Bolsonaro e a hora de desagradar

Não se sabe se já será anunciada hoje, na primeira reunião da trupe ministerial, a proposta de reforma previdenciária.

O Globo, porém, antecipa o que  seriam as medidas propostas e, na essência, uma versão ampliada do projeto de Michel Temer que a gravação de Joesley Batista congelou.

As coisas são ainda muito vagas para que se possa analisar, mas é evidente que algumas coisas estão sendo postas apenas para que possam ser retiradas, como a proporcionalidade do  Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago aos 65 anos a idosos e deficientes da baixa renda para 50% ou 60% do salário mínimo, o que não passa nem neste Congresso.

A crueldade é grande e o efeito financeiro, pequeno.

A história das pensões proporcionais vai, de novo, dar panos para manga. E o tratamento diferenciado aos militares, neste governo, terá um sabor corporativo muito maior. Reduzir o ganho das castas privilegiadas, especialmente juízes e promotores, depois de terem arrancado um naco de 16% de aumento, parece ser missão mais difícil do que a da sonda espacial chinesa que pousou do lado escuro da Lua.

O projeto, se sair, sairá para ser depenado nos próximos meses, em busca de uma aprovação de “qualquer coisa”, pois o governo não pode se dar ao luxo de ser derrotado.

Até Míriam Leitão, defensora do caminho mais selvagem para a reforma diz, hoje, que Paulo Guedes errou em já colocar que, no caso de derrota, cortaria as verbas parcas da Saúde e da Educação:

“Na hora de explicar como resolver [o déficit público], Guedes cometeu um deslize político. Disse que a reforma da Previdência será enviada [ao Congresso], mas se não for aprovada será mandado o projeto de desindexação de despesas. Na verdade, as duas reformas são importantes, a previdenciária e a orçamentária. Um ministro da Economia não pode dizer que sabe o que fazer se a reforma da Previdência não for aprovada. Simplesmente não pode considerar essa possibilidade de derrota, porque ela seria desastrosa demais.”

Tem que dizer que o país vai quebrar, nunca menos.

Pé atrás, fingindo que acredita, também ficou o mercado com a promessa de cortar para 20% do PIB a carga tributária. Simplesmente não acontecerá, com um governo que já nem tem para fechar as contas abrir mão de um terço de suas receitas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

20 respostas

  1. mas não foi provado em estudo feito pelo (ou no) Senado que não existe déficit?

    esse assunto já tá pra lá de bagdá

  2. Destruição…..destruição ….destruição…e não há eleições viciadas que apague isso…

  3. Mais do mesmo, o governo Bolsonaro será um governo Temer verde oliva e com mais ódio do Povão.

    E eu aqui só observando a merda que seu voto de ódio fez com o Brasil e com o(a)s brasileiro(a)s.
    #VemChumboGrossoPorAiNoLomboDoPobre

    1. Quer saber? Quero mais. Conheço pobres, pretos e aposentados que votaram no Bolsonaro. Já começaram a sentir na pele o preço de seu voto. E dá-lhes Bolsonaro.

  4. É só o começo. Será um fim de semana inteiro de maldades, que se prolongarão pela semana vindoura. Agora, já que eles consideram até a Avon como sendo comunista, então… Se este governo vir a ser de gente radical puro sangue de direita, e todos os cargos ficarem apenas com quem possuir atestado ideológico de direitista, então isto implicará, sem qualquer dúvida, em dividir completamente o país. Tem muita gente da própria direita que não quer atestado de direitista bolsonariano. A tendência inevitável será a consolidação de uma oposição tão poderosa que o governo não poderá fingir que ela não existe, e terá de negociar com ela. Será um formidável tiro de canhão no pé.

    1. Esse tal “blocão” oposicionista é tão propício quanto o Saci andar de patinete.

      Mais da metade dos partidos no Congresso eleito para a nova legislatura, são fisiológicos e/ou de centro-direita.

      Se considerar que até boa parte do PDT e do PSB, planejam fazer a tal da “oposicao Programática” (ou seja, bunda-mole) ao protofascista, sobrarão nesse trabalho hercúleo de combate político às agendas anti-povo, tão somente o PT, PSOL e PCdoB/PPL.

      O resto, é história.

  5. A Míriam fez um reparo exigindo que o Bolsonaro deva ser mais radical do que pareceu. A Globo nesta manhã de quinta feira estava mais alegre que pinto em lixo. A Míriam não cabia em si de tanta felicidade. Todos os sonhos do staff ideológico da emissora estão se concretizando. A Bolsa subiu. A Míriam, realmente, passou um pito no Mito, porque acha que publicar plano B em vez de jogar tudo na aprovação do plano A, que seria a aprovação da reforma da previdência na marra total, para ela era demonstrar fraqueza diante do Congresso, coisa que o seu heróico mito não deveria fazer. Mal sabe ela que a “coisa” tem razões que a própria razão da Míriam desconhece.

    Será mais pacote gigante de maldades que a direita vai realizar, e assim ficará sem mais nenhuma realização a fazer, e vai enfim parar de pedir reformas, reformas, reformas. Privatização da Eletrobras ( Cadê o general que disse que isso seria impossível, porque se tratava de empresa estratégica?), privatização de tudo, desesquerdização do serviço público, corte de 8 reais no salário mínimo… Um cala-boca para a pobreza profunda, com o prometido décimo terceiro do Bolsa Família…

    Chico Pinheiro estava meio acabrunhado. Com certeza já circula pelas redações do país uma lista de quem o bolsonarianismo quer ver as empresas de comunicação colocarem no olho da rua. Isso merece atenção. Quando todos os órgãos de imprensa se purificarem de qualquer pensamento progressista, então terá desaparecido uma faixa intermediária de defesa pública que deixará a imprensa alternativa e os blogs progressistas a descoberto, totalmente sujeitos aos ataques frontais do bolsonarismo.

    1. Jânio de Freitas, na Folha de São Paulo de hoje, também deu a entender que os editores já estariam enquadrando os jornalistas para tomarem posição favorável ao desgoverno. Ao que parece, o macartismo brasileiro já começou de maneira fulminante. Resta ver se a resistência estará à altura da ameaça.

  6. Uma coisa aqui está a chamar a atenção. Sumiram os comentaristas robóticos patrocinados. Será que acabou a grana do patrocínio?

  7. Em dois dias o mito e sua trupe já mostraram que o cerne do novo governo é a paranóia política e a exclusão dos direitos e garantias fundamentais. Nada de novo pois isso ficou claro na insana campanha eleitoral dessa gente lavando a mente dos brasileiros com fake news no WhatsApp. O que surpreende é o silêncio ensurdecedor das instituições que deveriam proteger a constituição e a democracia. Cadê a OAB, o STF, o TSE, a imprensa e os artistas? Cadê o PSDB que – tal como nós – levou uma rasteira fenomenal nas eleições? Cadê os caras gente?

  8. A educação no país vai para o ralo. Está claro que eles vão perseguir os professores com o intuito oculto de afasta-los das escolas. Os caras já
    ganham tal mal e ainda vao aceitar serem perseguidos? A julgar pelas ideias do recém nomeado secretário da educação eles estão planejando implantar a educação domiciliar, que diga-se de passagem, já foi negada pelo STF. Simples. Acabam com a escola fundamental e com todas as despesas a ela associadas, tal como a merenda escolar, e assim vai sobrar mais dinheiro para o mercado financeiro, a elite e os bancos. Afinal, a educação fundamental tem um peso enorme no orçamento, né mesmo. E para eles a merenda escolar é coisa de socialista.Por outro lado, querem detonar os direitos trabalhistas e os direitos previdenciários. É a ideologia do estado fake. O estado que não presta para nada.

  9. Miriam Porcão comete um erro grosseiro!!!

    Indexação é um termo usado para se referir à correção monetária. As verbas de Saúde e Educação possuem mínimo obrigatório. E o que o “Guru do Coiso” quer fazer é assaltar esse dinheiro que já é pouco pra atender nosso povo com saúde e educação dignos…

    1. André, verdade. É que agora o Mercado Financeiro (nosso patrocinador oficial do Golpe) começa a cobrar as metas dos eleitos, não é? O importante é que o dindim dos rentistas continuem sendo pagos em dia. Vai daí, com o cobertor curto, eles tem que cortar em algum lugar. De preferencia, da pobraiada………

  10. A pensão Militares é um verdadeiro vespeiro. Vai nesta Bolsomerda que o bicho é manso. Tou morrendo de rir desta turma de bestas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *