida contabilmente com a refução em 10% do efetivo militar, ao cabo de 10 anos. O que há, na prática, é um aumento da despesa pública com pagamento do pessoal da ativa e a manutenção de reformados e pensionistas.

O corte de 36 mil dos 368 mil que formam o efetivo das Forças Armadas em dez anos é responsável por uma economia de R$ 33,55 bilhões na proposta de reestruturação da carreira militar, que foi encaminhada junto com as mudanças nas regras da Previdência. Sem a redução prometida, a proposta teria custo de R$ 23 bilhões ao longo dos próximos anos.

Já nem é o caso de discutir o conteúdo dos penduricalhos que se quer conceder à guisa de “reestruturação da carreira militar”.

A questão objetiva é que não podem conviver, na mesma tramitação parlamentar benefícios a militares e castigos para os civis e isso, na prática, enfraquece a ambos.

Diante da disposição de não cortar, nem mesmo lentamente, dos militares, a reforma dos civis expõe o flanco mais sensível, o de que a transição seja dura e curta, para provocar economia rápida.

Não se avança para uma posição que não há condições de manter, deveriam saber os generais.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

8 respostas

  1. Os generais são gulosos.
    Mais gulosos ainda do que os srs. deputados.Vem dessa extrema gulodice financeira seu apoio ao mercado, patrocinador de golpes contra governos democráticos populares.

  2. A reforma da Previdência do Cap JB é uma camaradagem com a banca internacional às custas da nossa miséria.

  3. A briga resume-se ao de sempre, quem leva mais do bolo. Na presente peleia temos os rentistas, os milicos e o povão. A regra, também, é a de sempre: quem pode mais, chora menos.
    Então, advinha prá quem vai sobrar a conta?

  4. Se mexer na aposentadoria dos milicos o governo cai. Esse ou qualquer outro. Simples assim.

  5. Enquanto ainda mantivermos o pensamento de achar que aquilo é uma organização a serviço do Brasil,que eles são patriotas só por serem militares ,ou que pelo fato de dizer”que daríam a vida pela pátria ” os converte numa sorte de tutores do resto da sociedade ,andaremos mal.
    Aí ao lado ,na Argentina eles foram colocados no seu justo lugar,funcionários públicos que têm a missão de encabezar a resistência a uma agressão externa,NADA MAIS QUE ISSO,NADA MAIS.
    Parasitas acostumados a sugar o dinheiro público ,sempre com a ameaça de possuir as armas que nós lhe compramos !!!!!absurdo,simplesmente absurdo.
    Nada produzem ,a não ser golpes de Estado.
    Se começarmos a pensar com lógica ,concluiremos que todo funcionário público é o nosso empregado ,milico,juíz,político ,etc e que a NÓS devem explicações e o cumprimento de suas obrigaçãoes ,então quem sabe iniciaremos o trabalho necessário de colocar as coisas em seu devido lugar.
    Até lá… só com ajuda divina (se ela existe)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *