Preparando o voo de galinha de um tucano?

As pesquisas correm soltas pelos bastidores da política.

Ou melhor, correm presas, porque a grande maioria delas está sendo feita para consumo interno ou fracionada por estado – só o Ibope, no final de semana, registrou pesquisas presidenciais  ‘estanques”  nos estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Rio Grande  do Norte e do Sul, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

Procura-se, desesperadamente, algum fato que permita que levantamentos eleitorais registrem alguma ascensão de Geraldo Alckmin, o que, até agora, não tem surgido em pesquisas locais, sobretudo em São Paulo.

Não tenham dúvidas, porém que, sendo minimamente possível, registrarão, nos próximos dias ou logo no início da propaganda eleitoral na televisão, no finalzinho do mês.

Gente que tem acesso a sondagens, do lado da campanha de Lula, ainda acredita que o tucano crescerá, mas admite que, “está tensa” a situação de Alckmin.

Nestes tempos de epidemia de ódio e burrice, acho difícil dissolver  o voto em Bolsonaro e, portanto, é pouco provável que se possa dar mais que um “voo de galinha” ao tucano.

Até porque o “poleiro” de onde poderia partir este voo, São Paulo, anda envergado pelo peso de João Dória, que virou chumbo na pata tucana.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. O mais “PERIGOSO”,disso tudo,é O BÓSTA-ONARO,amealhar os votos DA CANALHA E SEUS SEGUIDORES.Os sempre presentes aos BURGUESES,os PEQUENOS,estão desorientados,mas sempre,na história,ajudam os CANALHETES DE TODOS TEMPOS.

  2. Prudência é sempre bom. Nao se deve subestimar o poder da mídia golpista de viabilizar o tucano Alckmin. Podem está usando Bolsonaro como boi de piranha para poupar Alckmin dos ataques da oposiçao. Fizeram isso com Aécio na reeleiçao da Dilma, quando até perto do pleito não decolava, aparecia sempre atrás da Marina, para no final disparar e quase levar.

    1. Concordo integralmente.

      A diferença entre o Chuchu e o Fascista é que o primeiro é um “capo”, com todas as instituições aos seus pés.

  3. Depois de tudo o que fizeram conseguiram ficar pior que estavam antes da aventura golpista.
    Para manter as aparências de normalidade e porque não há tempo para improvisar com mais nada provavelmente vão sacrificar a mula xucra e ficar com o puro sangue manco. A nona derrota seguida das aves de rapina tucana se avizinha. Devíamos ter atacado o flanco paulista com mais decisão, o último baluarte dos generais de Higienópolis.

  4. Nada é impossível, mas acho muito difícil o PSDB chegar ao segundo turno. Os coxinhas, orgulhosos, estão calados, mas pelo menos no primeiro turno dificilmente votarão no PSDB, porque viram o quanto foram otários tanto ao acreditar que o PSDB era mais ético que os demais partidos, quanto ao acreditar que as políticas neoliberais do partido iriam favorecer as classes médias.
    Quanto ao segundo turno, tudo pode acontecer. Só dará para ter uma ideia ao longo do período das propagandas eleitorais.
    Agora, difícil mesmo será o terceiro turno, quando a elite econômica, com o Supremo com tudo, tentar barrar o candidato eleito, se esse não for submisso aos seus interesses políticos e econômicos.

  5. Pode estar difícil para o crescimento de Alckmin nessa como foi difícil em outras campanhas; e desde quando isso foi um empecilho para os fraudadores?!…É bom ficar muito, mas muito atento para os números e para a conjuntura, que vai modificar intensamente a cada momento e em cada região!…Sem desviar a atenção para Bolsonaro.

  6. Alckmin alimentou a discórdia dentro do ninho tucano paulista, ao bancar a aposta no Prefake Dória. Agora está colhendo os frutos podres que merece.

  7. Não acredito no voto “meganha” a turma do “voce sabe com quem tá falando” é pequena, fustradas e alienada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.