Quando a omissão é suicídio

Ontem, cumpri outra vez uma cena que é recorrente, quase obrigatória, em minha vida: ir votar acompanhado de um filho.

Verdade que, ao longo de mais de 30 anos, ao menos, como são três, eles puderam se livrar da tarefa quando a idade já os fazia votar sozinhos.

Sempre considerei, porém, um gesto com alto significado, pois não há o que a eles eu possa deixar de mais importante que o execício de suas vontades, de seus direitos e, também, do seu dever para com o mundo em que viverão por mais tempo que eu.

O “da vez”, mais novo, já preocupado com o semblante sombrio do pai, começou a perguntar sobre o que acontecia com quem não queria votar em ninguém.

“Vota nulo ou branco”, respondi.

“Ah, então o voto dele não conta”, concluiu ele, bem direitinho na regra da Justiça Eleitoral.

“Conta, sim”, devolvi, para sua surpresa: “conta para fazer mais forte o vencedor, porque isso é o resultado da omissão”.

“Mas o que é omissão?”

“Omissão, meu filho, é o mesmo que covardia, que é quando você deixa de fazer o que sabe que é certo porque não quer se meter com aquilo”

“Mas e se não foi comigo?”.

Sei que não é simples explicar que tudo o que há no mundo, como nos ensina o Efeito Borboleta de Edward Lorenz (lembra da cena dos pombos andando aleatoriamente diante de John Nash, no filme Uma mente brilhante?).

Apelei, então, para os poetas, como me ensinou um dia o velho Leonel Brizola e lembrei do clérigo inglês John Donne em suas Meditações, do século 17. “Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída” e dá-se o mesmo entre os seres humanos, porque “a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano”.

Para quem não a conhece, é a reflexão que se encerra com o famoso “não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por você”.

“Sempre é com você, meu filho, quando é com todos”.

Num destes processo maravilhosos de fuga que só as crianças são capazes de desenvolver, minutos depois ele me diz que quer ser cientista e construir “uma máquina do tempo”.

“Será que eu vou conseguir, pai?”

“Pode ser meu filho, mas não adianta nada, porque o tempo será sempre aquele em que você está vivendo”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. Porque nenhuma mídia divulgou o número de votos inválidos (abstenções, branços e nulos)? Até onde pude entender foi muito alto, pois de todos os votos Bolsonaro teve apenas 33%, é mole?

    1. Calma, uma hora eles reportam. Mas foi o que eu esperava também. Eu chutei 25% de abstenção no mínimo. Eu ainda pensei que se daria em 30%, mas não achei que ia ser tanto. Fiquei na margem de erro então. Mas é o povo pagando pela sua não-participação. Não sei o que pode ser também tanta abstenção, eu acho que em maioria são jovens de 16 anos que tem títulos e não foram porque é facultativo. Mas não sei como funciona isso.

      Quero ver mesmo são análises do elevado número de partidos que foram pra Câmara. 30 partidos. E apesar do PSL ter feito segunda bancada, pelo que eu li da guerra de egos entre eles, não acho que seja uma bancada que se sustente, ou que ficará com o coiso em 100% das decisões. O coisa ruim tem que se aliar com MDB, PSDB, DEM, PSB, PP, PTB, etc, um monte de gente fisiológica que não vai dar apoio assim de graça. É uma das coisas que imaginei que aconteceria também. A guerra agora é outra. Ele tem que fazer promessas e trabalhar junto com o PSDB e MDB que ele igualou com o PT. E acho que esse PSDB será o PSDB ressentido por ter perdido tanto pro PSL. E vai aceitar trabalhar com ele mas exigindo bastante, e com uma faca escondida atrás das costas pra acabarem com eles no primeiro momento.

      Fico até na dúvida se Haddad ia conseguir governar com isso, porque eu tenho certeza que o coiso não conseguirá fazer um governo sem dar grandíssimas concessões a todos esses partidos. O coiso não tem base política. Isso tem que ficar claro. O que ele tem é um bando de alucinados e insanos movidos a ódio, mas no primeiro baque que ele levar, abandonam ele da noite pro dia. E ainda há o partido do judiciário que está quebrando a balança. Ele deve fazer concessões também a eles se não quiser todo esse patrimônio irregular dele vir a luz. A Globo também deve entrar na guerra contra ele, pois ele já deixou claro a aliança com a Record. Se ele não apaziguar a Globo, cai também. A situação pra Haddad seria ruim, mas pro coiso tá pior posição porque é altamente despreparado e está cercado de oportunistas que só querem saber de satisfazerem seu ego e forjarem sua fama às custas dele.

      1. Apenas um adendo às suas observações: os tucanos são fisiológicos, quando estão em cima do muro e quando podem levar alguma recompensa. Iniciaram o impeachment e foram se jogando nos braços dos golpistas

    2. Eu estava me perguntando a mesma coisa!!

      E, olha, moro em brasília, onde o boçal nada de braçada. Dei conta de q vejo mto apoio a
      ele mas nada q traduza seu percentual de votos. Nem de perto.

      É meu otimismo tentando espantar o desânimo e perplexidade? Talvez.

      Mas, há umjogo todo pela frente. E se ele teve 33% apenas, há chances…

      Vamos divulgar a verdade sobre o boçal. Vamos pensar em o que vai fazer mais gente ir votar no 2o turno.
      Vamos pensar em o q os boçalistas precisam ouvir para mudar o voto. E vamos (continuar a ir) pro facebook, pro twitter e whatsapp pq a guerra é muito lá.

  2. João Ubaldo Ribeiro, que tinha a formação em ciência política, escreveu a respeito – mais ou menos com essas palavras:

    “O apolítico não existe. Quando alguém se omite, é porque de certa forma se sente confortável com aquela situação, o que não deixa de ser um ato político.”

  3. Filhos são a melhor coisa para que a gente tente entender melhor o que nos cerca. Admirei o que você respondeu ao seu.

    Aqui em casa eu tenho dito pra atenta, crítica e semi-desinteressada prole que eu anularia sim o voto se fosse pra escolher entre Geraldo e Jair, espero que não seja omissão: pra mim são faces diferentes mas equivalentes de um mesmo golpe, não tem como escolher.

    1. Sim. É num caso assim que o voto nulo passa a ser protesto. Deixa de ser “quem cala consente” e se torna “me recuso a participar desta farsa”.

    2. Dois dias depois eu retiro o que disse. Votaria em Geraldo para não eleger Jair, essa questão pra mim ficou mais forte que o golpismo e passou a ser de sobrevivência.

    1. Quando ocorre bullying nas escolas, as crianças e adolescentes que riem ou não fazem nada, só ficam olhando, estão dando força para aquele que pratica o bullying. Já falei pro meu filho não andar com quem pratica bullying. Não é pra dar uma de herói e apanhar junto, mas não vai continuar sendo amigo e achar que tudo bem só porque você não fez a mesma coisa. Está fazendo indiretamente. Tem que se posicionar e não fingir que está tudo bem, que “não é com você”. Uma hora pode ser.

  4. Penso que somente uma Frente Democrática, bem ampla, que acolha TODOS os democratas, pode derrotar o fascista.
    Haddad precisa construir essa Frente imediatamente. Não há tempo a perder.

    Haddad tem que se apresentar como candidato da Frente Democrática para defender a Liberdade e a Democracia.

  5. Temos que fazer um levantamento dos novos componentes do Congresso que, independentemente de seu partido político, não tenham compromisso fechado com o bolsonarismo. Individualmente. Eles poderiam ajudar a compor uma frente parlamentar democrática para barrar projetos reacionários e entreguistas, e para fazer aprovar projetos progressistas. Uma frente forte, disciplinada e unificada, poderia se projetar mais que o fanatismo caótico e barrar as loucuras dos alucinados de extrema direita .

  6. Segundo a BBC, de 147 milhões de eleitores, apenas 107 milhões de votos válidos e em torno de 10 milhões e meio de brancos e nulos. Então sobram 30 milhões de eleitores que não votaram. Boçalnato teve 33,5% dos eleitores e Haddad 21,3%.

  7. Pois é, e milhões se omitiram desse direito ontem, votos que farão falta na luta contra o fascismo com toda certeza

  8. Texto emocionante, Brito. Deverias enviar esse diálogo com teu filho para o Rui Pimenta do PCO. Não sei se o cara seria capaz de entender seu gesto de deslocamento do centro da terra. Isso me leva ao nosso centro terreno: Lula. Meu Deus, traga Lula de volta para nossa terra antes q ela desapareça de nossas vidas. Momento mais terrível q esse ainda não havia conhecido. Passei o dia me perguntando: como isso é possível? 46% de pessoas fascistas no Brasil? Como? O q Lula estará se perguntando? Saudades do nosso guerreiro Lula.????

  9. Em tempos sombrios, e você tão lírico Brito!. Nos faz o amanhecer esperançoso, reforçando a necessidade de continuarmos na luta e combatermos o mal. Por isso precisamos estar unidos, um governo baseado no ódio, afeta a todos nós. #ELENÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.