Wyllys, o “NYT”, e a República de Tanga do Brasil

Deu no The New York Times era o título do filme, de 1987, do genial Henfil, que mostrava os “não-acontecimentos” da imaginária  República de Tanga.

“Se o New York Times não publicou”, dizia a certa altura um dos mentores da ditadura de Tanga, “é porque não aconteceu”.

Era a sátira à preocupação dos nossos ditadores aqui com “a imagem do Brasil no exterior”, sempre um valor imenso para um país que, sem projetos e orgulhos próprios, vive a apostar que vêm de fora as forças capazes de trazer  estabilidade econômica e desenvolvimento, por isso mesmo, não-inclusivo.

Hoje deu no The New York Times a renúncia do deputado Jean Wyllys ao seu mandato, por sentir-se ameaçado.

Teve tanto ou mais espaço que a estréia de Jair Bolsonaro em Davos.

Pior, levou para lá a ligação possível entre o assassinato da vereadora Marielle Franco e os milicianos próximos ao gabinete do “Mito Jr.” e mencionou a comemoração do auto-exílio do presidente no Twitter.

Não importa que, aqui dentro, a tropa bolsonarista vocifere de felicidade.

Já disse hoje que aumentar o fanatismo não é o mesmo que aumentar o apoio e, frequentemente,  é o inverso.

O que importa é que “deu no New York Times” e, ainda que a elite brasileira tenha trocado a “Maçã” por Miami, chamou a atenção sobre a República de Tanga que nos fizeram voltar a ser.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. muito triste por que Jean se vai – não é fácil largar tudo e ele fará muita falta,
    muito feliz por saber que agora Jean está em segurança
    não podemos suportar outras Marielles

    1. Não sei até que ponto ele estará seguro nos EUA, afinal, o presidente de lá é a mesma BOSTA que o nosso !

      1. mas ele foi pra lá?
        uma coisa é certa – estará mais seguro que aqui
        se vbem que o odio desses psicopatas não tem limites

        1. Na verdade, que eu saiba ele está no Uruguai, sendo que quem deu o conselho para ele se afastar, foi o Mujica.

    2. Saiu da vida pública para entrar nas trincheiras virtuais com a gente !
      Seja bem vindo amigo !

    3. Prezado Jean Wyllys,

      Seu futuro está garantido no Brasil, a sua coragem, ética e honestidade, típicas da esquerda, farão de vc um líder ainda maior.

  2. Sigilo das informações das empresas, inclusive nas empresas públicas e órgãos de estado, e redução dos impostos de 34% a 15% das empresas. Vocês acham mesmo que o governo do Bozo perderá o apoio das instituições e dos donos da bufunfa?

    1. Se perder, vai ser pra ser trocado por alguém que é pior que ele: o índio racista vice-presidente da república. Golpista nato, e um representante da banda podre do exército mais fidedigno que o capitão miliciano.

  3. É possível que a saída de Jean Wyllys tenha sido uma jogada inteligente.
    Ele, de fato, corre um sério risco de vida e tem que se preservar.
    Mas os efeitos colaterais são positivos.
    Provavelmente, vai ser substituído por outro político que vai defender a mesma pauta.
    E ao se proteger indo morar no exterior, torna visível ao mundo os riscos a que estão expostos os que no Brasil defendem direitos humanos e direitos dos LGBTs.

  4. Os ainda doutrinados jumitos irão dizer que o NYT é uma organização à serviço do PT, das FARC, do Maduro e controlado pela esquerda comunista internacional.

  5. Empastelaram o SISU e os alunos que fizeram o ENEM estão desesperados. É através do SISU que você se inscreve na universidade pública ou privada em que deseja estudar, e que oferece vagas totais ou parciais para aqueles que fizeram o ENEM, que podem escolher até duas opções. O sistema é totalmente automatizado, e GERENCIADO pelo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Segundo o Bom Dia da Globo de hoje foi empastelado, com a troca de nomes dos alunos para fichas diferentes e diferentes opções.

  6. Estamos mais felizes que a quadrilha bolsolixo pois queremos que Jean Wyllys sobreviva a esses facínoras. Depois deste episódio Bostonaro estará para o mundo assim como o rei da Arábia Saudita que mandou matar e picar seu opositor.

  7. O problema é que lá é como aqui. Dá no NYT mas o povo americano assiste impávido à construção do novo muro da vergonha, aos movimentos pela invasão da Venezuela, etc.

    Essa canalhada assumiu o poder mundial e tem que ser mundialmente defenestrada: trumps, macris, bozos, netaniatus, etc, etc, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *