A incrível apetite da Veja por pão velho sensacionalista

 

A mudança de direção da Veja, com a venda do grupo Abril até “ameaçou” trazer a revista para o jornalismo.

Mas o pântano em que ela se meteu, já há muitos anos, continua puxando-a pelo pé e não deixando que ela saia da lama.

Hoje, ela repete o esquema – lembram-se ? – de julho, quando deu capa para uma velha matéria sobre um grupo “ecoterrorista” que pretendia fazer um atentado contra Jair Bolsonaro. “Reportagem” copiada do site Metrópoles e publicada sete meses antes…

Agora, dá capa para o mesmo que publicou em junho de 2017 que o publicitário Marcos Valério teria ouvido do empresário Ronan Maria Pinto uma declaração de que Lula estaria ciente e de acordo com o pagamento de chantagem para não ser denunciado como mandante do assassinato, em 2002, de Celso Daniel, prefeito de Santo André .

Na ocasião, falava-se em acordos de delação premiada para ele, Valério, e para o empresário. Em dois anos, ao que parece, as provas eram tão inexistente que nem o MP sedento pelo sangue de Lula interessou-se em fazê-lo.

Aliás, já era pão requentado, a revista já tinha publicado em novembro de 2012 que Valério dissera que Lula só não estava encrencado no caso “porque eu, o Delúbio e o Zé não falamos”, disse, referindo-se ao ex-tesoureiro petista Delúbio Soares e ao ex-chefe da Casa Civil José Dirceu”.

Hugo Marques, que escreve na revista, lembrou-se do velho assunto e o trouxe, pressuroso, para dar uma “mãozinha” ao clima que querem criar contra o ex-presidente, na iminência de ser libertado.

Mas é pão velho e bolorento, pois, desde 2005, Marcos Valério promete “contar tudo”.

Como a capa do tal “atentado ecoterrorista”, mais esta “novidade” da Veja vai cair no vazio, porque vazia é a história.

Só tem mesmo a finalidade de lembrar que a revista é um caso perdido.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

22 respostas

  1. eu gostaria que no futuro não muito distante a expressão “fulano é o maior capa-de-veja” denotasse, além do que caráter questionável, uma notável limitação cerebral.

  2. O que esperar-se mais,de um PANFLETO DA DIREITA,prestes a morrer?Ressurreição,talves?Impossível,pois os vermes que a nutrem,todos JORNALISTAS,essa profissão SAGRADA,estão à beira da morte.

  3. O que esperar-se mais,de um PANFLETO DA DIREITA,prestes a morrer?Ressurreição,talves?Impossível,pois os vermes que a nutrem,todos JORNALISTAS,essa profissão SAGRADA,estão à beira da morte.

  4. Pagaram para o doido de aeroporto e ladrão nas horas de folga ,Marcos Valério, para ler alguns rabiscos do editor analfa e corrupto.
    Não vai pegar ,pois o panfleto Veja Fakes de orientação troglo-fascista, está mais sujo que a bunda do bozo.

  5. PHA, cuja morte (afinal com quem e onde ele jantou naquela noite?) suspeitíssima nenhum jornalista, blogueiro ou analista ousa comentar, se referia a essa revista pelo epíteto “detrito sólido de maré baixa”. Não há salvação nem como transformar esse tipo de detrito em algo que possa ser chamado de revista de informação.

  6. “pão velho e bolorento”, isto nós sabemos. Na boca da Veja, nada de novo. Mas fiquei com a pulga atrás da orelha é sobre qual o seu interesse (da Veja) em ter ingressado como coadjuvante da força tarefa da VazaJato, que imagino a convite do Intercept, ou de Glenn Greenwald. Supondo-se que o objetivo da VazaJato é pela busca da verdade jornalística, o que faz ali uma imprensa tão mentirosa e historicamente canalha? Aliás, diga-se que este caráter não seria exclusividade de uma Veja, pois que dela uma Folha de São Paulo não muito se distancia.

    Será que a VazaJato, na cabeça de uma Veja, apenas serviria para destronar o clã Bozo do Butim Brasil para devolvê-lo aos seus próximos e tradicionais amigos tucanos?

    Abra os olhos Intercept!

    1. Entendo o que você diz! Mas o Intercept de inexperiente não tem nada. A participação de uma coisa nojenta como a Veja sem apontar falsidade nas informações vazadas só dão credibilidade ao que foi exposto.

  7. É inesgotável a sanha dessa BANDIDAGEM editorial!

    Isso não é liberdade de expressão. Isso é BANDIDAGEM em expressão!

  8. Acho que a matéria revela mais do que simplesmente aquilo que sempre se soube sobre veja.
    Enveredou pelo caminho do jornalismo-esgoto porque os interesses que a sustentavam precisavam que exercesse este papel para atacar as forças democráticas, populares e nacionalistas, em proveito dos interesses do império e das elites escravocratas aliadas àquele.
    Faliu e foi adquirida por um “investidor’, cujo interesse é recuperar financeiramente a empresa e vendê-la.
    Ora, para vender tem que ter um comprador interessado no perfil da publicação.
    Portanto esta retomada do jornalismo-esgoto mostra duas coisas:
    1. Este é o nicho de leitores que encontra para sobreviver;
    2. Os anunciantes dispostos a sustentá-la economicamente se interessam por esse tipo de esgoto (precisamente por que lhes serve aos interesses políticos de manutenção de privilégios – é a parceria entre a bunda cagada e o papel higiênico).

  9. Essa denúncia não durou um dia. O próprio Renan desmentiu o Valério. O careca pegou 100 anos de cadeia e está tentando uma delação com a palavra mágica: LULA. E a Veja continua a mesma velha revista de jornalismo mentiroso e barato. Não dura mais 5 anos e fecha definitivamente.

  10. Tá… Entre no Twitter e veja o que a criminosa milícia digital bolsnazista está fazendo.
    É pra desviar o foco das acusações da Quantoé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *