Só agora, general Mourão?

50 dias depois de encontradas as primeiras borras de óleo no litoral nordestino, o general Hamílton Mourão, presidente em exercício da república, anuncia ao Estadão que o Exército Brasileiro vai colocar “tropas da 10º Brigada de Infantaria Motorizada, sediada em Recife” à disposição das operações de limpeza das praias do Nordeste.

Sério, general?

Agora que os voluntários civis, na garra no muque e no improviso, já recolheram quase todo o óleo que já chegou às praias?

Agora que viu-se que isso angaria simpatia – merecida – na mídia?

Agora que o cidadão que desmonta o Ministério do Meio Ambiente corta pedaços de um vídeo para dizer que ONGs não estão ajudando?

Tomara que o Brasil nunca precise de uma força de intervenção rápida, porque estaremos lascados.

Se aquelas manchas de óleo que vocês vivem sugerindo que a Venezuela mandou para nos sabotar fossem soldados de Maduro, a esta altura já estariam falando “ó xente, Chaves”.

De qualquer forma, ficamos gratos, por este “antes tarde do que nunca”, porque ao presidente da República era que, em primeiro lugar, cabia ordenar o emprego das tropas nesta missão. E o titular do cargo preferiu ficar tirando “casquinhas ideológicas” de uma suposta origem venezuelana do petróleo.

Os chefes militares, por sua parte, estavam mais interessados no andamento do reajuste de até 75% no soldo dos oficiais superiores disfarçado de reforma previdenciária – para a soldadesca, claro, nada – e em acompanhar os deprimentes tuítes do general Villas Bôas, 12° ministro do STF.

O exército, mais que nenhuma outra instituição, por ter presença em todos os quase 2.000 quilômetros de costa atingida, com pessoal, veículos e cadeias de comando e comunicação prontas a operar de imediato é com quem os brasileiros deveriam contar nestas emergências.

Mas o Exército “barrichelou”.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

18 respostas

  1. Lembrando que os 33ms entre a maré baixa e maré alta pertencem á União … ou, nada mais justo que os voluntários mandarem a conta para o Governo.

  2. Tá bem o Bozó né?? Brumadinho, fogo no Amazônia, poluição nas praias! do Nordeste.
    E o cidadão vai visitar (ou será fugir?) China Japão, Israel etc e etc.
    Os brasileiros estão bem né!!!!
    Chile, Equador, Peru ( E Argentina em pé de guerra)

  3. A vergonha de chegar atraso não é o único problema. Vai que revela a ineficiência e o despreparo como na intervenção na segurança no Rio e o combate aos incêndios na Amazônia. Melhor deixar o pessoal no quartel

    1. Bando de milico querendo paquerar com as turistas. Cuidado q tem muita gringa e se for de Israel vai rolar krav maga no pescoço do tenente

  4. Os militares no seu exercício de defender militarmente o país devem ser respeitados; eles nos defenderão em caso de perigo EXTERNO.
    Mas em funções burocráticas e políticas são um completo desastre. Como estamos vendo e escandalizados.
    O ministro da defesa, por exemplo, tem que ser um civil, para o nosso bem e o deles.

  5. Desgraçadamente, não seria um caso para o batalhão de engenharia? A não ser que, como muito bem disse o Fernando Brito, estejam eles pensando que as manchas sejam soldados bolivarianos disfarçados de petróleo.

  6. Bem. Essa era uma providência que o presidente é que deveria ter tomado. Mas nós não temos um presidente. Temos sim um boçal ocupando a presidência. Ele teve que sair do país para alguém poder tomar uma providência, porque se depender da sanidade dele e da competência do seu ministro o meio ambiente brasileiro será destruído.

  7. Acho que o q esse milicos menos merecem do Brasil é gratidão. Escondidos sob as havaianas do capetão deformado, demoraram todo este tempo prá tirar os pijamas, pantufas e chupetas, levantarem seus traseiros gordos e fazerem alguma coisa. Se eles esperam com isso saírem bonitinhos na foto, já é tarde, muito tarde.

  8. Parece que os voluntários de inúmeras comunidades praianas derrotaram esta tentativa de destruir 10% da economia do Nordeste, ou seja, o turismo local. Os petroterroristas não contavam com o elevado espírito de colaboração e consciência ecológica dos nordestinos. O que o Exército vai fazer, agora? Segurar no chifre do touro morto?

  9. As forças armadas são um peso morto no nosso orçamento. Um bando de “come e dorme”, que é de uma inutilidade à toda prova.

  10. O que fazem esses oficiais generais nos seus estado-maiores? jogam poquer? Cadê as patrulhas q FAB e Marinha dizem q fazem na região? Um país q perdeu navios para submarinos alemães em duas guerras e q tem intenso tráfego de navios entre o nosso continente e a África deveria ter algo pensado previamente. E as imagens de satélite? E se de repente vier uma força invasora da Ásia? Só saberemos quando ela chegar no nosso nariz! Se temos um vizinho grande exportador de petróleo que gera fluxo de petroleiros circulando próximos, era se prever q pudesse haver um derrame. Não há nada. Eu continuo a achar estranho q isso tenha acontecido justo nos estados opositores ao governo federal. A máfia que funciona parecido com a milícia, não tem nenhum problema em atulhar as cidades italianas de lixo quando isso lhes convém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *