Poluição ideológica

Há uma brincadeira, antiga, que explica aqueles dedinhos apontados para cima que turistas americanos põem quando tentam sambar: é que não querem que lhe vejam os pés, desajeitados e incapazes para a dança.

Este governo, do ponto de vista de suas (in)capacidades de lidar com situações desastrosas é como o gringo na pista: precisa apontar o dedo para que não lhe vejam a inépcias de suas ações e omissões.

Pega fogo a Amazônia? Demita-se o diretor do Inpe que o registrou pelos satélites. Depois diga-se que foram os índios, as ONGs, o motoqueiro que andava de varinha incendiando a beira das estradas…

Agora, o óleo. Não é nada, não é nada…e era muito: 2.500 km de costa atingida.

Agora, O Globo mostra que havia um plano para emergências assim-Documento oficial mostra que plano para conter óleo deveria ter sido acionado 41 dias antes -mas que só seis semanas depois do que deveria ele foi acionado.

Todo este tempo, a cabeça de nossas autoridades, como ocorreu com a queima da floresta, ocupou-se em imaginar “culpados” por uma “ação ideológica” de desmoralização do país.

Primeiro o vazamento de uma plataforma venezuelana, já que Maduro é seu alvo principal. Quando se demonstrou que as águas do mar se deslocam em sentido inverso ao que poderia trazer óleo de lá, mudaram a teoria: o malvado embarcou óleo num navio-fantasma e, “de sacanagem”, lá em alto mar, mandou despejar o óleo, contando que ia se espalhar por todo o litoral brasileiro.

O comandante da Marinha, em declaração pública, dizer que não havia qualquer indício de participação do governo e de empresas da Venezuela no vazamento, claro, não veio ao caso, e Bolsonaro foi usar a OEA como palco de seus delírios.

Mas ainda era pouco: o picareta siderado que está desmontando os órgãos ambientais brasileiros, ontem, acusou ninguém menos que o barco do Greenpeace de ter espalhado o petróleo quando passou pelo litoral brasileiro… Levou um puxão de orelhas de Rodrigo Maia e se desdisse continuando a dizer…

Talvez a metáfora de norte-americanos no samba não seja a melhor. Assemelham-se mais a um motorista que, com a família ferida num acidente, em lugar de socorrê-la, vai discutir sobre a culpa da batida antes de cuidar dos feridos,

Enquanto isso, descoordenados, pondo a saúde em risco, sem orientação e apoio para agir, milhares de brasileiros acorrem às praias, para tirarem a massa pastosa das areias e das pedras.

Vai chegar a hora em que vão despoluir não só praias, mas o Brasil emporcalhado por governantes que não amam o seu país.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

21 respostas

  1. Eu “DUVIDO”,que a MAIORIA DO POVO,faça outra coisa,senão,APOIAR ESSA CANALHA.Essa CANALHA,é a SÍNTESE DO POVO BRASILEIRO,QUE DURANTE TODA SUA HISTÓRIA,somente demonstrou um talento.Puxar saco de rico,na esperança de um dia,ser um deles.Como não consegue,passa a viver com ÓDIO dos semelhantes,todos pobres,e bota a culpa de seus fracassos,nos vizinhos.O BÓSTA-ONARO,é a SINTESE INDIVUDUAL,desse LIXO.Alguns poucos que sobram,são A EXCEÇÃO DE TODA A REGRA.E quando elegem alguém,diferente dessa turba.

  2. Ha relatos de voluntários que estão ajudando na retirada desde os primeiros surgimentos do óleo que: “O exército resolveu aparecer e já chegou com a imprensa, pedindo que os voluntários se retirassem do local para fazer parecer que o (des)governo estaria tomando providências pra resolver o problema”.
    Nojo, nojo, nojo, nojo…???? Não encontro outra palavra.

  3. Assim seja! Que o “brava gente, brasileira (…)” de muitos, sejam de muitos mais num estonteante amanhecer amazônico.

  4. Bozonero tem uma capacidade digna de supervilão pra ferrar o país e apontar inimigos. Um colega meu comentou que “não acharam o culpado porque deve ter sido a Petrobrás”. Eu respondi, “Não, se fosse da Petrobrás, ele estaria usando isso como propaganda pra privatizar. ‘Se fosse empresa privada, isso não aconteceria'”. Ele concordou, porque faz sentido.
    Agora, não descarto o descaso total também como vingança contra o nordeste, dada a mesquinhez do miliciano.

  5. O comandante da Marinha disse que provavelmente foi um dark ship o responsável pelo desastre ambiental.
    Pode apenas ter rompido o casco? Pode, mas os tanques e depósitos de navios são estanques, ou seja, não se comunicam.
    Isso no leva a crer então que ocorreu uma ação humana voluntária que permitiu o derrame de toda a carga.
    Por quê?
    Essa a grande questão.
    O navio estava indo a pique e teve que derramar? O navio foi a pique e vazou? Ou o navio foi avisado da presença de navios americanos que fiscalizam o embargo ao petróleo venezuelano e iraniano e cometeu o derrame para não ser apreendido?
    Pode ter sido um ato terrorista como afirma o governo? Pode. Mas novamente vem a pergunta por quê?
    O por quê nos leva a motivação de crimes dolosos e causas de crimes culposos.
    Quem teria motivação para atingir uma nação do continente americano seriam o Estado Islâmico ou a Al Qaeda que executou o atentado de 11/09.
    O Estado Islâmico foi grande exportador de petróleo enquanto esteve forte. Conhece toda a logística de transporte pirata. É especialista em usar meios de transporte como instrumento bélico, a exemplo dos carros bomba e dos aviões de 11/09 (estes usados pela Al Qaeda).
    Provocar um dano ambiental por toda a costa americana seria um ato bélico de grande porte. Erraram nos cálculos e veio parar em nossa costa? Ou onde atingisse teria cumprido o objetivo? Mas se o objetivo foi atingido e o desastre causado, por quê não foi usado como propaganda pelo EI? Seria anti propaganda, já que nunca fomos o inimigo a destruir e apontaria uma falha grave na execução?
    Concluindo, seja por causa dos embargos a Venezuela seja por causa da guerra dos USA ao EI, o fato é que estamos sofrendo as consequências de atos norte-americanos ou para atingir norte-americanos.
    E nosso governo foi incapaz de tomar uma decisão tomada pelo mais simples habitante das áreas atingidas: providenciar a contento e ao tempo necessários a limpeza possível.

    1. Os governadores dos estados nordestinos, já- já irão, compreender o que é guerra híbrida. Veja-se bem: A maior fonte de arrecadação destes Estados é o turismo. Agora vai ficar difícil pensar em ir ao nordeste e não poder desfrutar dos produtos do mar servidos nos hotéis,restaurantes e barracas de praia. Com dois verões com turismo em baixa hão de quebrar a economia da região. É o filha da puta gritando DELENDA PARAIBAS!!!

      1. Fonte de arrecadação no turismo ?? Principal ??? Você bebeu gás ou só se informa pela globonews ??

        A alfafa estragada vai fazendo vítimas…

      2. Acredito que muitos turistas já estão cancelando os planos e pacotes para o NE. Infelizmente, quem vai sofrer são os pobres, trabalhadores temporários que contam com essa renda no final de ano. Uma coisa posso garantir: aqui no litoral sul já estão se preparando para o aumento dos turistas nesta temporada por conta do desastre no NE.

    2. Sua teoria é muito fantasiosa.
      O mais provável e realista é que foi o próprio BOLSONARO que articulou com as FORÇAS ARMADAS (Marinha) e CIA/EUA, que conhecem muito sobre correntes maritimas, como FERRAR apenas o Nordeste, que VOTOU no PT e é contra bozo.
      E, de quebra, botar a culpa na Venezuela, inimiga visceral do bozo/EUA.
      Simples, não?!

  6. Jair Bolsonaro é um indivíduo psicopata. No sentido técnico mesmo. Um psiquiatra que o avaliasse chegaria a esse diagnóstico. Como tal, é muito provável que tenha sido ele o autor da ordem para derramar o óleo no mar. E isso por mera vingança do nordeste. O psicopata é mestre em fazer as coisas para culpar os outros, e isso por mera vingança.

  7. Que desastre!
    Bolsonaro e seus militares demonstram toda a incapacidade de agir fora da caserna.
    Foi isso que foi o golpe: o governo bolsonaro.
    Que desastre!

  8. Os milicianos jamais se preocuparão com o seu país. Seus interesses estão apenas nas arrecadações para seus membros.

  9. às vezes nas horas de desânimo, eu acho q só um asteróide para dar uma limpada e começar de novo, do zero. Só que não! Bozo, o anticristo já é o próprio asteróide, ele já está aqui ‘obrando’ e parece que vai ‘zerar’ tudinho

  10. Como não descobrem e o trem não pára, a mente viaja… será q não andaram perfurando (é uma profusão de empresas e nacionalidades) e largaram o treco mal tampado? Ou então a pressão do fundo.. Nos não temos marinha e força aérea q consigam dar conta de tanto território. Talvez até uma prospecção ilegal. Vigiar e fiscalizar não são o nosso forte. Em 7 dias, o óleo q já chegou a Salvador chegaria a Porto Seguro, ou seja Bahia toda comprometida. Lugar de mangue, ou seja, de procriação tem menos sal e o óleo afunda e gruda nas fontes de alimentos dos seres marinhos. Os coitados q vivem do mar, tentam desesperados, limpar o q podem e sem usar as devidas proteções. Vão ficar todos doentes pela exposição. Dizem q os efeito irão durar por décadas. Agora ‘só faltam’ ES, RJ, SP e SC. E aí praia só em Goiás (mesmo Minas perde um rio para a Vale de tempos em tempos) ou no Caribe. O governo cobra pelo sol. A comida com agrotóxico. Sobrou o ar, ou quase. E antes tivemos o caso da Amazônia q tb já comprometia o ar. Bozo é uma espécie de anticristo, até eu, ateu creio nisso. Ou o brasileiro vira de vez um ser ultra ecológico, quase um ‘Greto’ militante, apenas pela dor de agora ou mais um pouco e não irá sobrar nada

  11. Há fortes indícios de ATENTADO nessa estória do óleo nas praias do NE.

    Afinal , que é algumas toneladas de óleo cru para empresas que ganharam um oceano de petróleo.

    Motivos ?? Ora…precisa de maiores motivos que desgradar Tio Sam ??

    Consórcio Nordeste , visita a China, Hawei etc etc etc..

    De quebra, dão uma agradada no esbirro ….pois para ele, nordestino é tudo paraíba e cabeça grande ( no modo mais depreciativo possível ).

  12. O maior problema do Brasil não são os incêndios florestais nem o desastre do petróleo no mar.
    O maior problema do Brasil é isso que alguns, sem noção, chamam de “governo Bolsonaro”, tá ok?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *