Ele não e, agora, muito mais

Passadas folias e ressacas do Carnaval, hora de tentar criar algumas balizas para tentar tatear o que nos vem pela frente.

E, claro, não é possível deixar e ver que o principal elemento é a incerteza sobre os efeitos da epidemia de coronavírus, que se espalhou para a Europa, o Oriente Médio e o Sudeste Asiático, o que amplifica muito os problemas que já eram enormes com a “interdição” da China.

Sobre isso, embora não haja muitos dados concretos, a reportagem e hoje na Folha começa a dar ideia do tamanho e, sobretudo, da duração dos efeitos deste, O texto dá conta de que, de 28 navios esperados da China (e saídos de lá logo no início do surto), nove sequer zarparam e os demais vieram com menos carga do que teriam capacidade de transportar. Isso dá uma redução da ordem de 40%, num cálculo modesto.

Se entra menos, sai menos e, num post anterior, a imagem da queda da atividade da indústria chinesa indica menos compra de nossas matérias-primas.

Comparada à situação de um ano, por razões internas (o mau desempenho no 4° trimestre de 2019) e externas, as previsões de crescimento da economia estão se desfazendo mais rápido, como rápido estão se desfazendo expetativas de reformas ansiadas pela turma da bufunfa e se dissolvendo as esperanças de que capital socorram o investimento Regina Duarte que por aqui se foi sem nunca ter ido.

A situação política de Jair Bolsonaro se deteriorou. Tinha 53 deputados “próprios”, mais algumas dezenas de “aderentes” e quase duas centenas de um “Centrão” que hoje o encara com nítidos maus bofes. Depois de amanhã terá seu teste no Congresso, com a votação dos vetos no Orçamento e se teimar em quebrar o pacto feito com os deputados, sofrerá uma derrota acachapante, mesmo com o terrorismo e seus robôs a ameaçar o Legislativo pelas redes sociais.

Promete um ato subversivo para daqui a dois domingos, mas sabe que se insistir será pífio, pois perdeu a unanimidade da direita.

Seus principais sustentáculos no ministério, Sérgio Moro e Paulo Guedes perderam a aura de santidades, embora a mídia ainda os preserve.

Mas já nem tanto, como prova o artigo de Elio Gaspari, hoje, dizendo que o “tigre de Curitiba” agora mia no Ceará.

Guedes, por sua vez, afunda numa desmoralização ainda maior, aplaudido em público e ridicularizado nas redes e nos cochichos de economistas e sabe que Bolsonaro já o colocou na posição de lastro descartável e a economia fizer água.

No plano internacional, Bolsonaro era uma incógnita e, a esta altura, é uma certeza. Desprezado universalmente, nem mesmo do “mestre” Trump tem mais do que declarações de amizade que não se consumam em fatos.

Temos um governo política e economicamente em desagregação, para falar o mínimo.

E, por isso, as condições objetivas para se formar um movimento de oposição, cujo nó não são as tretas sobre o “apoiou-não apoiou” o golpe, como erroneamente fazem alguns.

A preservação da democracia e da disputa política legítima são as condicionantes para o Brasil não mergulhar no descalabro autoritário ruinoso que tentam fazer avançar.

Mas que a economia em crise é o catalisador deste processo, porque a direita não tem remédio para ela.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

      1. Se a senhora acha que é exagero meu,me responda então;porque esse merda,se elegeu presidente? Foi milagre?Senhora,não subestime essa CANALHA.Eles imperam,ha vários séculos.Ou é também,MILAGRE DOS DEUSES? As “MASSAS’ que votam neles,acha que irão pra o céu.A senhora também crê?A aparência ,é que sim.

    1. BOLSOCORNO pegou… e a coisa vai esquentar, pois fere o bolsonarismo em dois de seus principais sustentáculos: o machismo e a hipocrisia (evangélica).
      Testei isso hoje: um vizinho bolsonarista milico aposentado que passa o dia enchendo o saco de porteiros e trabalhadores estava como de costume falando merda na portaria, e sem vacilo joguei na cara dele: teu presidente É CORNO. CORNO, CORNO, CORNO, CHIFRUDO, TOMA CHIFRE, bilau pequeno e toma corno, muito melhor ser cachaceiro do que corno e por aí afora…
      O milico enfiou o rabo no meio das pernas e sumiu do mapa.
      Nos próximos dias, se ele aparecer de novo, será pior.

  1. Sr.Brito.Temos que levar em consideração,que existem MILHÕES DE BÓSTONARISTAS ,espalhados pelo país afora.São seres com aparência humana,com cérebros de ratos.Lembra o senhor,do Dr. DELFIN NETTO? Àquela época,milhões de pessoas,cujos cérebros continuam idênticos aos de hoje,apostavam o que tivessem,para os acenos que lhes fazia,o então SUPER MINISTRO DOS MILICOS.Deu no que deu.Contudo,cérebros de ratos,não conseguem mudar.Então…Tudo será como antes.

    1. Se você tem esses milhões de bolsominions “espalhados pelo país a fora” mande urgente para o próprio; ele dormirá melhor esta noite.

  2. A luta contra Bolsonaro e bolsonarianos não pode dar trégua. Ninguém pense que vão interromper facilmente o projeto que eles sempre tiveram de implantação de uma ditadura absurda e catastrófica. O que houve foi apenas um recuo tático, para absorverem a forte reação de todo o país. Bolsonaro e seus fanáticos nunca estiveram em campanha para a reeleição em 22. A campanha deles sempre foi e é pela implantação de uma ditadura familiar.

  3. A luta contra Bolsonaro e bolsonarianos não pode dar trégua. Com o fascismo não se brinca. Se não pega bem politicamente que o Lula seja a favor do impeachment, o que é verdade, isso não quer dizer que todos e qualquer um devem entrar com pedidos de impeachment por onde for possível, e a hora é essa. Ninguém pense que vão interromper facilmente o projeto que eles sempre tiveram de implantação de uma ditadura absurda e catastrófica. O que houve foi apenas um recuo tático, para absorverem a forte reação de todo o país. Bolsonaro e seus fanáticos nunca estiveram em campanha para a reeleição em 22. A campanha deles sempre foi e é pela implantação de uma ditadura familiar.

    1. Vamos convocar a Janaína Pascoal e o Miguel Reale para que encaminhem o quanto antes um pedido de impeachment do figura. A hora do desespero deve ser antecipada para agora. Depois, só restará chorar, se deixarem que você ainda tenha lágrimas para tanto. Não vi jamais nenhum judeu a chorar nos documentários de campos de concentração. .

      1. Refiro-me às vítimas do nazismo por serem vítimas, não por serem judeus. Do nazismo, que guarda tantos pontos de identificação com esta loucura que implantaram no país e que alguns ainda chamam de “governo”. Foi só um exemplo de que os fascistas não dão sequer o direito de chorar para suas vítimas. O exemplo não se detém na natureza étnica das vítimas.

  4. Concordo com quase tudo, mas faltou ressalvar o fator principal que é a economia. Não há regime nenhum no mundo que consiga se manter de pé se a economia estiver em frangalhos. Sabemos exatamente quem elegeu este asno, DEM, MDB, PSDB e o STF e os Bolsonaristas. Agora estão com uma batata quente nas mãos e não sabem como se livrar dela. Se impincharem o Bozó, fica o vice que vale tampa a tampa como o Balaio) Se o os dois, então a nova eleição deverá ser feita dentro de noventa dias e a escolha será pelo Congresso, mas isto a Opinião pública não apoia (Seria colocar a raposa para vigiar o Galinheiro) Vamos então a outra Hipótese: O STJ anular as eleições por ter sido fraudada e convocar novas dentro de 90 dias, então o Lula ganhará com um pé nas costas. Mas, isto o grupo dominante não aceitam. Mas, atrás de tudo isto tem uma coisa que cada dia deteriora mais: É a ECONOMIA seus burros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.