Veríssimo: um país que apatifaram

Tristemente magistral Luís Fernando Veríssimo, em sua coluna de hoje, n’O Globo:

‘Apatifar”, nos diz o “Aurélio”, significa tornar desprezível, aviltar, envilecer. Pessoas se apatifam, nações inteiras podem se apatifar, ou serem apatifadas. O mundo hoje vive uma assustadora onda de contágio viral que, espera-se, acabará controlada ou, eventualmente, desaparecerá. Já patifaria não mata, mas também contagia, com a diferença de que não tem nem perspectiva de cura.

É impossível observar o Brasil de hoje sem a sensação de estar assistindo a uma pantomima tragicômica, a decomposição de um Estado que, dissessem o que dissessem de governos anteriores — inclusive os lamentáveis —, mantinham, pelo menos, a linha, o que é mais do que se pode dizer da atuação de Bolsonaro & Filhos no palco do poder.

Agora se entende por que Bolsonaro insistia em dizer que não houve um golpe em 64 nem uma ditadura militar nos 20 anos seguintes: ele queria montar o seu próprio regime militar, enchendo o Planalto de generais de fatiota que deixam seus tanques no estacionamento e entram pela rampa principal, rindo da gente. Implícita nessa original tomada do poder está a ideia imorredoura de que só uma casta iluminada, os militares, sabem governar um país.

O apatifamento de uma nação começa pela degradação do discurso público e pela baixaria como linguagem corriqueira, adotada nos mais altos níveis de uma sociedade embrutecida. Apatifam-nos pelo exemplo. Milícias armadas impõem sua lei do mais forte e mais assassino com licença tácita para matar. Há uma guerra aberta com a área de cultura, e a ameaça de um retrocesso obscurantista nas prioridades de um governo que ainda não aceitou Copérnico, o que dirá Darwin. Aumentam os cortes de gastos sociais, além de cortes em direitos históricos dos trabalhadores. Aumenta a defloração da Amazônia. Aumentam as ameaças à imprensa.

E aumenta a suspeita de que na Universidade de Chicago o Paulo Guedes só assistiu às aulas de bobagens para dizer caso a economia não deslanche.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

25 respostas

  1. Engrossa o coro dos descontentes nos setores conservadores do país. Parece que muitos já se decidiram a partir para a solução Mourão. Também sou partidário dessa solução. Creio que o pior para o Brasil é a continuidade do Bolsonaro e de seu governo apatifado.

      1. Se Mourão não tem voz ativa nem para o Capitão-Facista, imagine para uma horda de Generais-Pijamas sedentos de poder e de auto-afirmação!

    1. Se temos um Capitão-Patife no poder imaginem um General-Patife. Mudar para Mourão seria escolher entre o fogo e frigideira. O que os brasileiros precisam é de vergonha na cara.

    2. Mourão também é autoritário. A política econômica continuaria a mesma e os militares continuariam no comando.

  2. Somos um povo de ” armário ” , nada é novo ou estranho , de norte a sul do país temos a direita e a extrema direita . O que de mais novo tivemos foi um período de governos petistas .De onde se tirou muita gente do ” armário ” , aonde não tinha voz e vez . E fez surgir o ex pobre de direita .

  3. O guedes é igualzinho ao resto. É do time da patifaria. Tira tudo que pode dos pobres e dá aos ricos e por isso é apoiado.
    Há que se destacar o amor da grande mídia ao governo bozo: já esqueceu completamente a grosseira ofensa a uma de suas jornalista. O assunto evaporou. Isto é que amor, perdoa tudo, e rápido.

  4. Quem deu o chute inicial não foi o bozo, Foram os golpistas que aí estão firmes e fortes.
    Destroem o país, destroem um país apatifado.
    Golpistas canalhas, sem saber são bolsonarianos históricos.

  5. Ler Veríssimo faz-me lembrar que muita gente “boa” odiou ver o país avançar.
    Que já nos primeiros meses de 2003 numa clínica de fisioterapia ou mesmo num tribunal federal aqui em Floripa, já falavam mal, propunham impedimento e até a morte de Lula. Esse último denunciei à PF.
    Jô Soares em 2005, foi prá cima de Lula com “as meninas do Jô” ao tratar do “mentirão” todas 4ªs-feiras.
    Jornalistas, intelectuais, professores doutores das federais e das privadas, empresários, militares, juízes, servidores e etc. e por fim, muitos familiares fizerem o mesmo.
    Hoje, felizmente, os meus parentes invejosos, racistas e golpistas seguem pro brejo, aceleradamente.
    Não era só tirar a Dilma e o PT?

  6. A dessensibilização da humanidade é um projeto e não começou aqui. Atinge prioritariamente as crianças e os jovens. E esse (des)governo é professor exemplar na matéria.

  7. Veríssimo e outros com seu prestígio e penetração na sociedade brasileira, também têm sua CULPA nesse processo. Foi tímido, titubeante, dúbio, frouxo, durante o longo período em que a democracia foi sendo destruída. Mesmo agora, em sua crônica, faz questão de citar “os erros que possam ter cometido” os governos anteriores. Isto é uma forma de “passar paninho” no lavajatismo.

    1. Concordo.
      Tem que dar o papo-reto: Isso é fruto de um Golpe de Estado.
      E quem se calou tem que pedir desculpas, para começar. Cada um tem que assumir sua responsabilidade nessa bagunça e começar a arrumar a casa.

    2. Me desculpe, mas você demonstra que não conhece o Luiz Fernando Veríssimo. Eu acompanho seus textos há décadas. Ele sempre criticou o neoliberalismo. Sempre se posicionou. Nos anos FHC ele era a única voz dissonante na mídia pois ousava criticar o governo e sua política econômina, usando brilhantemente o humor para isso. Tinha liberdade para fazê-lo até no Globo, porque ter seu nome no time de colunistas do jornal dava prestígio. Nunca se omitiu.

      1. Concordo plenamente. Veríssimo praticou a crítica a governos, políticos e politica econômica, com absoluta genialidade. Quem não lembra da inesquecível “Velhinha de Taubaté”, ainda nos tempos do governo Figueiredo?

  8. Ora, ora, ora.. É só tirar a Dilma que melhora! Ops, deu tudo errado? Vamos tirar o Bozo então, e colocar outro palerma que toque as reformas neoliberais selvagens. É o que o “mercado” quer. E o povo? Ora, o povo que f…

  9. Todos sempre soubemos do desapreço do atual PR pela democracia, assim como de sua misoginia, de seu racismo, de sua homofobia, de sua rasteirice barata, de sua mediocridade, de seu ódio aos pobres; enfim, de que se trata de um ser desprezível a mais não caber. Contudo, não se pode negar-lhe (ou aos que presumivelmente o orientam) inteligência estratégica. Primeiro, nas eleições, desviando-se do debate do que importava e tergiversando para temas que agradara do às elites do mercado e aos fanáticos do evangelho (de todas as crenças. Pasme-se, até de alguns seguidores de vertentes africanas). Agora, idem, idem e idem. E tudo com a cumplicidade da grande imprensa e dos desocupados das ignóbeis redes sociais, ele e seus ministros e seguidores, com os “conjes”, a “goiabeira santa”, as “empregadas domésticas na Disleylândia”, os “parasitas”, os “laranjais”, as “queimadas dicaprianas”, os “óleos bolivarianos”, os “incompreencível” e “paralização” e tantas outras babaquices das quais se ocupam os meios de comunicação, desviam a visão do real desmonte social e patrimonial da nação. Daí que o que verdadeiramente interessa não é debatido: as ideias de um mercado voraz destruindo o futuro de nossos descendentes (a nossa realidade já é cruel, mas no amanhã será mais doída). E, muito pior, a atual legislatura, salvo raríssimas exceções, assemelha-se ao executivo, especialmente no que diz com a ampliação da desigualdade social e da miséria, inclusive a intelectual. E na miséria intelectual, nossa brava gente brasileira se mostrou mestra ao eleger o “boçal”.

  10. Estou a me sentir completamente apatifada. E cansada de tanta baixaria, mentira e canastrice. E cansada também daqueles representantes da mídia que aceitam ficar presos no curral do Alvorada a gargalhar com as lorotas de Bolsonaro e seus asseclas. Apesar de velha (72 anos) irei com gosto para as ruas. Não apenas para gritar… Para lutar também… Como diz Mino Carta, está a faltar um pouco de sangue na calçada! Chega de sermos apatifados!

  11. ESSE ASQUEROSO “JAIR BOLSONARO” E SUA CORJA MILICIANA DE TRAIDORES DO POVO E DO BRASIL, TÊM COMO ÚNICO OBJETIVO, CRIAR E ESPALHAR O CAOS GENERALIZADO NO PAÍS, PARA ASSIM ENTREGÁ-LO FÁCIL E DEFINITIVAMENTE PARA OS INESCRUPULOSOS ESPOLIADORES GRINGOS, OS MAIORES LADRÕES E ASSASSINOS DESTE MUNDO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *