Abril sem Civitas é uma antevisão da Globo sem Marinhos

Na prática, a Editora Abril fechou hoje. 

As portas continuarão sendo abertas, as revistas – nem todas – vão para as bancas, os anúncios continuarão – em menor quantidade – a ser postos em suas páginas.

Veja continuará a ter seu lugar nas salas de espera dos consultórios.

A editora, entretanto, deu seu último suspiro, encerrando uma trajetória que foi marcada por cumes e esgotos desde que a empresa, há quase 60 anos, lançou-se no campo do jornalismo, primeiro com Realidade, logo depois com a Exame e a Veja de Mino Carta.

É apenas uma questão de tempo para que seus títulos sejam encerrados ou vendidos, “avulsos” ou em lotes.

Ricos, muito ricos, os netos livram-se da carcaça da empresa que, durante os últimos 30 anos deitou regras sobre como o Brasil deveria ser dirigido e como deveriam proceder seus governantes, liquidou o império editorial criado por Victor e Roberto Civita.

Saem fazendo aquilo que dizem ser o horror dos horrores quando se trata de países, mas acham natural quando acontece com empresas: um calote de R$ 1,6 bilhões, em troca de pagarem apenas 8% do que devem, ainda assim a perder de vista, em 18 anos.

Imaginem o que aconteceria se o Brasil oferecesse aos detentores dos títulos de nossa dívida condições  apenas um décimo destas? Seria mesmo um “plano comunista” a ser enfrentado com intervenção militar, não é?

O comprador formal não importa, é um negócio entre bancos: os aventureiros do BTG Pactual de um lado e Bradesco, Itaú e Santander de outro, fazendo trocas contábeis de dívidas, fixando preços fictícios, providenciando ganhos com o calote em direitos trabalhistas e tudo o mais que se puder criar nos laboratórios de “soluções criativas” com que a picaretagem financeira hoje lida.

É bom que se observe bem este processo de esvaziamento do poder da Abril e, afinal, de sua morte.

Ele já está em curso com a Globo e os interesses representados por Edir Macedo – e estes interesses não são apenas os de sua Igreja Universal – percebem e estão bem posicionados para explorar todas as possibilidades que o novo governo lhes dá.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. Fernando Brito, torcendo pra que vc esteja totalmente recuperado. Mas como vc faz falta! ”

    “Saem fazendo aquilo que dizem ser o horror dos horrores quando se
    trata de países, mas acham natural quando acontece com empresas: um
    calote de R$ 1,6 bilhões, em troca de pagarem apenas 8% do que devem,
    ainda assim a perder de vista, em 18 anos.

    Imaginem o que aconteceria se o Brasil oferecesse aos detentores dos
    títulos de nossa dívida condições apenas um décimo destas? Seria mesmo
    um “plano comunista” a ser enfrentado com intervenção militar, não é?”
    Esses 2 parágrafos resumem porque vc faz falta. Soberbos!

    1. E depois de 4 anos, descobrimos o que Lula e Dilma sabiam realmente: BANDIDOS PODRES E CORRUPTOS, FORMANDO COXINHAS ALIENADOS E TONTOS QUE DESEMBOCOU EM 2018, DESTRUINDO UM PAÍS PROMISSOR PARA TRANSFORMÁ-LO NUM CURRAL DOS ISTEITES !

  2. A Globo segue ¨rifando¨ Bolsonaro, claro, quando defenestrado, ela se livra de Edir Macedo, leia-se Record, e ainda cai nos braços de Mourão, leia-se, anos 60, meados de sua criação pós golpe, ou seja, retorna ao velho ninho.

  3. Pode escrever. Este negócio vai dar calote. É só o comprador recebe 20% ou mesmo 10% da dívida num paraíso fiscal, vende o que pode, junta tudo e vai viver em qualquer lugar do mundo.
    Quem se ferra são os jornalistas

  4. O meu sonho de ver a falência da empresa Editora Abril se realizou. Mas infelizmente, os seus proprietários continuam milionários, à custa de golpes, fraudes, e calote nas indenizações trabalhistas.

  5. Não há como um dia após o outro com um dia no meio. É como dizem loá em Minas: Quem deve a Deus paga pro Capeta. Se estes herdeiros da Inveja pensam que sairão incólumes destas podem ir tirando o cavalinho da chuva. Vão perceber que nem tudo é dinheiro.

  6. Netos ricos e VAGAMUNDOS. Não estão nem aí… Estão muito bem… em Miami.

    Enquanto isso os otários e imbecis de sempre( aqueles dos 54milhões de voto), e o demais brasileiros são obrigados a pagar a conta desses salafrários!

    E podemos aguardar, vem aí a conta dos marinhos… aqueles do triplex da praia de Santa Rita em Paraty!

  7. Esperando ansiosamente os próximos da lista, a saber: Globo, Estadão, Folha de São Paulo…

  8. Em primeiro lugar parabéns por mais uma análise irretocável.
    Pensar no fim da abril e da decadência irreversível da globo é reconfortante no meio desse cipoal de imbecilidade, porém quando nos deparamos que isso resultará no armazenamento de força das empresas evangélicas, fica como sair da frigideira pra cair no fogo.
    O povo brasileiro permanecerá refém da ignorância. À desinformação política tendenciosa se somará a pregação evangélica tosca e gananciosa, visando a abolição do estado laico.
    Não há nenhum porto seguro sem a democratização da mídia, com uma lei que pulverize a propriedade dos meios de comunicação e reforce seu papel enquanto concessão pública.
    Muita saúde Fernando Brito e Lula Livre.

  9. Os trabalhadores que OBVIAMENTE serão lesados ,mas que em tempo dos delinquentes civita ,”VESTIAM A CAMISETA” DA EMPRESA ( que burriçe !!!)E AJUDAVAM A VEJA E COMPANHIA A DEFENESTRAR GOVERNOS POPULARES ,estão a se defrontar com a realidade.
    O “orgulho” que sentiam quando enchiam o peito e diziam ,” eu trabalho na Abril” ,foi pro cesto do lixo dos civitas.
    ALGUM DIA OS TRABALHADORES APRENDERÃO COM A CLASSE RICA,ELES SIM !!!!!!PRATICAM A LUTA DE CLASSES.

  10. do jeito q está já tá ruim, imagina então se o grupo globo cai na mão de uma fox?… aí, mesmo um governo q defendesse os in teresses nacionais não teria como tocar nos donos

  11. A General Motors, na década de 80, talvez tenha inaugurado esse tipo de saída para os grandes empresários… Se livram das obrigações trabalhistas… com o dinheiro visível, e até o não visível, mudam de ramo…parte da herança familiar são salvas em Fundações… fora a grana nos Panama Papers da vida…

    Nessa, quem “Perdeu!”, foram mesmo os Funcionários da Editora Abril..

    P.s: Quem quiser ver sobre a GM está no Documentário de Michael Moore: Roger e Eu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *