Aos meus amigos brizolistas que votaram Ciro

Não é segredo que minha origem política, desde 1981, é o PDT.

Foi meu encontro com os espaços democráticos, porque a política, antes, sob a ditadura, só podia ser feita nas organizações clandestinas, arriscando vida e liberdade, o que eu e muitos dos meus contemporâneos fizemos, certamente menos por coragem que pela força incontrolável da juventude.

Tenho, portanto, no partido inúmeros queridos amigos, gente da qual sei a honradez e a entrega à causa do povo brasileiro. Os caminhos políticos que tomei, depois de 22 anos como pedetista, em nada deles me afastam e, aos que se lembram de mim, sabem o quanto tenho de criticas ao PT. Críticas, não ódios.

Todos vivemos a dor e a decepção de 1989. Sabíamos, e estávamos certos, que Brizola era quem deveria estar no enfrentamento com Fernando Collor naquele segundo turno. Sabíamos, sim, mas sabia muito mais o próprio Leonel Brizola, que dedicou sua vida à transformação do Brasil de uma colônia em uma nação à altura do que podemos ser, com um povo que merece justiça.

Todos nos frustramos, sim, mas sou testemunha de que Brizola, como ninguém, colocou à frente da frustração tanto os seus deveres para com o Brasil quanto a sua democrática submissão à vontade popular. “Socialista é o povo” – ele dizia, lembram? – “nós somos apenas aprendizes do socialismo”.

Participei intensamente daqueles dias, honrado pela sua confiança ao colocar-me – a um garoto de 31 anos, então – ao lado de Cibilis Viana e Vivaldo Barbosa, para negociar os termos de sua aliança com Lula no segundo turno, com uma representação do PT composta por José Dirceu, Luís Gushiken e Plínio de Arruda Sampaio.

Nunca discutimos posições que os pedetistas teriam num eventual governo Lula. Havia uma restrição ao vice de Lula, José Paulo Bisol, e Brizola exigiu dele distância, mas não misturou isso ao dever de compor a frente de batalha. Ao lado dele, em seu apartamento em Copacabana,  assisti ao debate final entre Collor e Lula, com o coração apertado pelas baixarias do “caçador de marajá” que abalaram o petista.

Minutos depois, Lula chegava por lá, e não houve palavra de crítica, nenhuma, senão abraços e solidariedade.

Relembro esta passagem para, aos meus amigos, dizer que uma das marcas do brizolismo, por sua fidelidade ao Brasil e ao seu povo, é a da generosidade ativa.

Não éramos – e espero que todos ainda sejamos – homens e mulheres de “meias-paixões”, de casamentos de conveniência, de arranjos hipócritas. Menos ainda de nos escondermos.

Somos a chama, somos o orgulho forjado por gerações, somos o fio da história que teima e teimará em seguir sua trajetória, sem descansar enquanto este país não for livre e feliz.

Não discuto se Ciro poderia representar isso melhor do que Lula ou Haddad, essa é uma consideração passada, página virada pelas urnas, que nós sempre respeitamos.

Ele tinha o direito de candidatar-se, como fez, e tem agora o direito de “lamber as feridas” do processo eleitoral.

Mas, mais do que de nós, que nos apartamos de sua candidatura e mais de vocês, que a sustentaram apaixonadamente, é que tem de partir o chamado, chamado do qual Brizola não precisaria.

Venha, Ciro, venha a tempo de vencer ou morrer conosco.

Um homem da sua estatura não pode ser uma “Marina”, que mia desculpas para se omitir apenas dizendo “não” ao fascista, mas evitando o combate contra o fascismo na única forma que ele agora tem.

Tergiversar na batalha decisiva é uma covardia que um brizolista de verdade jamais terá.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

75 respostas

  1. Gestos de grandeza como este de Brizola explicam o gigantismo de sua estatura política. Ele será sempre lembrado em nossos corações e mentes. No esgoto da política ficarão os protozoários do ressentimento, da inveja e da vingança pessoal.

    #HaddadSim

    1. Meu pai tinha pavor do Brizola. Eu nunca entendi o porquê. Falava da fazenda de ovelhas dele no Uruguai (fake news e gente caindo nela nunca foi novidade, isso pra mim era caô), q ele fugiu fantasiado de mulher (logo o velho caudilho, c/ aquela carranca feia…), os CIEPs eleitoreiros, posicionados onde n tinha criança mas tinha visibilidade… E a tal da corrupção. Ah, a corrupção! Eu já ouvia falar disso em 1982, ainda com uns 8 anos de idade.

      Mais velho, cheguei na adolescência e na juventude. E como todo jovem, resolvi ser “do contra” e procurar informações sobre o velho caudilho. Conheci Darcy Ribeiro. Grande homem. Gênio da educação. Vi sobre o projeto dos CIEPs, entendi que não era eleitoreiro (apesar do q considero um erro aquelas paredes até a metade – já dormi em um CIEP). A tal fazenda? Era um sítio de final de semana. E ele precisava se manter também, não viveria de brisa. Vi o q ele fez no Rio, no 2o mandato, como a Linha Vermelha (e eu já era aluno da UFRJ, me foi útil p/ ir e voltar pra casa). Minha esposa é professora II do Estado do Rio, entrou no último concurso feito no mandato do Brizola. Ela entrou quase pós-adolescente, formou-se no ensino médio, fez a prova, entrou… Não ouse falar mal do Brizola pra ela, ou pra família dela. Uma família cheia de professoras que agradecem muito à ação do Brizola por elas. Assisti atônito o direito de resposta q ele ganhou em cima da Rede Globo, com Cid Moreira lendo laconicamente o texto. E ali entendi de forma cabal como a Globo é nojenta. Nunca mais vi a Vênus Platinada do mesmo jeito. Aliás, já há algum tempo, vejo nada deles.

      Hoje vejo um homem com erros e contradições. Como qualquer pessoa. Mas alguém que aprendi a admirar pela sua resiliência, seu amor pelo país, pelas ideias e pela sua garra. E aquela fala, única dele!

      Meu pai? Bem, ele diz q o Brizola perdeu uma ótima oportunidade de se candidatar a senador, em 1998: “Eu votaria nele, sabe? Já pensou, ele no Senado? Se tivesse TV Senado naquela época teria sido muito divertido de assistir”.

  2. O PT nunca me enganou.

    Sabe por quê?
    Porque eu leio, me informo, busco estatísticas, metas do governo, ano a ano. Porque acompanho os bastidores da política e os passos das aves de rapina que, há décadas, gastam o piso do Congresso Nacional, com seus sapatinhos italianos.

    O PT nunca me enganou porque conheço bem a história política desse país. Quem é quem, quem é filho de quem, quem é herdeiro de qual capitania hereditária desse chão sem fim.

    O PT nunca me enganou porque olho pra gente nas ruas. Reparo que crianças sumiam dos semáforos, dos canaviais, da beira de estradas da prostituição infantil e ganhavam o mundo e os sonhos, em bancos escolares.

    Eu lia quantos carros haviam sido vendidos naquele ano, quantas TVs, geladeiras, freezers, celulares e computadores. Via quarteirões inteiros, antes terrenos, com casas erguidas na praia. Tudo coisa fina.
    No aeroporto, pego de 4 a 8 voos por ano. Eu via negros a bordo, com duas, três crianças pequenas. Nordestinos humildes na sala de embarque, procurando o desembarque perdidos, como se fosse a primeira vez das suas vidas voar pelos céus do país. Coisa que não via. Me enchia de alegria.

    O PT nunca me enganou porque, de uns anos pra cá, quando chovia, menos gente morria soterrada em barranco, levada por enxurradas.
    Porque quando acabava o ano, os shoppings estavam cheios e, no supermercado, a gente via as mulheres de limpeza, levando perus e cerejas pra ceia de Natal das suas casas.

    O PT nunca me enganou porque via, cada vez mais, mais jovens pobres nas faculdades. Porque meus próprios irmãos e primos, estavam cursando ensino superior, após os 30.

    O PT nunca me enganou porque eu gosto de ver, sentir, ouvir e me relacionar com gente. Gente preta, gente pobre, gente humilde… Não vejo TV, não vejo novela. Gosto de ouvir a vida da boca do povo. Eu via, eu ouvia, eu sentia. Nossa gente estava feliz.

    O PT nunca me enganou porque tem obra aqui do lado de casa. Durou mais de 6 anos a obra. A peãozada toda se reunia na hora do almoço, na rua, pra papear e tomar um solzinho do meio-dia. Era alegria.

    Foi sair Dilma, os pedreiros sumiram. O sinal voltou a ter menino limpando para-brisa. No Natal, já via as mulheres da faxina discutindo o preço do frango, do ovo.

    O PT nunca me enganou. É difícil governar um país tão extenso e desigual. Combatendo interesses de poderosos, mesquinhos e perigosos. Enfrentar as salas e bastidores do poder que sempre teve dono – o rico, o milionário. Contar com o apoio do povo que a TV envenena contra si próprio e seus interesses.
    É difícil governar um país na mão de pastores e mentirosos. Que ora saúdam o senhor pela “riqueza alcançada”, ora pregam ódio pra disfarçar a volta da miséria que apoiaram.

    É difícil governar um país, onde a classe média tem empregadas domésticas e senzalas que chamam de “quartinho”, ainda hoje. Quando chega a alforria pra esse povo migrante e trabalhador, a carteira de trabalho, a fixação da jornada, extra, férias, fundo de garantia, essa classe média abre fogo, abre guerra.
    Quando chega a oportunidade do filho do pobre mudar seu destino, o empregador de mão-de-obra barata, no campo, nas indústrias, nos comércios e até nas casas “de família”, abrem fogo, chamam à guerra.

    Esse povo triste, desolado e abatido que hoje encontro, cruzando na rua comigo, nos supermercados, no elevador dos prédios comerciais, o PT nunca enganou. Se teve alegria, iria durar até o certo dia que os mais afortunados tolerassem.
    E, aquela gente pobre toda zanzando, alegre, com a boca escancarada, cheia de dente que o dentista consertou, eles nunca toleraram. Nunca quiseram enxergar. Nunca quiseram saber de suas vidas. Nunca deram liberdade pra essa gente comer a comida do patrão, subir pelo elevador social, frequentar a casa como amigos dos seus filhos.

    O PT nunca me enganou. O Brasil sempre foi dividido por preconceitos. Não bastava ser rico, se fosse preto. Ser branco, se fosse pobre. Ser nordestino, branco e rico, vá lá.

    Sempre acompanhei a política e o vai e vem das cadeiras. Sei bem como as coisas funcionam no Brasil e o lugar que nos reservam, é sempre à margem. Nunca odiaria um partido, nem ao PT lançaria todo meu ódio. Ódio é coisa de quem não quer tomar o olhar da realidade pra si.
    O PT, por melhor que tentasse ser como partido, como representante dos nossos sonhos, somos nós os que têm que sonhar.
    Se não sonhamos com igualdade, dignidade, direitos e com a alegria do nosso povo, só nos é merecido viver um pesadelo juntos.
    (MALU, Malu Aires)

    1. Me explica aí, já que sabe de tudo (ou pergunta pra Malu). Porque os militares estão tão oriçados desde 2013?

    2. emocionante texto…mas eles com 5 anos de propaganda mentirosa enganou via Dutos diários no JNazi e enganam ainda agora pelo fatídico Zap e FB (coordenado por gente de mau caráter acionando robôs) através de memes e fake news nos grupos familiares

    3. Muito bem. Não aguento mais essa viola de PT tem que fazer auto-crítica, devo fazer algumas críticas ao PT.

      1. Ninguém poderá responder a esta sua dúvida. Pergunto-me, se o debate final entre Lula e Collor não tivesse sido editado pela Globo, Collor venceria também?

        1. A Globo não gostava do Brizola. Por todas as circunstâncias, Collor seria eleito. Tudo foi armado para isso.

        2. Em 1989, não houve derrota de Lula nem vitória de Collor. O que houve foi vitória da Globo e derrota do Brasil!

      2. As pesquisas da época diziam que sim, Brizola venceria. Como ele era o único que assustava a globo, na reta final eles sabotaram Brizola de todo jeito, inclusive “liberando” seus artistas para apoiarem Lula, que acabou vencendo por uma diferença de 400 mil votos.

  3. Será que o Ciro, depois de torcer para Lula ser preso, agora torce para que o coiso, caso eleito, faça muitas besteiras para que ele Ciro seja lembrado? Ou torce para que o Haddade, caso eleito, não consiga governar, e ele Ciro ser lembrado? Se for isso, é um péssimo analista, está jogando fora uma oportunidade de ouro de mostrar que pensa no País, diante de uma ameça de termos um fascista “legalizado” pelas urnas.
    Acho que Ciro não tem dimensão para estadista, ainda não saiu do PSDB.

    1. Ele, como Marina, já está pensando na próxima.
      São o que, no campo, chamamos de cachorros-ovelheiros, os cães que aprenderem a comer ovelhas. E, lá, se diz: ‘cachorro comeu a primeira ovelha, pronto, só matando’.

  4. Nenhuma palavra dos senhores sobre a trama meticulosa do líder supremo petista pra destruir a Campanha do Ciro. Por pura vaidade, desejo de poder, de nao perder o protagonismo das esquerdas. Lula sabia e sabe que Haddad é fraco eleitoralmente. Sabia que haveria um grande risco de perder. Sabia que Ciro teria muito mais chance. Não pensou no povo brasileiro. Preferiu arriscar por o país nas maos de um psicopata fascista do que perder a pecha de ser um deus para os seus seguidores. Ciro já apanhou muito do PT. Uma hora cansa.

    1. Não interessam as “magoazinhas” do Ciro com o PT. A partir do momento em que ele se dispôs a ser candidato representando a esquerda, perdeu o direito de abandonar a luta pela metade. Desonrou os votos que recebeu. Se o meu fosse um deles, estaria furiosa (como estou agora com o Haddad e sua apatia).
      Outra coisa: Haddad ter sido escolha de Lula é ponto controverso. Prova de que Lula não manda tanto no PT como seus detratores acreditam. Afinal, se fosse o “tirano” que dizem que ele é, teria se candidatado em 2014. Assim como o saudoso Brizola, Lula entende que “socialista é o povo”. Infelizmente, nem todos no PT concordam…

  5. A militância mais jovem e alguns mais experientes não querem.
    Mesmo porque, Lula já disse que Haddad cumpriu o seu papel.
    Isso mesmo. Verbo cumprir no pretérito perfeito.

  6. O companheiro YnNy disse em poucas palavras a realidade traduzida na dialética dos fatos que observamos. O Ciro nunca foi Brizolista. O Ciro é cirista e, como tal, foi para a Europa, talvez lavando as mãos, como Pôncio Pilatus, ou como Nero, tocando lira ao observar, do seu palácio, a cidade de Roma em chamas. Alea Jacta Est. Os dados estão lançados.

  7. Votei Haddad assim como toda minha família. Convenci alguns familiares, indecisos entre Ciro e Haddad, a votar em Haddad. Tenho amigos aqui no RS, que foram de Ciro, por ser o candidato do PDT, de Brizola, e que agora irão de Haddad. Ao contrário do primeiro turno, considerando o expressivo número de votos de Bolsonaro no meu estado e infelizmente em todo o país, estou fazendo o que posso para mostrar para as pessoas quem é o Bolsonaro e lembrá-las de como era o tempo do governo do PT. Falo com os indecisos, desinformados, que acreditam em notícias falsas. Embora, entre meus conhecidos, tenha um grande número de pessoas que irão de Bolsonaro e que só sabem repetir que o PT roubou e quem apoia o PT é ladrão. Em palestra essa semana em minha faculdade, após a palestrante lembrar que certo candidato votou contra o direito dos empregados domésticos, os eleitores do Bolsonaro, retiraram-se reclamando que ela era PT. Outros muitos conhecidos, que usufruiram e usufruiem dos programas sociais criados pelo PT, votaram em Bolsonaro, por não ser, segundo eles, corrupto. Eu, como diz o ditado, não sou como porco, que come e vira o coxo. Conheço a história de vida de meus pais e conheço a história do país, sei, que se tenho uma boa vida, com perspectiva de um futuro próspero, devo isso aos governos petistas.

  8. Ciro tá querendo virar uma nova Marina. Nos momentos mais complicados da Política brasileira, não se faz presente. O resultado foi Marina ter tido menos votos do que Dacciolo.

      1. Ele fazia isso enquanto ainda tinha esperança de ser candidato apoiado por Lula. Depois que essa aliança não se concretizou, foram vários episódios de “omissão”, como dizer que o processo fajuto da Lava Jato era legal.
        É cada uma…

  9. Votei em Ciro. Humildemente, posso dizer q fiz várias pessoas votarem em Ciro. Mudarem seus votos para votar em Ciro. Entendia q precisávamos sair dessa polarização q estigmatizou o PT. Esse ódio, esse antipetismo q contaminou o pais, parindo o fascismo q hoje ameaça a democracia, direitos e vidas. A midia ê a grande culpada. Existem outros, tão culpados quanto a midia, o Judiciário moro com supremo e tudo e o MP, pé no saco, royalties para o general saudoso da ditadura. Não se aveche não, general, seus tempos aureos estão retornando por meio de um Capitão. E, com a morte da democracia, o MP, pé no saco, morrerá junto para parar de encher o nobre saco militar. Mas, voltando ao Ciro, eu, infelizmente, defendi Ciro como o melhor candidato para esse momento critico porque entendi q Ciro não só era o mais preparado intelectualmente, mas estava a altura da missão de conduzir o Brasil, apos o golpe q levou temer ao poder. Ciro tambem ajudaria a retirar o foco de cima do PT e de Lula. A instituição em que trabalho deu apoio oficial ao Ciro. Hoje, sei q foi um enorme engano. Pior induzi outros ao engano. Ciro, ao lavar as mãos feito pilatos, ao fugir da luta, uma das maiores q esse país jamais enfrentou, mostra q não estava a altura da missão. Colegas meus já me alertavam antes. Diziam q eu estava enganada. Alertavam para não me deixar enganar por Ciro, seu passado o condenava. Um homem egresso da Arena, q sustentou a ditadura, não podia ser um democrata, ter a confiança de quem sempre lutou contra o autoritarismo. Eles estavam certos. Pedi perdão aqueles que convenci votarem em Ciro. Menos mal e q o voto nele, serviu para levar a luta para um segundo round. Ao menos isso. Se a democracia vencerá ou não, não sei. Não se trata agora do PT, Lula ou Haddad. A democracia é q está sob ameaça. Mas com certeza sei q Ciro NUNCA MAIS. Podem apostar q ciro mais uma vez abandonará o barco, o partido PDT. É da sua índole fugir. Saudades do Brizola.

    1. Ana, a retidão de caráter que você demonstra com seu texto tem sido artigo raro no Brasil de hoje. Se lhe serve de alento, eu também passei por processo similar em 2010 com Marina Silva. Depois daquela eleição, prometi a mim mesma que nunca mais seria feita de boba, o que me fez buscar informações na internet e me deparar, entre outros, com este Tijolaço. Há males que vêm para o bem…

  10. Declare seu apoio, Ciro (como já o fez). Mas não suba ao palanque com quem não tem interesse em você. O PT quis seguir por esse caminho e nos colocou nesse beco sem saída. Agora eh hora de juntar os cacos e daqui 4 anos você, Ciro, será o candidato da esquerda, já que o PT conseguiu queimar seus cartuchos e jogar o nome do Haddad no lixo. O pt foi mesquinho demais para querer ser vice ou compor chapa,l contigo e dar um tempo do poder, então agora não adianta associar seu nome ao pt e com essa rejeição imensa que ficou provada nessa eleição. Temos que pensar no futuro, já que o pt conseguiu estragar o presente pela soberba

    1. Ah, se não fosse trágico, eu riria sozinha de quem, como Ciro, Marina e você, acha que teremos eleições em 2022…

  11. Ciro me saiu o grande calhorda que eu já desconfiava que ele era. Ainda bem que fiquei firme com Lula, Haddad e o PT ate o fim.

  12. Para entender Ciro Gomes, um perfil Tucano-Bolchevique, personalidade acima de siglas e empreendimentos partidários, talentoso analista,
    experiente político, por suas atuações executivas,deve ter seu crédito reconhecido. Mas sua trajetória, PDS ao PDT, passando pelo PSDB, PPS,
    integrando o governo Itamar, gerindo a implantação do Plano Real, instrumento dos rentistas, que trocou a emissão de moedas pela de títulos,
    a juros que FHC elevou às alturas, aumentando a dívida herdada em 10 X, recomenda menos presunção e mais humildade. Ciro, no entanto, não demonstra “inteligência emocional” na interação política e menospreza a história de Lula, em seu crescimento e amadurecimento de uma liderança, oriunda dos mais pobres, na construção do maior partido organizado de nossa história, com virtudes e defeitos, acertos e erros, bem como na principal Centra Sindical(CUT) e na motivação de outras entidades sociais. As suas vitórias eleitorais, após 3 derrotas consecutivas, permitiram acesso e sucesso na gestão de instrumentos de políticas públicas e sociais. Reciclou a Era Vargas em novos tempos.Brizola e Lula precisavam fazer auto-críticas diante do Golpe de 2016, em andamento. O balanço de suas histórias é valioso patrimônio político.
    UmHA DDÁDiva ao Povo Brasileiro.

  13. Nos momentos decisivos é que se vê quem realmente tem valor. De FHC eu não esperava nada, Marina tem medo de se posicionar contra o Coiso#EleNão porque tem medo do hipócrita Malafaia, mas do Ciro eu tinha como certo seu apoio ao Haddad no segundo turno… mas até agora esse importantíssimo apoio ainda não veio. Enfim, é como vc disse, espero que a covardia não prevaleça nesse momento crucial para o futuro do Brasil.

  14. Se o PT estivesse realmente preocupado em combater o fascismo eu até entenderia uma cabrança para um mergulho de Ciro na campanha. Mas nessas eleições o PT mostra que manter o poder e a liderança da esquerda são mais importantes que quaisquer coisas.
    Ciro não conseguiu os votos que conseguiu por sua personalidade, pelo contrário sua personalidade faz com que ele perca votos. Ciro conseguiu os votos que teve pelo projeto de país que ele mostrou para os brasileiros, subir em um palanque com o PT não vai mudar a cabeça das pessoas que votaram em Ciro. Vou de PT sem dúvidas nesse segundo turno, mas não tenho esperança nenhuma de que o PT consiga fazer um governo minimamente satisfatório.

  15. Perfeito, Brito. Você alimenta a nossa luta. Esquerda uni-vos! Me espanta os ciristas ficarem tergiversando e não admitirem que Ciro deveria estar aqui lutando pela democracia. Esse racha da esquerda é ridículo e só beneficia bozo.

  16. Com relação a Ciro e ao PDT, não podemos pensar muita coisa boa, afinal, o Cearense não faz questão de prezar partido nenhum. Ele se encosta naquele que melhor lhe apraz, e depois abandona-o, porque nesse mister ele nem pode ser considerado um político. Ele é ele e suas circunstâncias. Esse papel de fujão nu momento em que o nosso país vive um momento tão complexo, talvez mil vezes pior do que em 64, antes da implantação do regime de chumbo, está cheirando muito mal.
    Ciro não é uma criança que precisa de conselhos de pai e mãe para reconhecer suas responsabilidades. O problema é saber por que essa postura, e o que se passa em sua cabeça.

  17. Brito,
    num de seus textos você afirmava, desejando, certamente, que Ciro teria no máximo 3% dos votos, e que teria como única proposta o spc. Nesse texto registrei meu comentário que, mais que cinismo, sua face Fernando Dinah chegara à má-fé. Pois bem, o que lula e seus paus-mandados fizeram com Ciro durante a campanha é típico de gente sem caráter, desses que fazem do vale-tudo seu cotidiano. A presidente nacional do pt definiu: “Ciro, nem com reza brava!”. Direito dela, diriam os petistas fanáticos.
    Também a presidente do partido, a mando de lula, negociou a neutralidade do psb, golpista que instalou base em Brasília para intimidar e ameaçar parlamentares do partido, com a retirada compulsória da candidatura do pt ao governo de Pernambuco, com o único objetivo de impedir a coligação com o PDT, evitando que Ciro acrescentasse tempo de propaganda, fundo partidário e base eleitoral a sua candidatura. Direito dela, diriam os petistas fanáticos.
    O mesmo modus operandi foi utilizado pela direção do pt, sempre a mando do “gênio” da estratégia, o semideus, para afastar pp e pr de possível coligação com o PDT. Direito dela, diriam os petistas fanáticos.
    Os sites petistas Tijolaço, DCM, Brasil247 e outros dedicaram matérias diárias e refestelaram-se atacando Ciro por suas ideias, palavras e comportamento. Direito deles, diriam os petistas fanáticos.
    Pois bem, acabou o primeiro turno. Apurados os votos, Ciro teve mais de 12%, contrariando o desejo de petistas e ex-pedetistas recalcados, que, diariamente, escreviam “Ciro um dígito”, “Ciro 4%”, até Fernando Brito, repito, jogando pra galera, afirmar que Ciro não passaria de 3%.
    Portanto, petistas, fiquem com o Rui Costa Pimenta e seu pco, tão elogiados e exaltados por vocês; com pstu e psol que já aderiram à campanha petista e também com o apoio do PDT e a declaração pública feita por Ciro de #Elenao. Vocês pisaram na bola, viram-se vencedores antes da hora, ignoraram e debocharam de Ciro, que esteve, de 2002 a 2016, ao lado de lula, na alegria e na tristeza. No mensalão de 2005, sobretudo, quando alguns petistas traíras saltaram do barco, Ciro lá permaneceu até a estabilização do governo. Deixou o ministério, mostrando desde então que não precisa de boquinha, especialidade petista. Prosseguiu apoiando, culminando, no impeachment de dilma, por contribuir com 2/3 dos votos do Ceará para tentar barrar o desfecho que assistimos. Foi o único estado. Nem nos estados governados por petistas isso ocorreu.
    Agora, os petistas querem dar em Ciro o abraço do afogado.
    Ciro não é tolo de ouvir esse canto de sereia de liderar a centro-esquerda em 2022, com pt, com tudo.
    Lula e petistas acham feio tudo o que não é espelho. Dão pernada, dão cabeçada, dão rasteira e quando se dão mal, partem pro mimimi, pro coitadismo, pra autovitimização.
    Ciro sabe, por teoria e por prática, que a escumalha petista não apoia ninguém!
    70% do povo brasileiro não votou no pt.
    Mas lula e o pt fizeram o que era direito deles.
    Por isso Ciro faz e fará o que é direito dele, e conta com o apoio de seus eleitores para deixar que o pt, que queria tudo, fique com 100% de nada!

    1. Parabéns pelo comentário, principalmente por citar um dos textos do Brito. Quando eu li aquilo dos 3% achei que era alguma piada.
      A natureza do PT é a do escorpião. Espero que a Gleisi já tenha encomendado a reza braba.

  18. Nós da esquerda nos orgulhamos de conhecer história, mas não aprendemos com ela, estamos cometendo o mesmo erro de 89 que brizola previra na época. Claro q o Ciro vai subir no palanque do pt daqui pra frente, mas não sera suficiente infelizmente.

  19. Com certeza voce tem razão de estar magoado. Mas, por enquanto eu te digo: calma, Brito. Calma.

  20. Ai esta,sr.Britto,um de nossos muitos defeitos.Qual seja,sempre somos algo,que se apega ao GETULISMO,PERONISMO,ALLENDISMO,LULISMO DILMISMO,BRIZOLISMO e tantos exemplos que estão por ai.O Sr.Leonel,que tanto admira,deixou-lhe uma LIÇÃO,que o senhor até hoje,custa assimilar.Socialista,é o povo,nos somente somos admiradores do que o povo é.Deixou-lhe,em 89,a LIÇÃO DE QUE TODOS NOS,DEVEMOS SEMPRE,APOIAR PROGRAMAS CUJO CONTEÚDO MAIOR,SEJAM POLÍTICAS VOLTADAS PARA AS MAIORIAS.E como no Brasil,as MAIORIAS desde sempre,foram os pobres,o sr.Leonel apoiou naquela época,o MELHOR PROGRAMA EM DISPUTA.Mesmo tendo sido preterido pelo POVÃO.Eu curei dessa doença.ha algum tempo,e as vezes,sofro alguma recaída.Mas estou sempre vigilante.

  21. Tentar enxergar um Brizolista em Ciro é muita, mas, muita esperança. Esperança além da conta.

    1. Na minha terra isso tem outro nome: má-fé. Brizola não merecia ver seu partido transformado nisso que está aí…

  22. Aí gente! Já viram o calendário? Faltam QUINZE dias para a opção entre a civilização e a barbárie, entre a democracia (capenga, é certo, mas…) e a ditadura militar! Tamo junto! Não mais mea culpa nem acusações, estéreis e inócuas. Roupa suja se lava em casa. Bem, o Ciro e o FHC lavam as deles em Paris, fazer o quê…

  23. Acho curioso que todos amam falar em críticas ao PT. E até tu, Brito entrou nessa. Quem é o perfeito??? Atire a primeira pedra.A impressão que tenho é que as pessoas para desculparem sua possível adesão ao PT, devem falar em críticas. Veja o que virou seu PDT , o PDT de Brizola. Um belo exemplo é o Buarque,que atualmente está em outro partido

  24. Pois é tem gente que quer que o PT faça auto-crítica, mas não quer ser criticado. Que beleza!!!

  25. Realmente, bem parecido com 1989: aquele ano era para ter ido o Brizola para o segundo turno, mas não deixaram, sabiam que Brizola seria uma pedra no sapato, os apoiadores de Collor acharam muito bom que fosse Lula o candidato a ir para o segundo turno. Deu no que deu. E agora vai ser a mesma coisa, não tem muito o que espernear. De fato, já virou consideração passada, página virada, o que poderia ser feito antes não foi – só os religiosos dessa nova religião não veem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.