Primeiro, a capitulação; depois, a humilhação

bufa

Vamos ao fatos: o Governo não conseguiu restabelecer minimamente o fluxo de combustíveis e o de cargas no país e o ultimato dos caminhoneiros não será o último que enfrentará.

Esta foi a razão da “generosidade” de anunciar uma redução de 46 centavos, por litro, no preço do óleo diesel: o medo de uma situação caótica no início da semana útil, amanhã e depois.

Não conseguiu, em dois dias, uma ação mais expressiva das Forças Armadas, as ameaças de multas ao motoristas e proprietários de caminhões não foram, ao que parece, levadas a sério, não efetivou o confisco de caminhões, fez acordos que se desmancharam no ar.

A autoridade que ele já não tinha senão em migalhas, reduziu-se a zero e, nesta segunda-feira, os efeitos serão sentidos não apenas na confusão do transporte coletivo, mas na irritação da classe média, que já se expressou hoje na volta dos panelaços, aposentados há dois anos, desde a derrubada de Dilma.

É um governo que jamais venceu, irremediavelmente perdeu e, agora, parte para ser espezinhado e humilhado por todos, incluisive pelos que o instituíram pelo golpe.

É provável que o mercado financeiro reflita, amanhã, mais este capítulo fulminante na decadência, jogando mais lenha na fogueira de tensão em que o país foi lançado.

Não há governo e, não havendo, começa a se formar o vácuo que a política não aceita.

Junho se aproxima, como em 2013.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

28 respostas

  1. Esse caos estava planejado há tempos. A ex-Embaixadora Liliana Ayalde preparou o Golpe. O Embaixador Americano atual é perito em gerenciamento de crise, quer dizer, em gerar crise com Guerra Híbrida. Se não percebermos a quem interessa quebrar o Brasil, não sobrará nada.

    1. O atual embaixador McKinley nasceu na Venezuela e foi criado no Brasil e no México, antes de ir para os Estados Unidos. Foi embaixador no Peru e na Colômbia, o que o faz um ultra-especialista em América Latina. É um historiador, e escreveu uma festejada história colonial de seu país natal, a Venezuela. Por último foi embaixador no Afeganistão, onde deve ter se aperfeiçoado em gerenciamento de crises fortíssimas.

      1. Sinceramente, não houve intervenção militar porque os militares não são tontos de pegar esse abacaxi. Segundo, porque diferentemente de 64 (quando eu era criança), os EUA não estão interessados em nós (tem coisas mais importantes com o que se preocupar como a ascensão da China, a Coréia do Norte e a briga com o Irã) e portanto não vão gastar o seu apoio aqui. Terceiro, o mercado financeiro (dono do golpe e do país) vai fazer o possivel e o impossivel para manter as coisas funcionando, porque ainda não terminou de saquear a nação. Nesse meio tempo, a classe média vai descobrir que não faz parte da elite e nem tem bote salva vidas.

        1. Discordo num ponto, Ana Souza. Os Estados Unidos estão sim interessados no Brasil. Interessados em que o Brasil não se torne um país soberano, capaz de gerenciar suas riquezas, capaz de ser um interlocutor internacional valorizado por China, Russia, India e Africa do Sul (lembra do BRICS?), capaz de fazer parte de uma alternativa internacional ao capital que impõe suas regras (ou desmandos, como achar melhor) mundo afora. Interessa ao grande irmão do norte que se destrua o Brasil. Que ele volte a ser o lacaio histórico que já foi.

  2. Os caminhoneiros estão rindo até agora das ameaças de multas e confiscos de caminhões. Faltou noção de ridículo ao (des)governo. Multas que jamais seriam pagas, de todo modo, e confiscar 2 milhões de caminhões em todo o país? só nos maiores delírios de megalomania de Temer e seus cúmplices. Ainda bem que os comandos militares não levam a sério esse “presidente”.

  3. Mais uma vez, como aconteceu em junho de 2013, a esquerda está perdendo espaço. Temer é rejeitado por mais de 90% da população e a esquerda não soube aproveitar. Agora, é a vez da direita capitalizar a insatisfação popular.

    1. Um problema sério dos governos do PT e das esquerdas em geral, no Brasil, é aproveitar as oportunidades e assumir a narrativa. Não fizeram um jornal popular que competisse com os que andam por ai, não instrumentalizaram a TVBrasil para ser preferida em vez da globo e agora fica difícil competir com a força deste meio de comunicação (e os outros) que constroem a narrativa a seu bel prazer.

  4. Os magnos maltas e as anas amélias do congresso, como fizeram anteriormente, parecem já ensaiar o discurso mentiroso de apoio ao movimento. O que isso quer dizer? nada. mas, já é sinal de que os ratos são os primeiros a perceber quando o navio está pra afundar.

  5. Não ouvi panelaço hoje, todavia, essas panelas fedem – estiveram dois anos guardadas num certo lugar, após o golpe da casa grande.

  6. A foto oficial sempre foi a dele escondido no carro logo depois do golpe. Sem envergadura para o cargo, sempre um mamulengo nas mãos do Legislativo corrupto e do “mercado”. Rastejador e sem prestígio com o patrão Trump& Cia. Vaiado nas Olimpíadas, refém da mediocridade. Morreu sem nunca ter sido. Já vai tarde.

  7. A partir da “greve dos caminhoneiros”, as manifestações de direita, que estavam desaparecidas desde 2016, vão voltar. É uma pena !!! A esquerda está perdendo mais uma vez. Mais de 90% de rejeição a Temer e a esquerda não soube aproveitar.

  8. Repetindo o embuste de 2013, os caminhoneiros dirão “não é só pelos 46 centavos” e continuarão com o desabastecimento! Enquanto os milicos continuarão salivando por uma oportunidade de voltar ao “poder”. Definitivamente, este país está muito vulnerável: um juíz de 1ª instância consegue destruir a maior empresa estatal e um celular, via Whatsupp, paralisa todas as vias de abastecimento do país. Sei que os militares querem voltar ao poder, mas, sinceramente, pra quê? Pra quê investir em submarino nuclear, em caça sueco, se um torpedo de whatapp coloca o país de joelhos??

  9. A diferença é que agora as panelas estão de fato vazias. Por falta de emprego, alimentos, e futuro

  10. A partir da “greve dos caminhoneiros”, as manifestações de direita, que estavam desaparecidas desde 2016, vão voltar. É uma pena !!! A esquerda está perdendo mais uma vez. Mais de 90% de rejeição a Temer e a esquerda não soube aproveitar.

  11. Também não ouvi panelaços.
    De qualquer forma, eles também são responsáveis, pelo desmonte do Brasil.
    Muitos deles, não querem só Temer fora, mas um novo golpe militar. Sem golpe militar,Temer fica.

  12. Existem três pessoas em postos chaves que deveriam ser retirados de suas funções (e presos). O problema é que são mantidos por pessoas/instituições situadas no exterior. 1º) O Min. do Apagão – só sai se os fundos abutres de Nova York autorizarem; 2º) O árbitro de Curitiba – demissão tem que ser homologada pelo fbi/cia/nsa/outras; 3º) MiShell – Esse só com ordens expressas da Casa White. Mas quem vai pedir?

  13. Infelizmente o que me parece é que esta situação está indo na direção dos interesses daqueles que não querem as eleições em novembro, as vivandeiras dos quartéis devem estar excitadas, o país na total desordem é um bom pretexto para os milicos…

  14. Então, conseguiram desentranhar as panelas, não foi?
    Concordo com o pessoal que acha preferível, a esta altura, manter esse cadáver insepulto pelo tempo que resta do mandato usurpado. Assim, crescerá vertiginosamente o desgaste do morto-vivo e de toda a direita, que terão de suportar todo o ônus pela situação infernal a que reduziram o Brasil.
    Além disso, e até pelo curto período que resta até as eleições, não haveria, em termos práticos, o que um governo-tampão pudesse fazer. No máximo, provavelmente, um Botafogo ou uma Carmen Lúcia da vida poderia tentar “mostrar serviço” a seus donos e agravaria ainda mais a situação.
    Quanto ao Brasil resistir até lá, já resistimos a um impeachment fraudulento e a um governo fantoche que assumiu com a fraude, resistimos a anos da farsa criminosa lavajatista e a um judiciário partidário e covarde, a um Congresso majoritariamente corrupto… Resistiremos a mais alguns meses de falta de um comando que os golpistas nunca tiveram.
    Apenas seria conveniente que os postulantes à Presidência tivessem prontas suas equipes para, confirmado o resultado das eleições, negociar-se a antecipação da posse, com o novo Presidente (ouso afirmar: Lula) assumindo imediatamente e poder e iniciando o resgate do Brasil e da dignidade de seu povo.
    Aí, o Palácio do Planalto já deveria estar devidamente depurado da sujeira dos golpistas e o lixo-usurpador e sua quadrilha devidamente recolhidos a um camburão!

  15. Infelizmente, tudo indica que os bravos caminhoneiros não vão conseguir nenhuma vitória estrutural. De acordo com o acordo que conseguiram, os “governantes”, em lugar de ficarem dando uma pancadinha diária nos preços, vão deixar para dar uma porrada gigante dentro de 60 dias.

    A coisa ficou como se fizessem uma barragem de emergência para deixar os coitados tomarem fôlego, mas que se romperá depois de passar 60 dias acumulando água da chuva. Virá uma inundação e os bravos correm o risco de não mais conseguirem condições de refazer seu movimento. Subir os preços é questão de doutrina sagrada para os “governantes”, eles preferem que o país se acabe, mas não pretendem voltar atrás nessa política. E de que adianta aos bravos conseguirem um desconto de poucos centavos que dentro de 60 dias será engolido?

    E depois disso tudo, vão ficar dando fortes pauladas de 30 em 30 dias, até que o litro de óleo chegue a quanto? A mais de dois dólares? Dois dólares e meio? Três dólares? Com a destruição paulatina da Petrobras como empresa estatal, os preços não vão mais ser calculados em reais. Estamos perdendo o instrumento mais forte do progresso da Nação, que está deixando de ser nosso. Esta greve não é de caminhoneiros. É a forma que a Petrobras encontrou para dar seu último grito pedindo socorro aos brasileiros, antes de morrer. Tem gente (gente?) muito longe daqui de Pindorama que está ganhando bilhões com estes preços, vendendo sua gasolina e seu diesel enquanto as refinarias do país reduzem sua produção e fecham. Como é que vão renunciar a isso, se seus capitães do mato daqui poderem controlar a situação?

  16. Estamos entre virar um Egito, um grande Porto Rico ou um Afeganistão… E os estados unidos e demais concorrentes mundiais riem de todos nós.

  17. Com calma nas interpretações nesse primeiro momento. Capitulou? As coisas não retornaram ao que eram antes da trupe de assaldo chegar ao poder, ainda faltam devolverem o resto, volta dos valores dos combustíveis e do gás, devolução dos patrimônios subtraídos do estado brasileiro, e mais as multas por danos morais causados aos cidadãos brasileiros.
    Repararam que os projetos desse governo é o mesmo projeto que os tucanos que tentaram nas eleições anteriores e foram derrotados, ou seja, os brasileiros não queriam eles e por isso votaram nos projetos do PT? Então, o referendo revogatório é moralmente justificavel em qualquer direito dito civilizado.

  18. Se não mudar a politica destinada a entregar a Petrobrás e os recursos minerais do Brasil para os grandes abutres multinacionais, estaremos em guerra civil em curto prazo… ficar enxugando gelo não vai resolver os problemas brasileiros… necessário remover toda a canalha golpista (com STF com tudo) para termos condições de realizar as correções políticas… estamos num regime de exceção, sem obediência à Constituição Federal, sistematicamente violada por aqueles que possuem a obrigação funcional de defendê-la… não possuem as qualificações necessárias para o exercício das funções…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.