Adélio não vai mais precisar da faca

Adélio Bispo de Oliveira, o homem que esfaqueou o então candidato Jair Bolsonaro  em Juiz de Fora não iria precisar de faca, poderia usar um pistola comprada legalmente para o seu delírio assassino.

Aquele vizinho esquisitão, com quem você discutiu na casa de praia por conta do volume alucinante do funk, depois que todo mundo já estava “calibrado” nas festas de fim de ano, também poderia “ir lá dentro” buscar o trezoitão e sacudir na sua frente.

O ladrão que entrou na loja e  exigiu o dinheiro da féria também pode ter de encarar o trabuco que o caixa tirou da gaveta, legalzinho da silva, e o que era um assalto vira um tiroteio dentro do comércio cheio de gente.

E na briga de marido e mulher fica mais fácil terminar em tragédia, porque o “cospe-fogo” está à mão, ali na gaveta ou no armário.

Aquela gaveta ou armário que, um dia, vai ser esquecido sem trancar e o gurizinho vai “futucar”.

Ah, mas o bandido está armado e vai ter receio de te abordar, naquela rua deserta, porque você, agora, pode estar armado também. Não, negativo. A arma está liberada para tê-la em casa, não para voltar tarde da noite pela rua.

E em lugar de perder os 50 reais e o celular, você vai perder a vida, porque ele já chegou com o revolver apontado e destravado e você não vai carregar o seu sem trava, ainda mais com o histórico de tiro “nas partes” que o armamento mais barato tem.

São mil situações de desvantagem, perigo ou insensatez que o armamento generalizado traz.

Se em 10% dos casos a posse de um arma evitar um crime, sobram 900 em que ela trará tragédias.

E não adianta você ser um cidadão pacato, incapaz de matar uma muriçoca: balas não ligam para isso.

Hoje, são 33 mil armas registradas por ano. Mais 15 mil para “colecionadores” e atiradores “esportivos”. E bote outros milhares compradas sem registro por cidadãos Brasil afora.

Os estudos estatísticos, como o “Mapa de Armas no Brasil” do Ipea, concluíram que “há evidências que a difusão da arma de fogo concorre para o aumento da taxa de homicídios nas localidades e não possui efeito sobre a taxa de crimes contra a propriedade”.

A taxa de homicídio média das 20 microrregiões brasileiras com mais armas (legalizadas) foi  é 7,4 vezes maior do que nas 20 microrregiões com menos armas. Enquanto a taxa média de no primeiro grupo foi de 53,3 homicídios para cada cem mil habitantes, a do segundo grupo foi de 7,2.

Sérgio Moro e Bolsonaro, nossos césares, os que vão morrer vos saúdam.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

25 respostas

    1. Meu caro, eu não acredito!
      Isso é propaganda de guerra. São muitos os fatores que desmentem isso.
      O fuzil belga FAL, utilizado pelo nosso exército que usa a munição 7,62, tem um poder de fogo excelente. Seu projétil sai do cano a míseros 860 metros por segundo, com precisão de tiro até 1.600 metros.
      Esse fuzil, moderníssimo que eles usam hoje na OTAM são superiores, mais não tanto. Os melhores são os russos derivados do AK-47, usados por poucos países.
      Na distância que eles falaram, se você usasse um fuzil que utilizasse uma munição com carga para 1000 metros por segundo, ela atingiria o alvo a 3,5 segundos. Dessa forma, o alvo precisaria estar totalmente imóvel por no mínimo 10 segundos, talvez suficiente para preparar o tiro, com mira, cálculo de trajetória e ângulo ascendente e decrescente.
      Qualquer atirador sabe que um tiro desse tem que ser confirmado por um observador, daí eles terem dito que tem filmagem (a 3,5 km de distância).
      Tá mais fácil a mega sena.

      1. Ele usou um TAC-50, com distancia efetiva de 1800m. É um calibre .50, e uma classe anti-materiel, que pode inclusive perfurar facilmente veículos leves e com pouca armadura. Ele pode ter acertado sim. Mas é preciso muita habilidade e sorte, porque conseguiu praticamente dobrar a distância efetiva.

        1. São muitos os aspectos a serem observados num tiro desse, inclusive a mobilidade do alvo.
          A munição .50 é muito pesada para uma distância dessa.
          Se aconteceu foi muita sorte dele e muito azar do alvo.

      1. Sim…faca cenográfica não está descartada. Pode ter sido um “esfakeamento” para projetá-lo na mídia.

        Ele tem feito muito esforço físico, o que é estranho para quem teve um “rombo cirúrgico” naquela barriga.

    1. Aí, sim, ele seria mito.
      Um mito morto, mortinho da silva.
      E, como o clã gosta de dizer, Bolsonaro seria um bandido bom pois seria um bandido morto!

  1. Ah não, Adélio usaria faca mesmo que estivessem dando armas de graça. Faca foi a arma perfeita para um fake atentado.

    1. Não sei se vc assistiu o vídeo “A Facada no Mito Uma visão diferente sobre o atentado a Jair Bolsonaro “, no Youtube. Se não o fez, faça-o. No mínimo aumentarão suas dúvidas (que vc parece não ter – como eu)

  2. Se o aumento da violência for necessário para acabar esse misticismo que mais armas aumentam segurança, que venha o porte liberado. Citando Ben Franklin quem dá sua liberdade em troca de segurança, não merece nenhum dos dois.

    EUA, onde posse é liberada com pouca regulação, é o único país de primeiro mundo cujas morte por armas de fogo anualmente ultrapassam os milhares, registrando uma média de 14.000 mortes por ano, e 60.000 incidentes com armas de fogo. Para comparação, a polícia alemã disparou 84 tiros durante todo o ano de 2015, e apenas 9 deles resultaram em mortes.

    Se for pra acabar com essa idéia, que venha o faroeste. Gente burra só aprende na porrada pelo visto. Se a polícia brasileira que é uma das que mais mata no mundo não resolveu o problema de segurança, é o José, que trabalha como assistente administrativo que nunca deu um tiro na sua vida que vai resolver.

    1. A meu ver, o atentado foi uma baita armação e, se fosse devidamente investigado, daria muito pano para manga!

    1. Eu vou comprar um revólver e registrá-lo legalmente. Depois vou vestir uma camisa do pt (não que eu seja petista, mas é só para provocar de forma mais radical) e passear em lugares que eu sei que seria agredido. Então eu pego o meu revolver e atiro nos bolsomínions. Legítima defesa.

  3. Adélio, antes de tudo, fez adestramento de tiro ao alvo inclusive no mesmo lugar onde um dos bolsonaro treinava. A troca da bala pela faca foi um dos estalos mais decisivos desta película cinematográfica. A eleição foi decidida aí, embora seu fim fosse o mesmo de qualquer maneira.

    1. Sem contar que, a dona da pousada onde ele morava morreu e um amigo de um quarto ao lado, tambem morreu. Virose é complicado!

  4. Na verdade, o grande interessado é o latifúndio, inclusive para regularizar seus arsenais. O cidadão comum, em sua maioria não quer andar armado e muitos que querem terão de encarar os preços salgados de uma boa arma

  5. Dentro do espírito de seu texto, lembramos que o ex-governador Gerson Camata foi morto por Marcos Venício Moreira Andrade, um homem tranquilo e com bom senso de humor, que foi conversar com o ex-governador ‘numa boa’. Enfim, um homem de bem.

  6. Bozo & Loro cumprem o que prometeram para seu eleitorado, governarao apenas para eles, nós todos aqui estamos excluídos. Como na República Velha , questáo social é questao de polícia ( https://www.revistaforum.com.br/antes-da-clt-a-questao-social-era-vista-como-caso-de-policia/ ).
    Cabe a nós pagarmos regiamente nossos impostos e nos calar , o governo deles é para eles e ponto final. Quaisquer outras argumentaçoes serao resolvidas na bala !
    Enquanto nao houver disposiçao e organizaçcao para a luta, o show continua !
    Porém, a História é pródiga em exemplos , o cipó de aroeira um dia volta no lombo do feitor…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.