A guerra fica explícita: Bezerra diz que ação da PF foi retaliação de Moro

A defesa de Fernando Bezerra Coelho, líder do governo Jair Bolsonaro no Senado, diz, na Folha, que o Senador foi alvo, hoje, de operação da Polícia Federal “por sua atuação política combativa em relação a alguns pontos do pacote anticorrupção, encabeçado pelo ministro da Justiça, Sergio Moro”, diz a Folha.

O advogado de Bezerra, disse ao jornal que “declaração recente de seu cliente, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo’ na qual diz, “ao comentar uma possível troca no ministério, que Moro pode ser esquecido em 60 dias” : “Essa declaração pode ter contribuído para a retaliação política”, afirmou o advogado André Callegari.

O ataque direto a Moro tem a seguinte e simples consequência prática.

Se Jair Bolsonaro não afastar seu líder, o endossa, inclusive, no ataque contra seu Ministro da Justiça.

Claro que , se afastar, estará endossando Moro contra o Senado e a Câmara, avessos às propostas moristas, e fazendo o ue não quer: dando mais poder ao ex-juiz.

Portanto, será que alguém duvida que o advogado do líder de Bolsonaro não agiu sem o respaldo de seu cliente, E que o senador não agiu sem o aval de seu chefe.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

6 respostas

  1. Se isso chegar às vias de fato, a força de paz de que o Mourão falou vai ter que atuar aqui mesmo, e não na Venezuela.

  2. Falta consenso político e sobra individualidade em busca de poder pessoal. Isto nunca deu certo. Eles vão se destruir mutuamente.

  3. È preciso saber como “Ali Babá ” resolvia os problemas quando um dos seus surrupiava uma moeda dos próprios companheiros . Na verdade não durava muito tempo ser os mesmos quarenta , mas ele mantinha a formação quanto a quantidade . Todos tinham que ser ladrões como ele .

  4. Os rachas no governo se ampliam. Mas, ao mesmo tempo, as medidas contra o povo não param. É preciso construir um movimento para ANULAR as eleições fraudadas de 2018! Não dá pra esperar até 2022 enquanto um presidente ILEGÍTIMO destrói os direitos trabalhistas e entrega o Brasil aos EUA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.