Vai crescer como, sem investimentos?

O gráfico publicado pelo G1 sobre os investimentos no Brasil é um “precisa desenhar?” sobre a estagnação da economia brasileira.

A primeira evidência: a “enxurrada de investimentos privados” que viria com o impeachment e o fim dos governos do PT foi, de fato, uma maré vazante.

A segunda: sem crescimento do consumo – desemprego, redução da massa salarial, etc – e do investimento público, não há razão para que o investimento privado suba.

A terceira: a falta de correspondência entre o consumo real e o consumo projetado quando cresciam, até 2015, criou capacidade ociosa (mais custo, menos empregos) além de custos financeiros da expansões realizadas e frustradas.

A quarta: por isso, praticamente anula a necessidade de novos investimentos produtivos, mesmo com pequenos espasmos de recuperação nas vendas.

Não há, portanto, perspectivas de recuperação econômica sustentável nos próximos anos, salvo por improváveis mudanças na política econômica contracionista adotada desde 2015.

Liquidaram-se as megaconstrutoras (a construçãocorresponde a quase metade do investimento no Brasil), matou-se a industria naval que renascia e só deus sabe como o acordo com a União Europeia vai impactar a industria, especialmente o setor de máquinas e equipamentos.

Tudo o que vem sendo especulado – e só especulado, mesmo – é remendo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. Com essa inépcia do governo, nada pode ser esperado. Eles acham que mercado é um ente desconectado da realidade política e social. A ignorância está nos levando para o buraco, infelizmente.

  2. O povo é burro. É pedir demais que compreendam coisas assim. Até mesmo uma parcela considerável dos empresários pequenos, médios ou grandes não compreende. Por isso o brazil foi para o buraco, porque se delegou a gente estúpida que acha ser presidente do brazil é o mesmo que ser síndico de pequeno condomínio a responsabilidade de decidir o futuro do país.

  3. Só olhando o degrauzinho que tem de 2013 pra 2014 e lembrando da fúria dos imbecis. Acho que muitas pessoas teriam sido menos imbecis se soubessem o que o caminho traria, seja por política, seja por economia. Que os degraus mais fortes sirvam de despertador.

  4. Um navio com milhares de toneladas de milho e outro a carregar, estão retidos no porto de Santos. O outro navio deveria ter partido para SC onde pegaria mais um carregamento de milho. A Petrobrás nega-se a fornecer combustível para esses navios, porque as cargas de milho vão para o Irã, maior importador de milho brasileiro. O Bozo se manifestou hoje, dizendo que teme retaliações do Trump porque ele decidiu, unilateralmente, promover embargos contra o Irã. Como os EUA estão entre os maiores exportadores de milho do planeta, duvido que eles comprem um quilo sequer do Brasil para compensar essa barbaridade. E pensar que o “agro” apoiou a derrubada da Dilma e ajudou a eleger esse doido para a presidência. O Lula e a Dilma jamais permitiriam isso. Bem feito!

  5. Insisto a “entidade” Mercado, seus meninos, suas meninas e seus patrões continuam cegos e incapazes de reconhecer a lambança em que meteram o país por um erro político estúpido: incentivar, apoiar e promover o Golpe de Estado contra o governo Dilma. Transformaram um problema passageiro como a redução do crescimento, a piora do quadro fiscal e o repunte momentâneo nas taxas de inflação (por estar a economia em pleno emprego), em um quadro de profunda depressão econômica, com taxas altíssimas de desemprego, perda de tecido econômico, destruição de setores produtivos fundamentais como a construção civil e a área de petróleo e gás, desarticulação do papel do BNDES no financiamento da economia (e sem colocar nada no lugar), etc etc. E aqui mistura-se nas mais diferentes proporções fanatismo e ignorância. Justamente quando o PT optou pelo pragmatismo econômico o Mercado optou pelo radicalismo político e o fanatismo ideológico. Muitos meninos e meninas abraçaram a causa da forma mais inconsciente e inconsequente. Poucos sabiam que essa estratégia de radicalismo e fanatismo era pura estratégia política. No futuro poucos entenderão as razões para essa mudança de rumo caótico. Não tenho dúvida que existem interesses econômicos nessa mudança, mas há uma dose ainda maior de irracionalidade e desvario em tudo isso.

      1. Não é lucidez, é apenas um relato em primeira pessoa. Escrevo com preocupação porque vi e vejo isso in loco, sei como os meninos, as meninas das Farias Lima e seus patrões pensam, como estavam e estão consciente ou inconscientemente equivocados, estranhamente e ao mesmo tempo integrados e deslocados da realidade do país e do mundo, arrongantes e ignorantes, cegos de ódio e inocentes úteis, alienados e distantes. E digo mais, nunca tinha visto nada parecido em 25, 30 anos de “Mercado”, o que vi foi em poucos anos a transformação de simples operadores de Mercado (financeiro) em militantes fanatizados em pleno “expediente bancário”.

        1. Exemplo incontestável do poder de fogo da comunicação hegemonizada. Os instrumentos estavam prontos, afinal temos há muito um mercado publicitário competente em vender óleo de cobra nas melhores embalagens, visto o número de prêmios Leões de Ouro nativos, e a mídia já estava devidamente hiperconcentrada em muito poucas mãos. Faltava apenas o impulso final para deslanchar a mais eficiente campanha de propaganda do mercado. O único problema foi que isto não se deu sob a égide do PSDB dos meninos e meninas farialimeiros, mas sob o tacão de uma extrema-direita tão xucra que leva adiante o projeto aos solavancos, ao invés de rodar macio. Daí os efeitos colaterais que aparecem, como os fanatizados corporativos e religiosos, os moralistas tacanhos e os truculentos. O resto, como você escreveu, foi estratégia mesmo. E bem sucedida.

        2. Você talvez pudesse escrever um artigo sobre essa irracionalidade desses operadores e de seus patrões. É possível que tenha havido um trabalho. (elaborado em Washington) meticuloso de semear essa estupidez. O que você relata (estou convicto de que é um retrato fiel do que você presenciou) se encaixa bem no que é exposto no livro “Guerras Híbridas” (tem disponível em pdf na internet e impresso na amazon.com.br). O artigo (dos anos 40) “A Fabricação do Consenso”, citado no livro, é pertinente. Pessoas como você, com experiências de primeira mão, e sobretudo lúcidas e racionais, são imprescindíveis. Escreva o artigo e submeta à direção do blog.

    1. Verdade……Lembra aquela estória do TITANIC, em que, enquanto a classe pobre, que estava nos porões, fugia das águas, o pessoal das cabines dançava e se divertia ao som da orquestra ?….Pois é, me lembra o Brasil atual. Tem gente que só vai sentir o que está acontecendo, quando a água começar a chegar no joelho, e notar que os ricaços já pegaram os poucos botes salva vidas e pularam do navio.

  6. O capitão disse que se não puder ter filtro vai extinguir a Ancine. Impor filtro como condição para a Ancine continuar existindo é censura. E censura é uma das principais características das ditaduras.

  7. Esse resultado, nos anos iniciais é caso pensado pelo comando do golpe, era esperado. Até previam fortes reações, por isso criaram o Ministério da Segurança Pública, que na prática enfraquece ainda mais a Federação brasileira, imiscuindo a União na segurança pública das unidades federadas, ministério este unido na “gestão” Bolsonaro com o Ministério da Justiça e entregue ao comando de Sérgio Moro, um dos principais responsáveis, aqui no Brasil, pelo golpe de estado de 2016 contra Dilma Rousseff e que prendeu o Presidente Lula. Nesse cenário, o inesperado foi Glen Greenwald, que está criando sérios obstáculos para a continuação de Sérgio Moro à frente dessa nova pasta como desejam os golpistas, já que é o presuntivo presidente do golpe em 2022, Na Economia e nas relações externas pouco deu certo saiu como o esperado, a não ser o desmonte da economia em favor também do trabalhador da era do PT no poder, manter o desemprego (é vontade política) para não acelerar a inflação, o afastamento da Petrobras da liderança do pré-sal. Investimentos,se acontecerem, somente após vender ativos públicos que estão programando, com o que esperam arrecadar mais de R$ 400 bilhões.

  8. Um navio com milhares de toneladas de milho e outro a carregar, estão retidos no porto de Santos. O outro navio deveria ter partido para SC onde pegaria mais um carregamento de milho. A Petrobrás nega-se a fornecer combustível para esses navios, porque as cargas de milho vão para o Irã, maior importador de milho brasileiro. O Bozo se manifestou hoje, dizendo que teme retaliações do Trump porque ele decidiu, unilateralmente, promover embargos contra o Irã. Como os EUA estão entre os maiores exportadores de milho do planeta, duvido que eles comprem um quilo sequer do Brasil para compensar essa barbaridade. E pensar que o “agro” apoiou a derrubada da Dilma e ajudou a eleger esse doido para a presidência. O Lula e a Dilma jamais permitiriam isso. Bem feito!

    1. A estupidez dos empresários do agrobizz e da indústria, ao não conseguirem enxergar nem seus próprios interessses (até os de curto prazo!) é estarrecedora. Apoiaram o golpe que os está arruinando. Não foi por falta de aviso. Com uma elite empresarial com esse nível de ignorância (inclusive sobre seus próprios empreendimentos), ficou mais fácil à verdadeira coordenação do golpe em Washington) manobrar para atingir seus objetivos: destruir nossa economia, acabar com nossa soberania, inibir nosso protagonismo geopolítico, enfraquecer o BRICS, reconduzir o Brasil à condição de colônia deles. Como é possível que líderes empresariais sejam tão obtusos, primários, desinformados?

  9. Sem investimento, por um lado, e com desemprego e redução da massa salarial, reduzindo o consumo, por outro, não tem caneta Bic que dê jeito, tanto mais nas mãos de alguém que decididamente não sabe pensar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.