Se não conhecermos a verdade, a verdade nos sufocará

Por toda a parte, multiplicam-se as avaliações de pesquisadores de que os dados oficiais – já trágicos – de casos de infecção e de morte por Covid-19, no Brasil, estão muito abaixo da realidade.

E um consenso absoluto de que isto ocorre por nossa falta de capacidade em testar laboratorialmente paciente sintomáticos e, até, os que morreram com problemas respiratórios agudos.

Felizmente, hoje isso afinal foi para a manchete de um jornal, O Globo.

Infelizmente, o negacionismo transitou até para as estatísticas sanitárias e delas tirou, em grande parte, a sua principal utilidade: alertar ao dirigentes da Saúde onde e como agir e avisar à população da gravidade do problema e dos sacrifícios para proteger-se, tanto quanto possível, dele.

Sem isso, as estatísticas passam a ser simples inventário da destruição, uma espécie contagem macabra de corpos e uma rendição à fatalidade.

Servem, talvez, como argumento mórbido para vagos “o pior está por vir” ou delírios como o de Jair Bolsonaro para dizer que o vírus “está indo embora”.

Por mim, por meus amigos, por todos os cidadãos do Brasil e do mundo, desejaria que fosse verdade.

Não quero morrer e não quero que morram, é óbvio, muito menos de uma morte horrível, a de um afogamento em seco.

Mas não é verdade, exceto em poucos países asiáticos, que a situação esteja sequer perto de ser revertida.

As mortes por coronavírus na Espanha aumentaram ligeiramente nas últimas 24 horas; no Reino Unido, na semana até 3 de abril, 16.387 pessoas morreram na Inglaterra e no País de Gales, aumento de 5.246 mortes em comparação com a semana anterior e 6.082 a mais que a média de cinco anos.

A “redução” que Nova York comemora nas mortes é de 799 para 671, que é o mesmo que dizer que caíram apenas seis aviões, quando ontem caíram sete.

Estamos agindo como alienados, imprudentes, patéticos patetas em meio a um joguinho de poder, de um “demite-não-demite” Mandetta.

Se o ministro, de fato, tem a disposição de imolar-se para que o Brasil salve todos que puderem ser salvos, está na obrigação de dizer publicamente que os casos são mais, muitos mais do que os que, numa monotonia sinistra, só crescem o pouco que os testes que não existem permitem.

A verdade, sr. Mandetta, o conhecimento da realidade é a munição da arma única que temos, o distanciamento social e, onde a situação é mais grave, o isolamento de todos os que possam permanecer isolados.

É o único antídoto que se conhece para a mentira, inclusive a do eufemismo que se acumplicia à ignorância.

É hora de transformar o versículo tão citado pelas forças das trevas, para que ele advirta que se não conhecermos a verdade, a verdade nos sufocará.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

13 respostas

  1. NÃO TESTAR FOI UMA ESCOLHA (CRIMINOSA!!!!)!

    TRÊS MESES DE AVISO….
    Com a pandemia já batendo a porta…

    https://www.terra.com.br/noticias/brasil/mandetta-critica-orientacao-da-oms-e-diz-que-brasil-testara-apenas-pacientes-com-sintomas,f7ad421308c557bb5f0bc75bb96e65a1ce3zzexs.html

    “Tudo que é comentado na história das epidemias é fazer as testagens até que você tenha transmissão sustentável. E a partir do momento que você tem transmissão sustentável, fazer por sentinela e amostragem”
    Na visão da sumidade mandetta, a testagem é por amostragem… NÃO ENTENDEU (?!) QUE A TESTAGEM É PARA QUEBRAR A CADEIA DE TRANSMISSÃO! CADA ASSINTOMÁTICO INTERCEPTADO E QUARENTENADO PODEM SER DEZENAS/CENTENAS DE VIDAS SALVAS E MENOS LEITOS/UTI’S NO DECORRER DA CADEIA DE TRANSMISSÃO.
    TESTAGEM NÃO SERVE PARA ESTATÍSTICA!

    PARA A SUMIDADE TESTES SÃO GASTOS DESNECESSÁRIOS/ DESPERDÍCIO..
    CADA ASSINTOMÁTICO TIRADO DE CIRCULAÇÃO SÃO DEZENAS/CENTENAS DE LEITOS/UTI’S A MENOS NO DECORRER DA PANDEMIA!
    “A Organização Mundial da Saúde, o senhor presidente da organização, Thedros, ele coloca ‘todo o planeta deve fazer o teste de 100% das pessoas’. Do ponto de vista sanitário é um grande desperdício de recursos preciosos para as nações. Segundo, há maneiras de se fazer percepção de quadro clínico, isolamento domiciliar, isolamento de famílias.”

    A SUMIDADE SEQUER HAVIA ESTUDADO O CASO DE MAIOR SUCESSO DE CONTROLE DA PANDEMIA, A CORÉIA DO SUL… VEIO COM A SEGUINTE PÉROLA DURANTE A COLETIVA…

    “Teremos os números da nossa epidemia e poderemos dizer no final quais foram as diferenças. Uma coisa é ter um país como a Coreia, que tem 4 milhões de habitantes, concentrados num país que eu não posso dizer as dimensões aqui, mas que talvez não seja muito maior do que Sergipe, Alagoas Bahia. Totalmente diferente de um continente sul-americano como é o Brasil. Vamos lutar discutindo com os nossos especialistas”

    ERROU POR DEZ… CORÉIA DO SUL TEM MAIS DE 50 MILHÕES DE HABITANTES..

    ESSE É MOTIVO PELO QUAL TÍNHAMOS MÍSEROS 30 MIL KITS DE TESTES JÁ COM A DOENÇA CORRENDO PELO PAÍS…

    —————————————————————————–

    MANDETTA = BOZOASNO
    Mandetta critica orientação da OMS e diz que Brasil testará apenas pacientes com sintomas
    https://www.terra.com.br/noticias/brasil/mandetta-critica-orientacao-da-oms-e-diz-que-brasil-testara-apenas-pacientes-com-sintomas,f7ad421308c557bb5f0bc75bb96e65a1ce3zzexs.html

    CORONAVÍRUS: MANDETTA PROMETEU 15 MILHÕES DE TESTES, MAS SÓ ENTREGOU 0,5% ATÉ AGORA
    https://theintercept.com/2020/04/02/coronavirus-mandetta-testes/

    Covid-19: Ministério da Saúde não sabe quantos testes foram feitos no país
    https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/04/03/covid-19-ministerio-da-saude-nao-sabe-quantos-testes-foram-feitos-no-pais.htm

    Subnotificação dificulta combate à covid-19 no Brasil
    https://www.dw.com/pt-br/subnotifica%C3%A7%C3%A3o-dificulta-combate-%C3%A0-covid-19-no-brasil/a-52919120

    RESULTADO DE TESTE DE COVID-19, SÓ UM MÊS DEPOIS DO ENTERRO
    https://piaui.folha.uol.com.br/resultado-de-teste-de-covid-19-so-um-mes-depois-do-enterro/

    Cálculo de novas mortes por covid-19 inclui óbitos com 16 dias de atraso..
    https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/04/09/calculo-de-novas-mortes-por-covid-19-inclui-obitos-com-12-dias-de-atraso.htm

    ————————————————————————————————————————————————

    Pessoas sem sintomas são responsáveis por dois terços das infecções de coronavírus
    https://oglobo.globo.com/sociedade/pessoas-sem-sintomas-sao-responsaveis-por-dois-tercos-das-infeccoes-de-coronavirus-24307692

    OMS pede testes em massa e isolamento, e alerta para mortes de crianças por coronavírus
    https://oglobo.globo.com/sociedade/oms-pede-testes-em-massa-isolamento-alerta-para-mortes-de-criancas-por-coronavirus-24307901
    “— Teste, teste, teste. Teste todo caso suspeito. Se for positivo, isole e descubra de quem ele esteve próximo. Não se consegue combater um incêndio com os olhos vendados. Você não consegue parar essa pandemia se não souber quem está infectado”

    ————————
    Inacreditável a mansidão com que esse absurdo da falta de testes é tratado (inclusive entre a esquerda).
    Deveria ser esfregado dia e noite na cara desse sujeito!
    As pessoas aceitam a balela de que não é possível testar 100%, isso é obvio… mas não devemos aceitar a OMISSÃO CRIMINOSA do Ministério da Saúde em não disponibilizar testagem MASSIVA.
    Isso nos coloca na LANTERNA MUNDIAL em testes por milhão…
    Suspeito que ficaremos nessa média de 100 mortos por dia unica e exclusivamente devido ao gargalo no processamento de testes….
    INCOMPETÊNCIA CRIMINOSA!
    https://www.worldometers.info/coronavirus/
    https://uploads.disquscdn.com/images/53a84f7a27869c392f445a53de9fa5c2428fbe766e03950485f6b1088d583e08.png

  2. Ouvi esta sugestão. Sem testes confiáveis, verifiquemos as internações hospitalares e as mortes por insuficiência respiratória, cuja notificação é obrigatória. Divulgo porque considero importante.

  3. Mas se NÃO temos testes suficientes, vamos apresentar dados estatísticos por “convicção”, mesmo que seja de cientistas ?
    Não acredito que o povo mude seu pensamento mesmo que anunciem 10 milhões de infectados. Porque a dúvida sobre o vírus já foi plantada pelo monstro-presidente.
    A impressão é de que o povo brasileiro, após anos de lavagem cerebral entrou num estado delirante, onde a realidade perdeu o valor, importa menos do que a fantasia das fake news.

    1. Desculpe-me, mas a sua pergunta pode beirar à tolice. E a resposta que implicitamente oferece ao seu final é absurda.

      O vírus não carece de pensamentos ou sentimentos alheios para se reproduzir. Ele aí está e continuará a se reproduzir indefinidamente como tal se apresenta hoje, até que o próprio sofra mutações, benéficas ou não aos humanos, ou que seja barrado por ações humanas, graças ao conhecimento científico, com vacinas, por exemplo. Está mais do que provado que nos países em que o número de testes por fração da população é maior, as taxas de letalidade são inversamente proporcionais. Nestes casos, os governos se aliaram ao conhecimento multidisciplinar, incluindo centros de geoestatísticas, para procedimentos de defesa sanitária pública. Bem diferente do que ocorre no Brasil, têm comando e planejamento.

      No nosso caso, de “navegar no escuro”, os exemplos estatísticos mundiais auxiliam com previsões ao menos aqueles que acham que tudo deveria ser diferente no enfrentamento da pandemia, principalmente no que toca ao governo central, que apenas menospreza os fatos candentes, por razões apenas político-ideológicas e, quem sabe, por interesses econômico-financeiros estritamente privados.
      As modelagens estatísticas, em geral, não ocorrem em respeito a “convicções” que seus autores possam ter. Elas são resultado do tratamento de parâmetros extraídos sobre a performance do vírus específico sobre populações e estados com diferentes condições gerais de vida. Assim, medidas de sucesso em países como Coréia do Sul, China, Alemanha são exemplos essenciais de serem considerados, entretanto as condições gerais de nosso país em muito se distancia daquelas dos citados países. E é isto que abnegados “cientistas” brasileiros buscam: dar-se conta do estágio de desenvolvimento e disseminação da pandemia no Brasil e expor os resultados obtidos, na expectativa de a população deles tomem ciência e que os governos implementem as ações pertinentes que lhes cabem.

      Por fim, se não temos os “testes suficientes”, deveríamos tê-los. Enquanto isto não ocorre, os estudiosos, com suas estatísticas aproximam-se cada vez mais sobre as verdades sobre a performance do vírus no Brasil e sobre o escandaloso crime do governo central que desdenha da Ciência e da saúde de seu Povo.

    2. Mas a grande imprensa poderia citar DIARIAMENTE, exemplos de países, nas duas pontas do combate ao coronavírus e mostrar, por exemplo, a Bélgica dos 2 a 0 de Lukaka que tem um IDH 0,919 e PIB percapta nominal de 47.000 dólares com uma população de 11,5 milhões tem 4000 mortos por COVID 19. Se parelhar essas informações com o Brasil que tem um IDH 0,761 e um PIB percapita nominal de 10.310 dólares, nossa previsão é de mais de 73.000 mortos por COVID 19.
      Na outra ponta não vou nem parelhar a China ou Cuba, ambos com 2 mortes por milhão, vou parelhar com Portugal de Cristiano Ronaldo, que disponibilizou toda sua rede de hotéis para serem transformados em hospitais de campanha contra a COVID 19, que já se prepara para uma retomada sob vigilância, que tem 30 mortes por 1 milhão de habitantes. Nesse caso, teríamos no Brasil de Juninho Pernambucano, apenas 6.200 mortes por COVID 19. Para não cansar o telespectador, leitor, ouvintes, internautas,… poderia citar alternadamente exemplos, de um lado a Itália, França, Inglaterra, Espanha, USA e de outro a China, Cuba, Russia, Argentina.
      Se assim fosse desde o início, teríamos batido panelas o dia inteiro já na primeira semana, teríamos vencido o verme, mandado toda essa corja pro lixo, e apenas lutando contra o vírus, sabendo que era uma luta muito mais fácil de ser vencida. Agora está muito difícil, temos que lutar contra dois inimigos igualmente mortais: os vermes e os vírus.

    3. A luta pela verdade estatística e a luta pela aquisição imediata de milhões de testes e sua aplicação em todos os suspeitos e seus contatos, é a principal luta que se deve travar neste momento.

  4. Para se ter uma ideia, a Venezuela, que é a fixação dos bolsominions, fez cerca de 3x mais testes que o Brazil (180 mil vs 60 mil – fonte é o site wordometers.info/coronavirus). Na realidade, o que se poderia esperar de um governo chefiado por um milicano abjeto e rodeado por mentirosos patológicos? Já esperava isso desde os primórdios dessa pandemia. Temos um ministro da saúde, outro aliás, politiqueiro que prometeu milhões de teste e não entregou 100 mil. Além do povo, o Brazil está na UTI e acredito que o estado, infelizmente, seja irreversível.

    *corrigindo: ja são 203 mil testes na Venezuela, contra 62 mil no Brazil.

  5. Apertem os cintos e refaçam as contas.
    O que é mais realista pro BRASIL, 9, 10 ou 15 vezes mais casos de COVID ?
    EM SP, em apenas TRÊS SEMANAS, o número de internações por Síndrome Respiratória é IGUAL ao registrado em TODO o ano de 2019, cerca de 9,7 mil casos.
    – Enquanto o BRASIL alcança 1,4 mil mortes relatadas pelo COVID (7:00 em 14/04), só em SP temos cerca de 2,8 mil mortes ocorridas por Síndrome Respiratória a serem esclarecidos os motivos.
    – SP tem mais de 30 mil exames suspeitos a espera de laudo.
    – Os cartórios dão conta que no RJ e em SP os números registrados de morte pelo COVID são maiores do que os dados oficiais.
    Pronto, agora vamos a uma conta simples. Por todas as evidencias, inclusive comprovadas por certidões de óbito, não é difícil concluirmos que as mortes pelo Brasil já somam cerca de 4 mil (pra mais)
    Se tomarmos o número CONSERVADOR de 4 mil mortes e adotarmos o padrão internacional de 0,75%-1,00% de letalidade sobre o total exposto, chegamos a conclusão que o BRASIL teVE entre 400-533 mil contaminados ..POR ENQUANTO !!!
    em tempo – os dados oficiais, por falta de exames e de registros fidedignos, agora, 8:00, dão conta de 23.7 mil casos graves no BRASIL, qual seja, pelo exposto, os números devem estar cerca de 20 vezes maior do que os calculados por dvs veículos.
    ..com a palavra o Mandetta, ministro falante da saúde que sequer tem os dados na ponta da caneta.

  6. Obviamente os resultados do diferentes países não são necessáriamente comparáveis em paralelo. Há variáveis demográficas, culturais, urbanísticas, sócio-econômicas e políticas. Mas quando se observa os resultados de China, Alemanha, Noruega, Dinamarca, Áustria, Argentina, Nova Zelândia, Coréia do Sul e Japão, têm-se uma ampla gama de combinações destas variáveis. Mas todos eles enfrentando o problema com sucesso no que tange a preservação da vida. Todos eles com um número de mortes baixo, comparado com a população. Mesmo a nossa vizinha Argentina, em que a nova administração de Alberto Fernandez nem teve tempo de tomar pulso do país e herdou um pais falido está tendo um desempenho exemplar.
    Entre todos os países que citei existe uma variável que é comum a todos: a decisão política de salvar vidas em primeiro lugar, a despeito dos custos para a economia.
    Quando isto passar, verifiquem quais países recuperarão sua economia de forma mais robusta após a pandemia e comparem com seu desempenho no enfrentamento desta. Se a história serve de conselheira, é previsível que sejam aqueles que priorizaram a vida no enfrentamento da Covid-19.
    No Brasil os parasitas liberais neo-escravagistas (nacionais e estrangeiros) que patrocinaram o golpe continuado e assaltaram o poder privilegiam apenas seus interessas financeiros (nem é a economia que privilegiam) e pouco importam-se se as pessoas morrem às centenas de milhares.
    Rubem novaes (presidente do BB) proclamou sem rodeios que todos deveriam expor-se e em pouco tempo a pandemia estaria superada pois os sobreviventes estariam imunizados e a economia não necessitaria parar.
    É exatamente isso que pensam todos eles, a começar por guedes e bob fields III que tudo fazem para boicotar qualquer medida de socorro àqueles que mais necessitam, com o intuito claro de forçar a população a voltar à atividade normal. Se com isso morrerão 1,7-2,0 milhões de pessoas ao invés de 30-40 mil é apenas um detalhe de contabilidade de mortos. São genocidas.
    Quanto à maquiagem de dados esta é uma característica dos governos liberais impostos mundo a fora. O mais grotesco é o caso do Equador, onde o governo do traidor Lenin Moreno reporta apenas 355 mortos, quando apenas no final de semana passada só na cidade de Guayaquil foram retirados quase 800 mortos de dentro de suas casas

    1. Tem mais uma coisa: essa teoria de que é bom se infectar logo para ganhar imunidade..

      Não existem dados suficientes para garantir que isso aconteça.
      Existem centenas de casos ainda não entendidos que pessoas que se reinfectaram.

      Pode ser, sim que a Covid se comporte como o Sarampo, que só se pega uma vez.
      Mas pode ser que seja como a Dengue, que se pegar de novo, se torna muito pior.
      Pode ser como a Herpes, que nunca se cura totalmente, o vírus fica escondido nos neurônios esperando uma época de baixa imunidade para se manifestar de novo.
      Pode ser como a gripe comum, que a imunidade dura um ano ou menos.

      Além disso, exames mostram manchas escuras nos pulmões dos curados, que reduzem até 30% da capacidade pulmonar. Ainda não se sabe se essa sequela é permanente ou se é reversível.

      Ou seja, qualquer afirmação sobre o que acontece com os curados, se ganham imunidade ou não, é puro wishful thinking irresponsável.

    2. Infelizmente as suas conclusões são verdadeiras, antes não fossem. Este país rendeu-se completamente ao neo-liberalismo, e o povo, com classe média/ média alta incluída, não se deu, nem dá conta do caminho que está seguindo. O Brasil como o conhecíamos morreu, um novo Brasil, irá nascer, mas ainda não sabemos se melhor ou pior, irá depender do tamanho da tragédia, quanto maior ela for, maior será a mudança. Penso que se ela for enorme, poderemos vir a ter um país, onde o ressentimento entre o povo e a classe dominante se fará muito mais presente, pois os milhares de mortos virão daqueles. Espero que este horror, sirva no mínimo, para mostrar para os brasileiros (o povo), que eles têm uma palavra a dizer, e que sem eles, o Brasil NÂO existe, e que será preciso contar com eles. Desejo toda a sorte do mundo ao Brasil, mas a sorte é como a Megasena, dificilmente sai a quem realmente precisa, e com esta gente no “governo”, é como querer ganhar sem ter jogado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *