Bolsonaro quer ser Júlio César?

O “vá e vença” com que se encerra o texto encaminhado por Jair Bolsonaro ao presidente do STF, Dias Toffoli, é uma redução da frase que se atribui a Júlio César, comunicando ao Senado romano sua vitória sobre um reino do Bósforo.

César, como se sabe, foi o general que atravessou o Rubicão com suas tropas e impôs-se como ditador em Roma.

Dependendo de como se a leia, a mensagem, tratada como uma afirmação de compromissos democráticos, pode ser também uma ameaça.

Nesta hora, em que todos estamos obrigados a alterar nosso comportamento em razão da pandemia, na qual todos os apelos deveriam ser de que as pessoas ficassem em casa, a convocação do texto é outra:

Toda manifestação é justa e garantida em nossa CF, portanto vão para as ruas, mas tenham uma pauta real, objetiva, com foco na missão.

Qual é a missão, se não é derrotar a pandemia, o que se faz justamente não indo às ruas? Qualquer um pode imaginar que é para que se imponha a vontade dos virusplanistas que querem pregar a desobendiência a todas as orientações médico sanitárias, daqui e do mundo.

Aqueles que pedem Intervenção Militar (Art. 142) ANTES, devem decidir qual General ocupará a cadeira do Capitão Jair Bolsonaro.
Aqueles que pedem AI-5 ANTES, devem mostrar onde está na Constituição tal dispositivo.

A quem se destina este recado?

Na manifestação antidemocracia de domingo o general estava escolhido, até nas faixas mandadas fabricar e era justamente o ex-capitão Bolsonaro.

Muito menos é preciso mostrar onde está o AI-5 na Constituição, porque os atos institucionais – AI-5 entre eles – não eram constitucionais, mas supraconstitucionais e ditatoriais.

Quanto as alegações de defesa da liberdade e da democracia, repare no texto do AI-5, são sempre invocadas pelas forças de opressão e da tirania.

Dizem que o texto é de autoria desconhecida.

Não parece: tem o espírito do golpe e a linguagem dos ditadores.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. Além de golpista, burro … português fajuto, sem acentuação e sem crases
    “Àqueles que pedem Intervenção Militar (Art. 142): ANTES,”

    1. Complexo ao extremo para aquela cabecinha. Os milicos regentes, a despeito de serem burros, fariam melhor. A tentativa de bancar Júlio César cheira a Carluxa. Manda o ministro botar os óculos. Certamente, ele vai encontrar, ao pé, em linha d’água, a assinatura do estafermo.

  2. O texto é do Carluxo . Mas tem aprovação de todos os militares trabalhando nesse governo .O endereço certo é o Legislativo . Pois o judiciário está como se diz lá em minas . ” Macuco no embornal ” ..

    1. O máximo de texto que o Carluxo consegue escrever é um tweet….E mesmo assim cheio de erros e totalmente sem nexo.

  3. Para complementar o meu comentário anterior .
    No caso de trancamento todos do congresso perderão o emprego . Deputados , senadores , etc . No judiciário , como aconteceu na ditadura continuou ” funcionando ” .
    No caso atual o ditador de plantão abrirá vagas para os terrivelmente evangélicos em nova composição .

  4. Quem sabe se assim como com Júlio Cesar, os “senadores” ou a “guarda pretoriana” já preparam o que o nosso BolsoNero pede e merece.

  5. Júlio César é sofisticação demais pro capitão. Ele pode querer ser Nero, e olhe lá, pois não tem nenhum dos supostos dons artísticos do imperador.

  6. “Aqueles que pedem AI-5 ANTES, devem mostrar onde está na Constituição tal dispositivo”
    Creio que Bozo quis fazer referência ao artigo da Constituição que supostamente autorizaria as forças armadas intervirem.
    Ou seja, ele fez as perguntas para as respostas que os seus seguidores já estavam dando.

  7. De novo… nao entendo… o Bolsonaro nao estah sendo tutelado pelos militares? Entao essas palavras do Bolsonaro sao vazias e estamos mirando no inimigo errado? De quem seria a “ditadura”? Do personagem nas faixas ou do Braga Neto? Uma hora o Bozo eh tutelado, em outra ameaca o STF. Dificil acompanhar essa narrativa.

  8. Nssas analogias com o triunvirato romano, que dominou o império após cruzarem o Rubicão, falta nomear a quem cabe o desastrado papel de Crasso e quem seria o Pompeu. Crasso acaba vítima de suas estratégias estúpidas e abala a relação de César com Pompeu. Crasso é esse pastiche de presidente ad hoc, o general que acha que tá podendo. Mas quem será o Pompeu?

  9. Quando houve revolução em 1964?
    Até onde eu sei, desde sempre, houve um golpe de estado e o início de uma ditadura militar.
    Além disso não é qualquer manifestação que é livre. Manifestações contra a democracia são crimes previstos em lei.

  10. Ao invês de algumas pessoas que aqui comentam ,de blogueiros e até analistas de política internacional !!! que tentam explicar as ações do ASNO,pra mim ele não passa disso ,UM ASNO IMORAL,GENOCIDA E DELINQUENTE.
    Eu estou convencido que não é mais de que um trombadinha que graças aos idiotas ,efeito colateral de toda reprodução humana,deu certo.
    Carece de qualquer recurso intelectual,(se o tivesse hoje já estaríamos no forno) ,ele não quer ser algo que ele desconhece (júlio césar) nem sequer por forçadas analogías chegariamos perto de associa-los., o imperador era inteligente.
    Tenho certeza,todo,todo o que nós acontece é CULPA NOSSA.
    O delinquente presidente,é o idiota que existe em toda turma,o “trouxa” que nos grupos adolescentes é o alvo de todas as piadas e deboches.
    Em soma deixamos um IMBECIL chegar ao poder ,por nossas própias carências ,fundamentalmente de CORAGEM E COMPROMISSO COM O BEM COMUM.

  11. O golpe dentro do golpe implicaria em demitir os ministros do sft, mas eles ainda poderiam advogar; por isso acho que receberam essa missiva e não mugiram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.