Veja mostra fortes indícios de execução de miliciano “bomba”

A revista Veja mostra, agora à noite, fotos que sugerem que o ex-capitão e miliciano Adriano da Nóbrega, figura próxima dos Bolsonaro, foi executados com tiros de curta distância e não morto em confronto, como é a versão oficial.

VEJA teve acesso a imagens que revelam que Adriano da Nóbrega foi abatido com tiros disparados a curta distância. As imagens reforçam a acusação feita por sua esposa e por seu advogado de que ele foi executado — e de que as forças policiais nunca quiseram realmente prendê-lo. São fotografias de diversos ângulos, feitas logo depois da autópsia, que devem ajudar a revelar o que aconteceu nos minutos que se sucederam à entrada dos policiais no sítio onde o ex-capitão estava escondido, no município de Esplanada. De acordo com a Secretaria de Segurança da Bahia, Adriano, depois de reagir, foi abatido com dois tiros — um de carabina e outro de fuzil. Um dos projéteis atingiu a região do pescoço. O outro perfurou o tórax. (…) As fotos obtidas pela reportagem sustentam parte dessa versão — mas apenas parte. Os disparos que mataram Adriano da Nóbrega foram feitos a curta distância. Além disso, as imagens revelam um ferimento na cabeça do ex-capitão, logo abaixo do queixo, queimaduras do lado esquerdo do peito e um corte na testa.
Obtidas com exclusividade, as fotos que ilustram esta reportagem foram submetidas à avaliação do médico legista Malthus Fonseca Galvão, professor da Universidade de Brasília (UnB) e ex-diretor do Instituto Médico Legal do Distrito Federal. Ele debruçou-se sobre o material sem saber a identidade do morto. Depois de ressaltar que o ideal seria estudar o próprio corpo e ter conhecimento das armas usadas na operação policial, Galvão citou alguns pontos que lhe chamaram a atenção. O primeiro são as marcas vermelhas localizadas próximas da região do peito, chamadas pelos peritos de “tatuagem”, que indicariam um tiro a curta distância. “É um disparo a uma distância na qual a pólvora ainda tem energia cinética suficiente para adentrar o corpo. Então, foi um disparo a curta distância. O que é a curta distância? Depende da arma e da munição. Seriam 40 centímetros, no máximo, imaginando um revólver ou uma pistola. Mais que isso, não”, declarou Galvão. E acrescentou: “Pode ter sido uma troca de tiros? Pode. Pode ter sido uma execução? Pode. Qual é o mais provável? Com esse disparo tão próximo, o mais provável é que tenha sido uma execução. Mas tem de analisar com mais detalhes”.
O segundo ponto destacado pelo médico legista é uma marca que aparenta ser um tiro na região do pescoço. “Pode ter sido um disparo após a vítima ter caído no chão, porque a imagem me sugere ser de baixo para cima, da direita para a esquerda, em quase 45 graus. Esse disparo pode ser o que o povo chama de ‘confere’”, afirmou. Confere é o famoso tiro de misericórdia, efetuado quando não há a intenção de salvar a pessoa baleada. Galvão também destacou uma marca cilíndrica cravada no peito do corpo. “Tem muita chance de ser a boca de um cano longo após o disparo, quente, sendo encostada com bastante força por mais de uma vez. Nesse momento, ele estava vivo, com certeza, porque está vermelho em volta. É uma reação vital.” O professor observou ainda que o ferimento na cabeça poderia ser um corte provocado por um facão, um machado ou um choque com a quina de uma mesa. Pessoas próximas a Adriano da Nóbrega dizem que ele foi torturado. O machucado na cabeça, por exemplo, teria sido resultado de uma coronhada de pistola.

Os sinais de que foi um assassínio estão cada vez mais fortes.

Adriano é um arquivo morto. Mas ainda não ilegível, apesar de uma máquina policial que gera mais suspeitas que confiança.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. O QUE ESPERAMOS PARA REACIONAR E ENCHER ESSAS RUAS NUM QUEBRA PAU DEFINITIVO ???????,EU NÃO SEI.
    TALVEZ NUNCA ENCONTRE A RESPOSTA.

  2. ” Pode ter sido um disparo após a vítima ter caído no chão, porque a
    imagem me sugere ser de baixo para cima..” Não seria o contrário? Se a pessoa está caída, o tiro teria que ser de cima para baixo.

    1. Mas, se for assim, cadê a bala?? Se foide baixo para cima teria de ser dado quando ele tivesse caído , mesmo assim cadê o furo na cabeça.
      Pelo visto não há interesse em da turma de Milicianos em mostrar a verdade.

  3. Se veio da VEJA, cuidado, pode ser uma forma até de supor e futuro próximo que foi uma luta ferrenha. VEJA é porta voz da CIA é essa é competente, por isso o assassinato execução foi programado no governo petista, mas vc conhece quantos policiais nesse país de milicianos que não votaram no Bolsonaro? Três ou quatro,no máximo.

    1. Fora que o secretário de segurança pública da BA é PF do RJ… outra coincidência ? Rui Costa, se pronuncie e demita o miliciano !

  4. Não era apenas apagar o arquivo , era preciso saber se ele tinha deixado registros ou contatado para alguém o que sabia .Era necessária a ” a pequena ” seção de tortura . E no fim a morte , já encomendada desde que saiu da lista de procurados com objetivo de deixá lo mais relaxado , e a sensação de protegido se movimentou . Exatamente como queriam .

  5. veja teve acesso a fotos…
    Essas fotos na parecem de pericia. Foram feitas por totografo jornalistico
    Pau devia começar a cantar p cima de quem tirou as fotos e divulgou

    ENTREtanto ele e arquivo morto mas amigos e amigos dos amigos dele podem abrir o bico p nao ter q em breve abrir o rabo

  6. Com menos de um ano de desgoverno a primeira família já entrou na fase das execuções de milicianos. Outrora condecorados como heróis pelos filhos pitbulls, agora são executados e descartados. Não se fala de geração de empregos, de investimentos em saúde, educação, infraestrutura. Estamos aqui discutindo se a bala que matou um miliciano ligado à família do presidente veio de baixo ou veio de cima como se fosse a coisa mas natural do mundo. Lembro que certa vez, um filho de Lula levou um amigo para nadar na piscina, não lembro onde nem quando, enfim, uma coisa besta, um fato totalmente irrelevante, e a “grande” imprensa fez um escândalo. Agora a primeira família está metida com milicianos, mas “estamos caminhando na direção certa” segundo a folha de sp. Direção certa sim, porém rumo ao abismo.

  7. O morto da foto é diferente do vivo das fotos que andam por aí. Além de parecer ser im homem mais velho do que o vivo. A orelha e as sobrancelhas do morto são diferentes das do vivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.