Sem rodar a manivela, ficamos na escuridão

A reportagem na Folha, mostrando que nunca antes na história deste país uma crise econômica levou tanto tempo sem dar sinais de reversão nos investimentos e, portanto, na retomada de algum crescimento – ainda que quase sempre abaixo de nossas potencialidades – lembra a experiência de quem já teve de ligar um destes antigos geradores a óleo diesel, comumente usados como geradores de energia elétrica no interior do Brasil, até décadas atrás.

Para quem não conhece um deles, conto. Há neles um pesado disco de ferro fundido, no qual existe uma manivela. Chama-se volante, mas não serve para dirigir nada, até porque o motor é estacionário e não vai a lugar algum, mas é o que o “desinfeliz” a quem cabe ligá-lo deve fazer girar, com força e teimosia, para que a máquina “pegue”, resfolegando e insegura, até que se estabilize naquele tu-tu-tu que atravessa a noite , agora iluminada.

Já se vê, portanto, que neste texto não se trata de análises econômicas destas de doutores empolados, mas da bruta prática de por a funcionar uma máquina sem a qual estamos fadados à escuridão do desemprego, da marginalização e da destruição de todas ou quase todas as nossas estruturas produtivas e sociais.

Trata da única coisa que fez a economia brasileira crescer nos séculos 20 e 21: o Estado empregar a sua força em fazer rodar a manivela e por a máquina em marcha.

Os neoliberais – e faz tempo – acham que ela vai funcionar sem isso, que basta aquecer o clima pelas trocas financeiras de natureza especulativa e injetar “combustível” na máquina através das privatizações.

Não vai.

A injeção de combustível só se pode dar pela via do emprego, trabalho, renda e consumo, numa economia que tem um quarto de suas estruturas produtivas paradas, prontas a funcionar com investimento quase zero e que tem uma situação admirável, pelo seu potencial de exportação de primários, de casar esta atividade com a expansão de seu parque fabril e de sua infraestrutura.

O que estamos fazendo, porém, é destruir o velho motor, leiloando suas peças e retirando a manivela que pode nos tirar da escuridão.

Estamos trocando a crise cíclica do capitalismo pelo processo permanente de aviltamento das colônias.

O que acontece no Brasil não é um simples crise econômica, é nossa renúncia a sermos um país.

Rodar a manivela, agora, é um pecado imperdoável.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

23 respostas

  1. Acho que esse governo de incompetentes ridículos e sem noção achou que transformar a mão de obra brasileira em escravos do capitalismo e passar para as mãos da iniciativa privada a prestação de todos os serviços que seriam de responsabilidade do Estado (saúde, educação, aposentadoria etc) faria com que investidores de todas as partes do mundo corressem para cá com planos de faturar bilhões.
    Tá na cara que cedo ou tarde vai eclodir uma convulsão social incontrolável em consequência dos absurdos que estão fazendo.
    Vê lá se algum empresário ou investidor é louco para encarar esse risco.

    1. Tenho a impressão de que o Brito vai acertar a previsão de o governo só durar até a provação da Previdência. Só falta o Senado, já em setembro. Depois, não há interesse dos bancos em reforma tributária.

      1. Mas depois da Reforma da Previdência, vai ter a reforma tributária, que vai ser o novo “Sem isso não é possível voltar a crescer”.
        E depois, as outras duas jebas que ainda não desistiram de empurrar bunda adentro do brasileiro: o sistema de previdência via capitalização e a carteira de trabalho verde e amarela.
        Ou seja, infelizmente, ainda tem esterco suficiente pra manter o inominável no poder por pelo menos mais dois anos.

        1. A 2a reforma trabalhista já está ocorrendo na chamada MP da liberdade econômica. Não precisa formalizar uma ideia de carteira verde e amarela. Aliás seria até pior concretizar um símbolo da ausência de direitos. E a capitalização parece ter sido o bode na sala pra retirada de outros direitos previdenciários. Já tivemos a PEC do Teto, a Trabalhista e agora a da Previdência. Era o cardápio principal do Golpe. O que prometia fazer o Brasil crescer. Faltaria privatizar tudo. Não sei se haverá tempo. O Guedes tem pressa.

  2. Neste sábado uma carreata de motos na Vieira Souto vinda do Recreio. Umas 500 motos muitas delas com a bandeira do Brasil , assim logo percebi que era uma manifestação política mas disfarçada porque apoiando essa carreta estavam batedores do exército e ao final da carreata ou passeio como me disse um dos batedores 2 ambulâncias do exército ( importante se alguém tivesse que utiliza-las morreria de tão vagabundad). Agora desde quando faz parte das funções do exército acompanhar passeios de motocicletas?? A que nível de estupidez chegou a porcaria do exército!!!!!? Que bom saber da redução do orçamento e que eles terão reduzidas suas tropas. Que que morram todos!!!!

    1. Provavelmente eram “motociclistas”, como os donos de Harley Davidson, Triumph, BMW e outras caríssimas. Esses têm a proteção da polícia. Os motoqueiros entregadores de encomendas e outros trabalhadores não podem contar com isso.

    2. Sairia muito mais barato se extinguíssemos esse antro de podridão e corrupção e contratassemos mercenários quando e se fosse necessário: certamente seriam muito mais confiáveis enquanto pudéssemos pagar.
      Hoje, ao contrário, pagamos uma nota preta pra esses parasitas fazerem o que? Agredirem o povo e participarem de campanhas de vacinação!
      Parasitas? Não. Parasitas quando morrem nos deixam em paz. Esses aí, quando morrem, exigem ainda que sustentemos os seus filhotes.

      1. Mas não era o nome e sim motos civis escoltados por 4 ou 5 batedores do exército. Não nada que justifique isso e nem mesmo passeio do bpe!!!?!? Que e isso agora o exército faz passeio turístico?!?! Esta sobrando dinheiro?!?!

    3. O orçamento será reduzido, de início cerca de 25.000 recrutas serão dispensados, os graduados generais trabalharão meio-expediente mas o salário será o mesmo. Legal, não?

  3. Somente o Estado tem capacidade de meter a mão na manivela e forçar o início da força geradora. A economia privada é sempre distante e só quer aparecer na foto quando tudo estiver encaixado e o serviço pesado já tiver sido feito. Temos possibilidade de investir em construções habitacionais de baixo custo para estimular tanto a utilização de mão de obra pouco qualificada como a geração de impostos oriundos dos insumos habitacionais. O Estado pode estabelecer políticas de renda mais adequadas para fazer o consumo melhorar o emprego, o comércio e a indústria. Além disso o Estado pode trabalhar setores fundamentais com políticas tributárias justas que realmente provoquem o crescimento.

  4. A lava jato destruiu a economia e mostrou que no Brasil não existe segurança jurídica para quem pretenda investir seu capital na produção. Destruíram as grandes empresas de engenharia pesada, construção civil, equipamentos para petróleo e gás, estaleiros navais e tudo foi feito com apoio dos meios de comunicação. A ausência de civilidade e patriotismo, por parte da população, aliada ao desastre econômico e político, provocados pela lava jato/ Rede Globo, nos condena ao fracasso como nação.

  5. A receita, desde os anos 30 do século xx, é o estado promovendo o capitalismo. Sem isso, não há capitalismo possível.

  6. Penso que esse governo tem interesse em deixar a coisa cada vez pior. Não vai tomar atitude. Para eles quanto pior melhor. Daí a bandidagem se instala. Pior que Bolsonaro são os que o bancam: mídia, banqueiros, judiciário, maioria do Congresso é por aí vai. De B só espero merda, nada mais.

  7. São todos agora escravos das mentiras que contaram. “É tudo culpa do PT” ainda é o único grito de guerra dos golpistas. Incapazes de fazer seu candidato natural vencer uma eleição presidencial, isto é, algum e qualquer tucano, a turma da bufunfa e seus sócios na Grande Imprensa e nas Instituições Políticas e Judiciais optaram pela política de terra devastada, de cerco, mesmo que as custa de destruir o país econômica, política e institucionalmente. Primeiro começaram a prender os principais líderes políticos do PT, depois impediram uma presidenta eleita de governar e por fim prenderam Lula e impediram sua candidatura. Mesmo assim foram incapazes de eleger um “príncipe” fabricado, no lugar fabricaram e optaram por um brucutu mesmo. A mentira pode servir para destruir os adversários ou inimigos políticos, mas não para governar um país. Depois de induzir o paciente ao coma com um diagnóstico equivocado propõe um tratamento de choque que debilita e enfraquece ainda mais o corpo econômico e depois de tudo isso acreditam que basta um bom banho de rosas, boas notícias e pensamento positivo para devolver a “confiança” ao pobre corpo. São geniais mesmo esses meninos e meninas das Farias Limas da vida.

  8. Adorei o texto. Concordo. Girar a manivela se tornou um problema moral. A moda agora é investir no Tesouro Direto, nos Pontos da Bolsa e dar confiança ao Guedes.

    Querem ser capitalistas sem serem capitalistas. Capitalismo não é um comportamento moral, mas um fim. Ser capitalista é fazer o seu trabalho valer mais que o trabalho do seu vizinho. Capitalismo é uma ferramenta para dominar mercados. Não importa o quão liberal e moralista vc seja, isso não te torna um capitalista.

  9. Pergunta: quantas pessoas são necessárias para trocar uma lâmpada queimada, segundo os neoliberais?

    Resposta: nenhuma, pois a lâmpada se trocará sozinha de acordo com o mercado.

  10. Com tanto tempo sem dar sinais de recuperação do crescimento, é sinal de alta eficiência, significa um sucesso absoluto da competência do Partido de Destruição Nacional. Todos os seus integrantes deveriam receber medalhas de honra e prêmios nos Estados Unidos, nosso amigo mui amigo.

  11. Lembram da Construção da Usina de Belo Monte?? Toda semana tinha uma greve para protestar por alguma coisa, Teve aquela dos bagres, teve padre fazendo greve de fome. Protestos por salários (trabalhar menos e ganhar mais). Aquilo ali tudo era Segurado, se paravam uns dois dias o Governo tinha que pagar pela malandragem que provocavam e fomos por ai. Agora elegeram o Bostonaro e por ai vamos vendo a mentalidade dos Brasileiros.

  12. Se tivéssemos um Governo sério e que fosse apoiado pela população e demonstrasse patriotismo. creio que a volta da CPMF seria uma boa solução. Mas, isto não interessa a turma da “bufunfa”, pois ficariam com a bunda de fora.
    Mas, isto seria criar um novo imposto (ou seja a volta do anterior), Mas, isto teria de ter o apoio da população em um Governo sério e honesto e não com esta anta que está ai. Mas, já que não tem jeito, então será pelas armas e seja o que Deus quiser.
    A tomada da Bastilha foi assim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.