Rio, campeão de mortes, reabre estádios para a torcida no auge da pandemia

Não sei se há alguma pesquisa de opinião indicando que os estúpidos seriam ampla maioria e que, portanto, suas decisões sanitárias deveriam privilegiar a estupidez como forma de “democracia”.

A decisão – conjunta – dos os secretários de Saúde do estado, Carlos Alberto Chaves, e da cidade do Rio, Daniel Soranz de permitir a volta das torcidas aos jogos de futebol no Rio de Janeiro não pode ter outra explicação, num estado que lidera o ranking de mortes no Brasil: 156 por 100 mil habitantes!

Ontem, foram 205.

Eles “garantem” que isso se fará com “distanciamento” social, público reduzido e proibição de aglomerações.

O ex-prefeito Marcello Crivella já tinha tentado isso na “maré baixa” da pandemia, e teve de voltar atrás.

Resta a esperança – e não muita – que Eduardo Paes desautorize a medida, a menos que seja para tornar literais os versos de Lamartine Babo: “hei de torcer até morrer, morrer”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *