Queiroz diz que organizava ‘caixinha’, mas “01” não sabia

O Estadão revela hoje trechos do depoimento por escrito do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, o “Filho 01” do presidente, depois de quatro intimações frustradas para que prestasse declarações aos promotores.

E não apareceu a tal “história plausível” de Fabrício Queiroz.

Ele informou que organizava, de fato, uma “caixinha” com os salários dos funcionários do gabinete do agora Senador, mas que este, inocente, não sabia nada sobre isso:

(…) como acreditava estar agindo de forma lícita e dispunha da confiança de Flávio, nunca reputou necessário expor” ao chefe “a arquitetura interna do mecanismo que criou”, diz o depoimento, segundo o jornal.

Com o dinheiro, escreveu, contratava “assistentes de base” e organizava a ampliação da projeção política de Flávio, com a cara de pau de dizer que, desde que entrou no gabinete, preocupado com a votação do filho do amigo Jair, pagava por apoiadores pois não desejava “recorrer aos expedientes espúrios da velha política”.

Pode?

Fabrício tentou explicar a dinheirama movimentada em sua conta pelas suas múltiplas atividades. O homem disse ser um máquina de fazer dinheiro: segurança particular e vendedor de carros, produtos eletrônicos e roupas – “e todo e qualquer produto que pudesse lhe garantir uma renda extra”.

Não, não fique aí pensando bobagem. Era só muamba mesmo.

E com toda esta atividade não explicou porque pegou dinheiro emprestado com Jair Bolsonaro, os tais R$ 40 mil pagos em cheques depoistados na conta de sua mulher Michelle.

Como é carnaval, época de fantasias, o Ministério Público só deve (será?) tomar uma atitude na outra semana.

Espera-se que sem a leniência que vem mostrando com um caso que está para transformar três meses de escândalos sucessivos em um enredo sobre impunidade da direita.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. Nem direita, nem conservadores, nem reacionários, são apenas criminosos comuns a serviço de oligarcas.Aliás, já prestaram seu último e derradeiro serviço evitando a vitória petista na última eleição,. Passam agora à arriscada posição de estorvo para os planos dos oligarcas. Começa aqui o ocaso dos “milicianos” de Rio das Pedras? E os “milicianos” das Araucárias ainda têm fôlego para mais serviços ou é melhor também ir botado já as barbas de molho?

    1. “e melhor já ir botando as barbas de molho” >> não durou a lua de mel. No entanto o homem que motivou o casamento, como inimigo comum das partes, ainda vive e não dá sinais de perder o que sempre teve: apoio natural, legítimo, irrestrito.

  2. “espera-se que sem a leniência”? Quem é o sujeito oculto que espera isso? Eu só vejo a leniência sumir se houver comando de uma força. E o nome dela acaba com “bo” e começa com “glo”.

    1. Xiiii, Mariana, essa não vai mover uma palha enquanto não for aprovada a (de)forma da Previdência.

      1. “xiiiiii” resume bem essa chave de braço curiosa no circo. O mais engraçado – sei lá, eu acho triste mas também rio – é ver os bolsonetes extasiados com a felicidade de “estarem no poder” e planejando 2022. O.o

      2. “xiiiiii” resume bem essa chave de braço curiosa no circo. O mais engraçado – sei lá, eu acho triste mas também rio – é ver os bolsonetes extasiados com a felicidade de “estarem no poder” e planejando 2022. O.o

        1. E bota aspas nesse “estarem no poder”! Mais: pensam que a Globo é “comunista”… ???????????

  3. Esses Bolsonaros pensam que somos otários (talvez até sejamos mesmo, pois eles estão no poder).

    Quer dizer que um assessor monta uma caixinha com dinheiro público pro chefe, Flávio Bolsonaro, aumentar sua equipe de funcionários e o chefe não sabia de nada? Nunca desconfiou quem bancava os novos funcionários?

    Some de novo Queiroz, faz outra operação de emergência e arranja uma desculpa melhor pra maracutaia com recursos públicos.
    #Bolsonaros171

  4. Depoimento por escrito, prerrogativa de Presidente da República. E no papel timbrado do escritório de advocacia. Ele escreveu mais que seu próprio nome? Será que Michelle era assessora externa?

  5. Dez assessores pagavam dois terços do salário, dentro da mais manjada prática de rachadinha do Brasil, e o empregador deles, que usufruía do devotado e fiel produto de seus patrióticos serviços, não sabia que eles estavam em petição de miséria, ganhando apenas dois mil reais quando deveriam ganhar seis? E eles trabalhavam como mouros para o bem de seu empregador, e nunca chegavam a lhe dizer que estavam sendo injustiçados e esbulhados pelo multimilionário Queiroz? E quem mandou o Queiroz ter tanta importância dentro da Alerj, para chegar a engendrar esta extorsão? É mesmo uma comovedora historinha, dessas para o Ministério Público acreditar na hora e libertar estas vítimas do trabalho escravo, pedindo ao juiz que encerre o caso passando um pito no desalmado Queiroz…

  6. Colocaram, ao que parece, milicianos e laranjas no poder. BOL$Onarismo é a pior doença que já atingiu o Brasil!

  7. O MP, com as exceções que confirmam a regra, faz parte do “show do crime”. Basta ver como os boquirrotos “cu-de-frango” e “dartagnan propanolol”, que eram arroz de festa nas redes sociais e no PIG/PPV, andam caladinhos e “bem comportados”, depois que a quadrilha miliciana dos Bozos foi empoderada.

  8. O boneco InFlavio não sabia das negociatas do Queiroz dentro do seu próprio escritório. Mais uma marchinha: conta outra Queiroz!????????????

  9. Essa história envolvendo o clã miliciano e seu laranja Queiroz… não ri não que o caso é sério.
    Mas gargalhar pode!

  10. Peraí. O primeiro – e único – assessor ouvido não disse que dava 4 mil e recebia, em um mês, 4,7 mil? Que era investimento? Como assim, agora, era contribuição para expandir a base parlamentar?

    Uma versão feita unica e exclusivamente pelas mãos de ‘profissionais’ e ainda sai isto? Pqp! Eles não acham que a sociedade foi imbecilizada. Eles tem certeza. Né não?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.