Celso de Mello rompe o ‘mimimi’ e abre ruptura com Bolsonaro

Nada foi mais importante, nos últimos tempos, que a mensagem de Celso de Mello aos demais ministros do Supremo Tribunal Federal, que mencionei no post anterior, marca a ruptura total entre o STF e o governo Bolsonaro.

Ao acusar Jair Bolsonaro de executar um plano de tomada de poder semelhante ao de Adolf Hitler, o decano da Suprema Corte traçou uma linha de demarcação não só entre seus colegas como, também, em relação ao Parlamento.

Ao contrário do mimimi de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, o velho juiz agiu com altivez e, a meses de deixar a cátedra do Tribunal deu um sinal inequívoco de que a omissão será igual à cumplicidade com o avanço fascista.

Não lançou uma luva, deu uma bofetada, como a ocasião exige.

Mello porta-se como Churchill em lugar de Neville Chamberlain: ambos conservadores, mas um deixa claro que não há tergiversação ou pacto possível com o nazismo.

Pode, é certo, haver intuitos provocadores em alguns dos participantes dos atos antibolsonaro acontecidos hoje, mas eles correspondem nos ao sentimento das ruas e vão crescer.

A oposição de esquerda – e agora já existe uma oposição de direita definida – precisa assumir seu papel neles, com ou sem pandemia.

Porque eles vão crescer, seja pela rejeição à direita aos propósitos golpistas de Bolsonaro, seja pelo estresse em que está uma sociedade insegura e amedrontada, mas é preciso não deixar que descambem para uma violência juvenil, que levem água ao moinho da repressão.

Neste sentido, a mensagem de Celso de Mello, direta e inequívoca, mostra que há espaço para o caminho da legalidade e que ela não protege o golpismo nazista, mas o condena, inapelavelmente.

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. Bela, mensagem de Celso de Mello…mas aproveita e julga o HC do Lula…Simples….aí essa porra para…

    1. Concordo. Celso de Melo precisa ver que sergio moro foi o precursor desse estado de coisas e julgar e reconhecer a suspeição dele em relação a Lula. Sem isso, esse grito será apenas bravata.

      1. Vocês parecem não estar entendendo. Chegou a hora de ingleses e russos se unirem para combaterem juntos o fascismo. Outros problemas serão tratados em seu devido tempo.

  2. Hoje tivemos uma mostra da ação política tão infestada de milicianos. Nós, as pessoas de bem somos maioria no Brasil, e temos uma tarefa: acabar com a milicia que tão ardilosamente foi infiltrada nas PMs e PCs dos estados.

  3. Maia não é conciliador e nem tem força para isso, ele é fraco para o momento atual, se amedronta a qualquer grito dos filhos do mito, é sem dúvida um político que na hora de firmeza se mostra titubeante. Deveria renunciar e deixar o lugar para políticos ativos. Estarão esses esquecidos na próxima eleição, não são nem de lá em de cá e um país que aos poucos têm a consciência da verdade, não elegerá os colunas do meio.

    1. na realidade o maia deve ter muito a esconder que os filhos do bozo podem mostrar. O maia deve estar no bolso de muita gente. tal filho tal pai.

  4. O TSE já tem as provas necessárias para acabar com a fraude golpista. É inaceitável que tal decisão, crucial para a sobrevivência deste país, esteja subordinada a cálculos oportunistas daqueles que querem uma “solução por cima”, excluindo mais uma vez o povo da história.

    Pela cassacão da chapa fraudulenta!
    DIRETAS JÁ!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.