São Paulo caminha para o lockdown e Doria para o knock-out

O fechamento do comércio a partir das 20 horas e aos sábados, domingo e feriados é o primeiro passo para o inevitável lockdown a que chegará a cidade de São Paulo dentro de alguns dias.

Será a consequência lógica de um agravamento da Covid em São Paulo que os números expressam sem permitir engano: de um mês atrás até hoje, o número de casos cresceu 79% no estado (de 5.606 casos por dia para 10.023 casos por dia, em média) e de mortes subiu 96%, de 111 mortes por dia em média semanal para 218 mortes por dia esta semana. 254, só nas últimas 24 horas.

E é o fato de que é inevitável que a situação caminha inexoravelmente para ficar fora de controle que anima João Doria a aceitar o confronto com a camada de classe média e empresários que já foram protestar contra o fechamento parcial.

Ele sabe que o colapso sanitário em São Paulo tira-lhe mais do que lhe deu a operação bem-sucedida de trazer a vacina Sinovac para o Butantã.

E conta com que Jair Bolsonaro, na sua sesquipedal ignorância vá continuar a fazer dele seu alvo preferencial, o que dissimula o direitismo elitista do governador da cashmère.

Dória está fazendo a coisa certa – e até menos que ela – mas trai-se no oportunismo exagerado que sua vaidade não lhe permite conter.

A capa – certamente gratuita e desinteressada, não é – com sua foto posada, sobraçando caixas e caixas da Coronavac – é das coisas mais torpes que já se viu na torpe coleção de torpezas da revista.

A falta de seriedade de Doria, com seus governados entrando num torvelinho de sofrimento de sofrimento e dor, é destas coisas que a era dos bons moços – ele próprio, Aécio, Moro e outros – nos legou para mostrar que ternos bem cortados não fazem um homem decente.

Dória está fadado a perecer por parecer ser como não é e por não poder, por isso, ser o que é.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *