Governar pelo pânico

A manchete de hoje da Folha deve ser vista como mais um desdobramento da política do Governo Bolsonaro.

Não, não da política econômica, que essa ele não tem; da politica, mesmo, do relacionamento com o Legislativo.

O elemento de “persuasão” é sempre, ainda que com várias formas, a ameaça de que, se os deputados não votarem rápido e sem muitas mudanças o que o Governo quer, serão os responsáveis por um caos que, entre outas coisas, deixará idosos, aposentados e beneficiários da assistência social sem receberem suas rendas já miseráveis.

Não é assim com a reforma da Previdência?

O crédito suplementar para o reequilíbrio contábil – pois é disso que se trata-  das contas públicas tem sua necessidade prevista há meses, sem que o governo demonstrasse qualquer ânimo extraordinário em fazê-lo aprovar.

Prefere medir canetas e planejar uma Cancún em Angra dos Reis. O período de maior sensibilidade dos eputados aos pleitos do governo foi desperdiçado com loas a Israel, golden showers, olavismos e, a seguir, armamentos e “coafadas”.

Não é, embora também seja, por incapacidade pura de governar: há um conteúdo de chantagem, copiando com gente o que o “mestre” Donald Trump fez com o muro mexicano: o shut down do Governo.

Sim, com gente, porque se teimarem em colocar regras e limites na liberação de verbas, suspende-se o pagamento de benefícios dos pobres e miseráveis.

Igualmente, cria-se uma justificativa “moral” para cortar impiedosamente as verbas dos serviços públicos.

Nada é sagrado para os homens do “Deus acima de Tudo”, exceto o poder.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

7 respostas

  1. sagrado mesmo seria o paredão onde deveriam ficar perfilados enquanto arminhas seriam apontadas

    1. Para estes “homens de bem”, vale o texto do Brecht, traduzido por Eugênio Aragão, e publicado no conversaafiada.
      conversaafiada.com.br/cultura/boas-balas-bons-fuzis-e-bom-paredao

    2. Nossa Rita, ao ler o texto do Fernando Brito foi exatamente o que pensei!
      É a única resposta possivel à estes canalhas.
      Paredão neles, literalmente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *