Trump x China abala mercados. Manhã aponta para caos no dólar e na Bolsa

O que ia acontecer, era fácil prever. O que não é possível antecipar, porém, é o quanto vai durar e até que ponto pode afundar  a reversão de expectativas nos mercados financeiros após o anúncio feito por Donald Trump de que os EUA vão aumentar as sobretaxas impostas às suas importações da China e, claro, das reações do país asiático.

O Wall Street Journal publica informação, ainda não confirmada oficialmente, de que o  vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, teria cancelado sua ida a Washington, onde faria mais uma rodada de negociações em busca de um acordo comercial com os americanos.

Ainda sem essa confirmação, porém, o resultado é um desastre. A bolsa de Xangai caiu 5,5%; as bolsas da França e da Alemanha caem acima de 2% – e isso é muito, em mercados estáveis – neste momento. A bolsa inglesa não caiu porque está fechada, hoje. O “premarket” da Bolsa de Nova York vai pelo mesmo caminho, e é possível que e a queda se acentue na abertura do mercado.

Como tem sido dito aqui, a economia brasileira já ia mal quando a mundial navegava em “céu de brigadeiro”. A tempestade da manhã de hoje nos apanha em baixa altitude e baixa velocidade. Portanto, com baixa sustentação ante turbulências que, honestamente, ninguém sabe o quanto podem durar.

O dólar deve passar com folga dos R$ 4 e colocar mais pressão sobre os preços internos.

Como as nossas diretrizes economicas são de “Brasil abaixo de todos, Trump acima de tudo” não temos muito o que fazer para aproveitar oportunidades de negócios com a China.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

7 respostas

  1. E pensar que um dos últimos paraquedas que nos restou são as famosas reservas cambiais, única herança que ainda não foram feitas pó por nossos golpistas, aqueles gênios virtuosos que sembrando tempestades, furacões e outros fenômenos nada naturais esperavam encontrar um céu de brigadeiro logo ali adiante. Vulgares, mentirosos e ordinários, batedores de carteira. Mino Carta diz que os jornalistas da Grande Imprensa são piores que seus patrões. Acho que o mesmo se pode aplicar aos funcionários do Mercado, com um agravante, muitos desses pensam que realmente são patrões. Como diria um gênio da raça, “”eles”” (apud Lula) como toda a “nobreza” de Bruzundanga, de ontem e de hoje, “têm uma curiosa mistura de ingenuidade infantil e idiotice senil.”

  2. Não dá pra compreender a burrice deste “ministro das Relações e este asno do Bolsonaro!! Enquanto a China é o o nosso parceiro os burros brigam com nosso principal parceiro que é a China. Dá pra entender? Não dá né. É uma dose cavalar de Jumentice.

  3. Se não fossem as reservas internacionais que o PT juntou…
    Infelizmente os brasileiros não sabem disto e pensam que o PT quebrou o Brasil.

  4. Um negócio da China, neste momento, seria vantajoso para a economia brasileira.
    Bolsonaro, contudo, escolheu dar o negocio para o Trump!

  5. Não podemos fazer mais negócios com a China pois, segundo o presidente da elite de dos bolsominions, os chineses não querem investir aqui, eles querem “comprar o Brasil”. Ainda bem que a exportação de abacate para a Argentina vai compensar a perda das exportações para o país asiático.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.