Quem humilhou o Exército foi Bolsonaro

É deprimente ver a situação em que ficou o futuro ex-ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello.

Foi “rifado” publicamente pelo vice-presidente Hamilton Mourão, pela TV, dizendo que ele “logo será substituído”.

Recebeu, de Bolsonaro, um elogio pessoal, mas não pelas suas funções como ministro.

Dos seus colegas militares, ganhou e ganha pressões para que passe à reserva, como se isso fosse “desmilitarizá-lo” e reduzir o desgaste que traz às Forças Armadas.

Convenhamos, é um pagamento amargo que recebe por ter aceito – não e sabe o que prevaleceu nisso, se a ambição ou a disciplina às ordens presidenciais – o papel de interventor-tutor de Nélson Teich, nomeado em lugar de Luiz Mandetta.

Teria ficado, permanecendo ou não no cargo de Secretário Executivo, relativamente anônimo e, quem sabe, até reconhecido por uma eventual capacidade de organização dos serviços de distribuição e luvas, máscaras, respiradores e demais insumos médicos necessários.

Mas foi levado a assumir, de fato, o ministério. Removeu os profissionais especializados, substituindo-os por ex-fardados inexperientes. Obrigou a área médica a subscrever um protocolo esdrúxulo para a cloroquina, remédio que, depois de exibir caixinhas em vídeo, agora Bolsonaro já diz que “não recomenda”.

Depois de tudo, porém, é transformado em um morto-vivo, ao qual querem ainda obrigar que peça transferência à reserva o que, além de tudo, é uma incongruência, pois está ministro não por conta de seus conhecimentos de Saúde Pública, mas por ser um militar.

O general Pazuello – e não deixará, na reserva, de ser general e visto como general – não é o responsável pelo enxovalhamento do Exército com este morticínio, embora tenha aceitado ser instrumento disso.

Responsáveis laterais, também, são os generais – que, na reserva, seguem generais numa nova e elevada categoria, os generais-de-palácio – que não impediram, se necessário à custa dos próprios cargos, que Jair Bolsonaro lançasse mão da imagem das Forças Armadas para resolver uma crise que ele próprio criou com a descontrolada negação do isolamento social e a demagogia da cloroquina.

O Exército Brasileiro, desde Curupaiti, na Guerra do Paraguai, não sofreu uma derrota tão expressiva como desta vez, no que no futuro ficará como a Batalha da Cloroquina. Inglória, inútil, que deixa mortos aos milhares e desonra para seus comandantes.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. NADA MUDARÁ,ENQUANTO NÃO HOUVER UMA VISÃO CLARA,CONCRETA ,——–MASIVA—DO NEFASTO COMPORTAMENTO HISTÓRICO( e com fartas provas) DAS FFAA EM CONTRA DO DESEJO DOS BRASILEIROS DE TERMOS UMA NAÇÃO LIVRE,SOBERANA E JUSTA SOCIALMENTE.
    Este post ,com todo respeito,é um exemplo ,dessa posição conciliadora com seu algoz, da maior parte da população brasileira.
    O enxovalhamento das ffaa é histórico,não é somente desta vez que eles erraram em contra do povo.

  2. Resta saber se o general Mourão pretende promover eleições limpas e democráticas em 2022. Aí talvez o país, depois de perder-se nesse desvio infame, reencontre sua estrada para o futuro brilhante que merece.

  3. Mais do que já são?
    Basta olhar nossa História e ver quão falsa é a denominação de Heróis dada a essa gente onerosa,perdulária e inócua com suas imerecidas medalhinhas de lata.
    Generais,Marechais,Brigadeiros Almirantes são um fardo nas costas do POVO que os sustentam para aterrorizar,perseguir,prender e torturar quem lhes enche as flatulentas panças.
    Coloquemos na balança e veremos a disparidade entre benefícios e malefícios.

    1. Meu filho mais novo, finalmente, se livrou de servir sendo dispensado por “excesso de contingente”. Mas não sem antes sofrer humilhações. Ele e tantos outros jovens na mesma condição. Moro no RS, estamos em pleno inverno e hoje, para agravar, está chovendo.
      Ele foi convocado para se apresentar ontem (dia 15/07). Apresentou-se. Chegando lá disseram que era para ir hoje (16/07). Foi novamente. Ficou 3 horas em pé, numa fila com outros rapazes. Esperando, esperando, esperando. Chegou a vez de ser examinado. Mandam tirar toda a roupa, num galpão juntos aos outros, são “examinados”, expostos às doenças típicas do inverno gaúcho e com o agravante da pandemia. Expostos ao frio e ao risco de contaminação. Centenas de jovens aglomerados! Espirrando, tossindo, tiritando de frio. No final, são obrigados a “jurar a bandeira” com o braço direito esticado parecendo, nas palavras de meu filho, “a saudação nazista”.
      Qual o propósito disso?
      Humilhação?
      A empresa onde trabalho, certa vez, mandou que eu prestasse serviço dentro de uma filial localizada em uma unidade militar da Aeronáutica. Nunca presenciei um ajuntamento de gente tão boçal, estúpida, ignorante e arrogante. Desfilando seus uniformes e medalhas, sem nada para fazer o dia inteiro. Ganhando rios de dinheiro. E ainda me disseram que a Aeronáutica é onde estão os mais inteligentes militares das 3 forças…

  4. DESONRA para os militares, é isso! Mas , até agora nenhum fardado se importou, ou ao menos, fingiu se importar.

  5. Pazuello é aquele general gorila que obrigou um pobre soldado [1] a puxar carroça no lugar de cavalo, no quartel em que era manda-chuva. E agora o burro, incompetente e desgraçado general deve estar se sentindo exatamente como a cavalgadura de Bolsonaro, Mourão, Heleno, Villas-Boas e outros militares delinquentes, ao carregar todo este peso e fama de executor dos comandos do Genocida Capitão Cloroquina.

    Não parece muito sensato dizer que o “general Pazuello – e não deixará, na reserva, de ser general e visto como general – não é o responsável pelo enxovalhamento do Exército com este morticínio, embora tenha aceitado ser instrumento disso.”

    Como assim, se assinou e orientou 210 milhões de brasileiros a tomar cloroquina contra a covid como um charlatão no exercício ilegal da medicina?

    Como assim, se, já incompetente e charlatão por si só, demitiu especialistas da área de saúde para colocar no seu lugar uma gosma de militares totalmente incompetentes para cuidar da saúde pública, e apenas desejosos, avidamente, como delinquentes, de ganhar mais dinheiro sem fazer porra nenhuma para engrossar o soldo já polpudo?

    Como assim, se não deu um pio quando o Genocida, seu chefe, vetou fornecer água e outros produtos essenciais para a saúde dos indígenas, condenando-os à doença e à morte, dessa forma consentindo e se associando ao genocídio dos povos indígenas?

    Muito mais coisas criminosas têm a assinatura deste general e, portanto, ele é, sim, responsável direto pelo morticínio e deverá ser julgado por isso, se não nos tribunais vagabundos do Brasil – que já premiaram, com a anistia e a impunidade, estupradores, torturadores e assassinos da ditadura -, certamente nos tribunais penais internacionais, que não passarão as mãos nas cabeças dos seguidores e adoradores do coronel Ustra.
    – – – – – – – – – – –
    [1] Diário do Centro do Mundo: “Exclusivo: Ministro da Saúde interino obrigou soldado a puxar carroça no lugar de cavalo em quartel”, em https://www.diariodocentrodomundo.com.br/exclusivo-ministro-da-saude-interino-obrigou-soldado-a-puxar-carroca-no-lugar-de-cavalo-em-quartel/

    1. Concordo.
      O que vc diz É TÃO ÓBVIO,que resulta incompreensível ver pessoas poupando-os do que realmente merecem,o nosso eterno desprezo.
      O Brasil ficou tão estranho que até o óbvio,deixou de se-lo

  6. No meio disso tudo o COMANDO DAS FORÇAS ARMADAS deixa vazar que pretende pleitear que os gatos com a defesa (hj em 1,3% do PIB, gastos 80% c/salários, sendo metade destes c/aposentados) salte pra algo como 2% do PIB.
    E o perigo não para diante da vocação golpista dos nossos militares, mas sim do fato dos EUA estarem desafiando e provocando a Venezuela todo dia (inclusive c/recente invasão marítima de suas fronteiras)..
    ..e PIOR AINDA, com a turma do CAXIAS já preparando uma cartinha pro Congresso avisando que quer mais grana face ao RISCO IMINENTE de deterioração política na região.
    Sem duvida é um GOVERNO DA MORTE ..ou alguém duvida disso ?

    1. Não acredito em intenções de guerra de parte destes bostas verde oliva.
      O homen laranja está em campanha ,mas,nunca arriscaría a entrar numa guerra ,onde rusos e chineses tem tantos interesses.
      O petróleo venezuelano para os obesos yanquees,já era.
      Aqui ,os delinquentes usam este fato para tentar desviar a atenção sobre nosso presente.Assim continúa garantido o genocídio diário que estamos sofrendo e o roubo constante praticado por Guedes e Maia ,na surdina.

    2. Não acredito em intenções de guerra de parte destes bostas verde oliva.
      O homen laranja está em campanha ,mas,nunca arriscaría a entrar numa guerra ,onde rusos e chineses tem tantos interesses.
      O petróleo venezuelano para os obesos yanquees,já era.
      Aqui ,os delinquentes usam este fato para tentar desviar a atenção sobre nosso presente.Assim continúa garantido o genocídio diário que estamos sofrendo e o roubo constante praticado por Guedes e Maia ,na surdina.

  7. Há uma simbiose entre bolsonaro, exército, milícias, pm com a finalidade de exterminar a população indígena, quilombola, preta e pobre.
    Se não querem chamar a isso de genocídio, muito que bem, mas que é, é.

  8. Há uma simbiose entre bolsonaro, exército, milícias, pm com a finalidade de exterminar a população indígena, quilombola, preta e pobre.
    Se não querem chamar a isso de genocídio, muito que bem, mas que é, é.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.