A carta dos congressistas dos EUA por Lula e Marielle

O site de Lula divulgou o texto em inglês e a versão em português, que reproduzo abaixo, enviada hoje por 29 congressistas dos EUA – entre eles o senador Bernard (Bernie) Sanders – em que pedem ao governo brasileiro que investigue o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco e garanta o “devido processo legal” para o ex-presidente Lula, “ após um processo judicial altamente questionável e politizado, no qual seus direitos processuais foram aparentemente violados”. O que, dizem eles, dá “razão para acreditar que o principal objetivo de sua prisão é impedi-lo de concorrer nas próximas eleições”.

Veja o texto, a íntegra.

Caro Embaixador Sergio Silva do Amaral:

Nós somamos nossas vozes aos recentes pedidos dos ex-presidentes do Chile e da França, Michelle Bachelet e François Hollande, bem como do ex-primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, em oposição à intensificação do ataque à democracia e aos direitos humanos no Brasil.

Nos últimos meses, Marielle Franco, vereadora e defensora de direitos humanos amplamente admirada, foi morta em um assassinato executado profissionalmente, enquanto o principal candidato presidencial para as eleições de outubro no Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, foi preso por acusações não comprovadas.

Nós respeitosamente pedimos que você trabalhe para facilitar uma investigação independente sobre o assassinato da Sra. Franco; apoiar os direitos dos trabalhadores brasileiros; e trabalhe para assegurar que o Presidente Lula tenha seu direito constitucional ao devido processo legal garantido.

Em março, nós ficamos horrorizados em saber sobre a execução da vereadora da cidade do Rio de Janeiro, Marielle Franco, uma corajosa defensora dos direitos das mulheres afro-brasileiras e membros da comunidade LGBTQ, e uma destemida ativista contra os assassinatos de jovens pela polícia nas favelas do Rio. Evidência críveis sugerem que membros das forças de segurança do Estados poderiam estar implicados no assassinato.

Em abril, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi preso após um processo judicial altamente questionável e politizado, no qual seus direitos processuais foram aparentemente violados. Os fatos do caso do Presidente Lula nos dão razão para acreditar que o principal objetivo de sua prisão é impedi-lo de concorrer nas próximas eleições.

O Brasil é atualmente o lugar mais perigoso do mundo para os defensores dos direitos à terra e recursos naturais, segundo a Global Witness. O respeitado grupo de direitos humanos Comissão Pastoral da Terra documentou mais de 70 assassinatos de defensores dos direitos da terra em 2017, incluindo muitos líderes de comunidades indígenas e membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. A grande maioria desses assassinatos ficou impune.

Além disso, desde que assumiu o poder por meio de um controverso processo de impeachment, o governo de extrema-direita do presidente Temer instituiu um congelamento de gastos que desencadeou importantes cortes em programas vitais de saúde e educação, e promoveu um total ataque aos direitos dos trabalhadores. Em fevereiro de 2018, o comitê de especialistas da Organização Internacional do Trabalho descreveu as mudanças de 2017 do governo Temer no direito dos trabalhadores de barganhar coletivamente como “não baseadas em negociações, mas na abdicação de direitos”. Nós encorajamos seu governo a usar sua autoridade para evitar mais ataques aos trabalhadores.

Nós também exortamos as autoridades judiciais e políticas brasileiras para que garantam eleições justas e proteções aos direitos humanos: os tribunais brasileiros devem avaliar prontamente os méritos das acusações contra o presidente Lula, em que nenhuma evidência material foi apresentada como prova das acusações de corrupção do ex-presidente. Como exortaram ex-líderes do governo europeu, o presidente Lula deve ter sua liberdade concedida enquanto as apelações à sua condenação estão pendentes, de acordo com as garantias constitucionais do Brasil. A luta contra a corrupção não deve ser usada para justificar a perseguição de opositores políticos ou negar-lhes o direito de participar livremente das eleições.

Também esperamos ver justiça no caso de Marielle Franco, com os autores de seu assassinato capturados e processados, e medidas sendo tomadas para proteger outros ativistas corajosos que colocam suas vidas em risco denunciando a violência e a injustiça do Estado. Nós nos juntamos aos apelos por uma investigação internacional independente sobre seu assassinato.

Atenciosamente,

Mark Pocan (D-WI), Raúl M. Grijalva (D-AZ), Bernard Sanders (I-VT), Ro Khanna (D-CA), Jan Schakowsky (D-IL), Keith Ellison (D-MN), Pramila Jayapal (D-WA), Barbara Lee (D-CA), Adriano Espaillat (D-NY), Eleanor Holmes Norton (D-DC), José Serrano (D-NY), Rosa DeLauro (D-CT), James McGovern (D-MA), Maxine Waters (D-CA), Jamie Raskin (D-MD), Frank Pallone (D-NJ), Zoe Lofgren (D-CA), Alan Lowenthal (D-CA), Alma Adams (D-NC), Yvette Clarke (D-NY), Bobby Rush (D-IL), Linda Sánchez (D-CA), Peter Welch (D-VT), Robert Brady (D-PA), Henry C. “Hank” Johnson, Jr. (D-GA), Karen Bass (D-CA), David Price (D-NC), Luis Gutiérrez (D-IL), Derek Kilmer (D-WA)

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

17 respostas

  1. Congressistas americanos dizendo explicitamente que o processo contra Lula é criminoso e visa manipular resultado de eleições? Falta mais o quê? Manifestação Divina?

    1. Esses congressistas são todos comunistas ! Socorro.Tenho que fugir da Terra…Até os EUA está dominado por comunistas!! (ironia)

  2. Esses apoios são fundamentais, e aos poucos o jogo começa a virar. Outra prova é que apenas alguns gatos pingados do tal MDL foram protestar em frente ao Facebook. Quem sabe o sistema de “justiça” do Brasil não acorda?

  3. Importante manifestação. Bernie não é qualquer um. A representatividade do senador em solo americano foi um baita avanço, considerando o eleitorado conservador daquele país. Antes um político como Bernie Sanders tinha no máximo uns 2% do colegiado e era ridicularizado por ser de esquerda. Agora, pela primeira vez na história, as eleições não se resumiram apenas ao centro democrata contra a direita republicana. Ainda que seja do partido democrata, Bernie representou uma votação expressiva da esquerda norte-americana. Curiosamente lá também houve o Bernie ou nada. Eleitores dele recusaram-se a votar na Hillary após ela ganhar as prévias democratas. E foi apertado. Impressionante no país que teve o macartismo.

    https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2016/02/1741546-projecoes-mostram-vitoria-de-hillary-sobre-sanders-em-previa-de-nevada.shtml

    1. O Bernie devia vir ao Brasil, e a Curitiba.
      Ali solicitar uma visita á carcereira Lebbos.
      E ai veremos ver como ela reage.

  4. “Há 87 anos, nossos pais deram origem neste continente a uma nova Nação, concebida na Liberdade e consagrada ao princípio de que todos os homens nascem iguais.

    Encontramo-nos atualmente empenhados em uma grande guerra civil, pondo à prova se essa Nação, ou qualquer outra assim concebida e consagrada, poderá perdurar. Eis-nos em um grande campo de batalha dessa guerra. Eis-nos reunidos para dedicar uma parte desse campo ao derradeiro repouso daqueles que, aqui, deram suas vidas para que essa Nação possa sobreviver. É perfeitamente conveniente e justo que o façamos.

    Todavia, em uma visão mais ampla, não podemos dedicar, não podemos consagrar, não podemos santificar este local. Os valentes homens, vivos e mortos, que aqui combateram já o consagraram, muito além do que nós jamais poderíamos acrescentar ou diminuir com os nossos fracos poderes.

    O mundo muito pouco atentará, e muito pouco recordará o que aqui dissermos, mas não poderá jamais esquecer o que eles aqui fizeram.

    Cumpre-nos, antes, a nós, os vivos, dedicarmo-nos hoje à obra inacabada até este ponto tão notavelmente adiantada pelos que aqui combateram. Antes, cumpre-nos a nós, os presentes, dedicarmo-nos à importante tarefa que temos pela frente – que estes mortos veneráveis nos inspirem a uma maior devoção à causa pela qual deram a última medida transbordante de devoção – que todos nós aqui presentes solenemente admitamos que esses homens não morreram em vão, que esta Nação, com a graça de Deus, renasça na liberdade, e que o governo do povo, pelo povo e para o povo jamais desapareça da face da Terra.”

    Conhecido como Gettysburg Address o mais famoso discurso Abraham Lincoln realizado em 19 de Novembro de 1863 no Cemitério Militar de Gettysburg, Pensilvânia, Estados Unidos.

  5. Tenham cuidado,aceitar interferencia externa,pode significar outras ações no futuro,temos que manter mesmo com toda essa bagunça os estrangeiros no seu lugar

  6. Esta carta dirigida a um Embaixador foi como um pé no saco destes picaretas.
    Esta turma de picaretas como Moro e estes do trf4 estão com um pé no Brasil e outro nos EUA, mas, meus caros não tem jeito, pois o Lula se torna cada dia mais forte com o apoio dos eleitores.Socorro , tou fu…. (palavras de alguns integrantes deste vil, Judiciário brasileiro)

  7. Esta turma que deram um golpe aqui no Brasil achavam que estavam nos céu com os pés de fora. Este Bermardes Sander não é qualquer um. Ele chegou muito perto de ser o Presidente dos EUA. Este manifesto veio na medida. Agora os golpistas daqui estão com cara de bunda. sem lavar.

  8. A demora, ou recusa, do judiciário brasileiro em atender a estes apelos, só prova seu envolvimento ativo no golpe. Não se trata de engano, de uma letargia das instituições, mas sim de cumplicidade mesmo. Como em outros golpes do passado.

  9. The Intercept Brasil

    SELEÇÃO DOS EDITORES
    Bolsonaro odeia traficantes, mas…

    “Começa assim uma mensagem da embaixada do Brasil em Santiago do Chile, endereçada ao Itamaraty, sobre um telegrama que o deputado federal Jair Bolsonaro enviou àquela representação diplomática em dezembro de 2006:

    “Recebi telegrama do Deputado Federal Jair Bolsonaro, pelo qual o parlamentar solicita seja transmitida mensagem de solidariedade ao ex-Capita?o Augusto Pinochet Molina. Como se recorda, o Capita?o Pinochet Molina foi afastado do Exe?rcito por haver feito pronunciamento no sepultamento de seu avo?, General Augusto Pinochet, sem autorizac?a?o e criticando os Poderes Executivo e Judicia?rio.”

    Nela, o agora candidato pedia que a embaixada enviasse uma mensagem de solidariedade ao neto do falecido ditador chileno Augusto Pinochet. A representação pediu a Brasília como proceder. O texto integral da mensagem de Bolsonaro era esse:

    “Excelenti?ssimo Senhor, Rogo transmitir ao Bravo Capita?o Augusto Pinochet Molina minha solidariedade e admirac?a?o por sua dignidade ao na?o se curvar a?s mentiras da esquerda e honrar o nome do avo?. O mundo sabe que o elevado i?ndice de desenvolvimento humano ora desfrutado pelos irma?os chilenos em muito se deve a?s ac?o?es desenvolvidas no Governo do saudoso General Pinochet. Cordialmente, Jair Bolsonaro, Capita?o da Reserva do Exe?rcito e Deputado Federal do Brasil.”

    Sabemos que Bolsonaro nutre paixão por ditadores assassinos. O que não se sabia até agora era que ele – que gosta de apontar o bandido de estimação de seus oponentes – tem também o seu, segundo seus próprios critérios. Cinco meses antes do telegrama elogioso de Bolsonaro, o chefe da polícia secreta do regime chileno, um dos mais fiéis subordinados de Pinochet, revelou a investigadores que o ditador tinha ficado milionário traficando cocaína. A notícia correu o mundo, foi publicada em todos os grandes jornais, veiculada massivamente pela imprensa, brasileira inclusa.

    Manuel Contreras deu detalhes. Afirmou que a cocaína era fabricada em um complexo químico do próprio Exército, deu o nome do refinador, acusou um filho de Pinochet, Marco Antonio, de fazer parte do esquema, e completou dizendo que a correria era feita por um empresário ligado a ele e também pelo sírio Monser Al Kassar – vinculado a atividades terroristas, segundo o policial.

    Bolsonaro não viu problema na acusação.

    A mensagem, no entanto, jamais chegou ao remetente por meios diplomáticos. O Itamaraty se negou a ser correio do capitão. E respondeu ao então embaixador do Brasil no Chile, Mario Vilalva:

    “Vossa Excele?ncia podera? informar ao Deputado Jair Bolsonaro que o Ministe?rio na?o transmite mensagens pessoais, as quais devera?o ser, caso deseje o parlamentar, encaminhadas diretamente aos destinata?rios.“

    Telegrama bom é telegrama morto.

    (Veja a mensagem inédita de Bolsonaro, e também a resposta do Itamaraty, obtidas via Lei de Acesso à Informação.)”

    Leandro Demori
    Editor Executivo

    https://theintercept.com/2018/07/27/bolsonaro-app-fake-news/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.