Bretas mostra necessidade de quarentena eleitoral de juízes

O despudorado desfile pré-eleitoral do juiz Marcelo Bretas, este final de semana, evoluindo nos palanques como “papagaio de pirata” de Jair Bolsonaro, chama a atenção para que se vote, com urgência, o Projeto de Lei Complementar 247/2019, que aumenta de seis meses para seis anos o prazo para que juízes e promotores deixem a carreira para se candidatarem a cargos eletivos.

Acho que nem é preciso chamar a atenção para o uso indevido do cargo, de tão escancarado que foi por parte de juiz que gosta de se exibir na redes socais com halteres e fuzis.

Agora, como revela o jornal O Globo, dá-se até ao luxo de ser transportado no carro de Jair Bolsonaro.

Virou uma versão chinfrim de Sérgio Moro.

O argumento de que ele, como qualquer cidadão, pode fazer o que quiser, mostrar-se como quiser e frequentar os palanques que quiser esbarra no simples e evidente limite de que um juiz, pelo seu poder sobre a vida e a honra das pessoas tem que guardar decoro no seu proceder.

É inútil esperar que a corporação lhe ponha freios: o perdimento da vergonha, hoje, garante-lhes – como está se vendo no caso das revelações da “Vaza Jato” – a total impunidade.

Se a categoria, em nome de um ‘coleguismo na lama’, está disposta a aceitar isso, a sociedade é que terá de reagir.

É preciso, então, que uma lei torne inúteis estes expedientes escusos e que se diga: o sr. Marcelo Bretas pode agir como quiser, até mesmo nos limites do ridículo, mas não sendo um juiz.

Um Moro já basta.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

24 respostas

  1. Sejamos honestos: Nunca antes na história o povo brazileiro foi tão bem representado por um governo quanto agora. O resto é efeito colateral.

      1. Faz tempo que eu ouço o que as pessoas conversam em voz alta pelos ônibus. Depois das últimas asneiras que ouvi hoje de manhã, esta ideia (o povo nunca foi tão bem representado) era a única coisa que me passava pela cabeça.

  2. A evolução do Lawfare, diga-se de passagem que extremamente bem sucedida, iria desembocar naturalmente nisso – nas despudoradas pretenções político-eleitorais de juízes e procuradores.

  3. Isso só mostra o engajamento político dos togados da Lava a Jato ou Leva a Jato para extrema direita. Esse engajamento tira qualquer resquício de imparcialidade que se espera de um juiz ou autoridade da lei. É a justiça comprometida com um segmento político, que o diga Moro chefe da quadrilha judiciária.

  4. Chamar uma cavalgadura dessas de juiz, é algo que fere até a ética dos cachorros Yorkshire, que são os mais burrinhos.

  5. Estamos vivendo tempos muito estranho, faremos a lei e….
    algum partidinho recorre ao supremo e….
    veja o que aconteceu com a lei do juiz de garantias, só pra pensar…

  6. O poder judiciário em geral sempre esteve ao lado dos poderosos e por isso mesmo sempre foi abençoado por estes com uma série de privilégios que acabaram por criar uma casta de intocáveis com poder de pai pra filho só que antes a coisa era discreta, hoje ficou escancarada sua parcialidade e falta de moral para com a sociedade, mas eles não estão nem aí, então a sociedade organizada deve por um freio nas ambições desta turma sob pena de nos tornarmos o primeiro país inteiramente governado pelo judiciário sem limites, vale burlar a lei em benefício próprio, forjar provas contra os inimigos, condenar sem provas, dar ar de legalidade ao ilegal, os fatos estão expostos e até o momento todos vendo a banda passar, até quando?

  7. DELINQUENTES DE TOGA,USAM SEU PODER EM BENEFÍCIO PESSOAL.
    A maior parte deles responde a outro “senhor” que não é o povo ,nem a lei.
    A GRANDE MAIORÍA DESSES PARASITAS É MAÇOM,E SÃO ESSAS RELAÇÕES QUE PERMEAM TODO SEU ACIONAR.
    Precisamos ,mas,eu já não verei,dar um basta em pessoas que prostituem o poder que o Estado lhes confere para usa-lo em forma pessoal.
    Os 60/70 teríam tombado a mais de um destes canalhas,mas…o tempo passa.

  8. Acho que a querentena devia se estender a apresentadores de programas de rádio e televisão, por pelo menos um ano. Acho bom também lembrar que marcelo bretas esteve reunido com flávio bolsonaro, então deputado, antes de mandar prender vários deputados no Rio, livrando a barra de flávio.

    1. Concordo com sua ideia , alias não sei porque não existe um limite para essa gente , que vive em campanha dia e noite , levam imensa vantagem sobre os demais candidatos.

  9. Desculpe, mas vou discordar. Ninguém vai por freio em lugar nenhum. A direita deita e rola, manda e desmanda, mata e manda matar, dança e mostra banana. E ainda joga a culpa no PT, que entra de gaiato no rolo do assassinato do miliciano condecorado. O republicanismo ingênuo continua fazendo estrago. Até quando? A direita miliciana faz o que bem entende. E não vejo sequer UMA ação concreta da “oposição republicana”. Não seríamos nós os “chinfrins” na história?

  10. Fora do assunto
    Concurso p quadro tecnico da Marinha do Brasil
    Oficial
    P serviço social no programa da prova a bibliografia sugerida

    _______. Ditadura e Serviço Social: uma análise do Serviço Social no Brasil pós-64. 17.ed. São
    Paulo: Cortez, 2015.
    PEREIRA, Potyara. A. P. Política Social: temas & questões. São Paulo: Cortez, 2011.

    ????

  11. o mesmo deve valer pra policiais e militares ..tá uma festa essa turma ARMADA ameaçando as oposições pelas casas legislativas do BRASIL

  12. Há muito tempo faço parte dos que acreditam que, no Brasil, a total falta de vergonha na cara e de ética começa no judiciário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.