Guedes foi a desculpa do mercado e da mídia para Bolsonaro

Os comentários na mídia, dizendo que foi Paulo Guedes quem deu a Jair Bolsonaro a seriedade e os votos de que precisava para se eleger só são verdadeiros se lidos da seguinte forma: foi o selvagem “liberal”, privatista e insensível socialmente, quem deu à mídia e ao “mercado” a razão para dar apoio a um tosco, despreparado e autoritário, certos de que Guedes seria o capataz plenipotenciário de seus interesses, toureando dirigindo de fato a economia.

Sim, isso influi, mas está longe de explicar a eleição do “mito”.

Ela é fruto de dois processos abjetos que vêm de longo tempo: a brutalização da questão da segurança pública e a demonização de políticos e partidos como sendo todos corruptos e que, claro, a corrupção era a fonte de todos os males.

Paulo Guedes, com toda a sua arrogância, revelou-se um inepto para conduzir o arrocho econômico, mesmo diante de um congresso reacionário e inorgânico. Consumiu o ano de 2019 com a reforma da Previdência – de efeito zero no curto prazo – e foi atropelado, neste 2020, por uma recessão pandêmica que, embora não pudesse ser evitada, poderia ter sido mitigada se o país não tivesse sido entregue à confusão e esteja hoje sem perspectivas de melhora.

Pior, não é capaz de apontar mudanças de rumo, diante da tempestade e acabou abalroado por dois lados. Um, pelo desejo, ainda que mal planejado, das pressões por investimentos públicos capitaneada pelos militares e de outro, pelos apetites vorazes dos parlamentares do Centrão, que não darão sustentação a Bolsonaro por razões ideológicas, mas fisiológicas.

A sofisticação do pensamento econômico de Paulo Guedes, a quem caberia a autodefinição feita ontem pelo debandante ex-Secretário de Privatização do Ministério, Salim Mattar – “eu sou um animal de mercado” – não vai além de cortar, vender, destruir. É um predador, não um cultivador.

Resta saber, depois da terra arrasada em que nos encontramos – e boa parte do mundo também – de que tipo de política econômica precisamos.

Até Jair Bolsonaro compreende que a de Guedes não serve e que acabará por destruir politicamente seu governo.

Portanto, as juras do presidente são tão falsas quanto sempre foram.

Guedes virou um fantasma, que segue fazendo “bú”, mas que assusta cada vez menos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

16 respostas

  1. Brito, me permita discordar em parte, quando vc fala:
    “..Ela é fruto de dois processos abjetos que vêm de longo tempo: a brutalização da questão da segurança pública e a demonização de políticos e partidos como sendo todos corruptos e que, claro, a corrupção era a fonte de todos os males.”
    Pra mim seria mais apropriado o seguinte texto:
    “..Ela é fruto de dois processos abjetos que vêm de longo tempo: a FALTA DE RESULTADOS dos governos progressistas diante da brutalização NA segurança pública e a demonização de políticos e partidos como sendo todos corruptos e que, claro, a corrupção era a fonte de todos os males.”
    O JURISTA Vladimir Safatle chegou a afirmar que 40% das 60 mil mortes violentas no BRASIL (das quais sequer 5% são esclarecidas) seriam de ação direta das POLÍCIAS ..diante de tal realidade, que ainda hoje ATORMENTA a população brasileira, não foi surpresa que esse tema ganhasse importância pra eleição do OGRO.
    Aliás, seu texto me deixaria plenamente satisfeito se às possíveis causas pra eleição do BOZO vc acrescesse os EFEITOS NEFASTOS que as pautas identitárias, MAL DEBATIDAS e/ou esclarecidas, tiveram junto ao eleitorado, por ex:
    – casamento e/ou UNIÃO CIVIL GAY, mais a adoção por estes casais
    – COTA RACIAL e/ou SOCIAL
    – liberação, ou não, ao uso de drogas
    – educação sexual nas escolas
    – educação no lar x atuação do ESTADO na educação e CRIAÇÃO dos filhos (lei da palmada)
    – a questão do aborto
    – leis de proteção sectárias e não universais (tipo Maria da Penha, cota pra mulheres na política etc)
    ..estas e outras questões “de fundo moral” que superaram em muito qq questionamento ideológico que se pudesse ter apresentado (e que sequer foi o caso).

    1. Serem chamados de cruéis, de animais ou de piratas, sempre foi motivo de imenso orgulho para financistas e empresários do capitalismo selvagem. O problema é que, se são rapinantes, em caso de crises não querem combatê-la, mas sim tirar máximo proveito delas. São gaviões que se alimentam de perdizes feridas pelo incêndio. Se são bons para trabalharem em proveito próprio, não são bons para trabalharem pelo Estado. Por isso dizem que o liberalismo de Guedes é primitivo, o mesmo da Inglaterra nos fins do século dezoito.

  2. Ela e outros,são fruto de um único processo.A INSISTÊNCIA DO “POVO”,em se brutalizar diuturnamente,ao longo de quase toda a história.O resto,são análises pseudo-sociológicas,que não tiram do POVO,essa qualidade deplorável e burra,em crer que um dia,vão ficar RICOS.Nesse ambiente,com raríssimas exceções,os povos insistem em continuar acéfalos.

  3. Seja lá como for, tanto empresários quanto seu querido governo bolsonarista já podem ser tidos como os maiores trapalhões da história econômica do Brasil. Os empresários de frigoríficos do Paraná fizeram pressão e ontem derrubaram normas de proteção ao Covid para trabalhadores da produção de carne de frango. Enquanto isso, ontem mesmo a província de Shenzem, na China, detetou o Covid-19 em asas de frango congeladas importadas do Brasil. A China é a maior importadora de carnes do Brasil, mas está em processo de troca do frango do Brasil pelo da Tailândia, e os empresários daqui não ajudam na manutenção seu próprio negócio.

  4. Brito, me permita discordar em parte, quando vc fala:
    “..Ela é fruto de dois processos abjetos que vêm de longo tempo: a brutalização da questão da segurança pública e a demonização de políticos e partidos como sendo todos corruptos e que, claro, a corrupção era a fonte de todos os males.”
    Pra mim seria mais apropriado o seguinte texto:
    “..Ela é fruto de dois processos abjetos que vêm de longo tempo: a FALTA DE RESULTADOS dos governos progressistas diante da brutalização NA segurança pública e a demonização de políticos e partidos como sendo todos corruptos e que, claro, a corrupção era a fonte de todos os males.”
    O JURISTA Vladimir Safatle chegou a afirmar que 40% das 60 mil mortes violentas no BRASIL (das quais sequer 5% são esclarecidas) seriam de ação direta das POLÍCIAS ..diante de tal realidade, que ainda hoje ATORMENTA a população brasileira, não foi surpresa que esse tema ganhasse importância pra eleição do OGRO.
    Aliás, seu texto me deixaria plenamente satisfeito se às possíveis causas pra eleição do BOZO vc acrescesse os EFEITOS NEFASTOS que as pautas identitárias, MAL DEBATIDAS e/ou esclarecidas, tiveram junto ao eleitorado, por ex:
    – casamento e/ou UNIÃO CIVIL GAY, mais a adoção por estes casais
    – COTA RACIAL e/ou SOCIAL
    – liberação, ou não, ao uso de drogas
    – educação sexual nas escolas
    – educação no lar x atuação do ESTADO na educação e CRIAÇÃO dos filhos (lei da palmada)
    – a questão do aborto
    – leis de proteção sectárias e não universais (tipo Maria da Penha, cota pra mulheres na política etc)
    ..estas e outras questões “de fundo moral” que superaram em muito qq questionamento ideológico que se pudesse ter apresentado (e que sequer foi o caso).

    ps – originalmente não lembrei do ANTAGONISMO que correntes políticas conservadoras e progressistas apresentaram diante da INSEGURANÇA PUBLICA, que é a questão da população voltar a se armar e, que as penas aplicadas fossem mais severas tanto pros MENORES infratores, como CAPITAL pra assassinos e estupradores ..estes, temas que tb, até hoje, se debate nas ruas do país.

    1. Em primeiro lugar, desde quando os governos progressistas estão no poder há um longo tempo ? A violência e a falta de segurança pública, vêm de muitas décadas atrás.
      Em segundo lugar, Bolsonaro não foi eleito para combater a violência da polícia, pelo contrário, foi eleito com o discurso de aumentá-la.
      Em terceiro lugar, o PT ganhou quatro eleições defendendo todas as pautas que você critica e só foi tirado do poder por um golpe.
      E pra completar, se para ganhar eleições os progressistas precisassem abandonar os avanços da civilização e voltar ao século XIX, aí seria melhor deixar o país pra direita mesmo.
      Não me interprete mal, respeito sua opinião e concordo com alguns aspectos. Só achei que você foi injusto em outros.

      1. Vamos com calma, passo a passo na analise:

        1. 12 anos é tempo suficiente pra fazer (e desfazer) muita coisa ..prova são os milhões de empregos gerados, as dezenas de milhões de pessoas tiradas da miséria, o BRASIL içado a líder mundial, a transposição, pré sal, a mudança de EIXO comercial, o pagto do FMI e acumulo de reservas etc

        2. o mote “BANDIDO bom é bandido morto” e fazer arminha em todo comício são provas mais do que certas que a pauta de BOZO trabalhava o inconsciente coletivo pela INSEGURANÇA PUBLICA que vem de décadas e claro, EM MUITO BOA PARTE causado pelas próprias milícias e polícias espalhadas nas periferias do país ..outra técnica usada foi o dizer sem dizer NADA, e deixar a esperança por parte de que escuta sem ouvir nada, tipo “temos que acabar com tudo isso”, isso o que ? poderiam ter perguntado ao OGRO

        3. EU NÃO DISSE o que penso dessa ou daquela pauta identitária (um dia, com espaço, até posso fazer isso, indo de tema em tema) ..mas, listei-as analisando e observando meu entorno, APENAS APONTANDO os temas que mais vi dividir as famílias e as pessoas..
        ..ademais, VOCÊ ESTA REDONDAMENTE ENGANADO, o PT NUNCA disse dessas pautas em campanha (pra começar veio o lulinha PAZ E AMOR, no muro), prova que até hj o PT é cobrado, mas ainda não finca posição sobre aborto, liberação de drogas, educação sexual..
        ..aliás, até mesmo as COTAS RACIAIS não foram da sua lavra, pois foram apresentadas inicialmente pelos tucanos, retirado de projetos alienígenas, inspirados na realidade dos EUA, África do SUL e Austrália principalmente e, diga-se, o tema tb NUNCA foi levado a debate pra sociedade.

        1. Concordo com você, Romanelli. O PT nunca abraçou essas pautas em campanha, mas deixou que seus aliados cirandeiros, como PSOL, fizessem isso. E a direita sobre explorar direitinho a rejeição da população católica e principalmente a evangélica, a esses pontos, atribuindo todas essas causas à esquerda.

          Essas pautas são importantes e devem ser debatidas. Mas o jeito que o PT as cozinhou em banho-maria durante doze anos chocou o ovo do ódio. Ele poderia ter feito algumas coisas de forma mais direta e autoritária, – “é assim e pronto” – ou lançar um pebliscito ou referendo e deixar a população decidir, e depois respeitar o resultado da decisão popular e não tocar mais no assunto durante vinte anos.

          Mas não, a nossa esquerda mordeu com força a isca do identitarismo de confronto, feita para dividir o povo e dizimar seu eleitoriado. Isso jogou a população branca, hetero, contra aborto e contra drogas direto no colo da extrema direita.

          Prova disso é que enquanto o golpe contra a Dilma estava a pleno vapor, nossa esquerda desperdiçava o pouco espaço na mídia e nas redes sociais discutindo se gente branca tem direito de usar turbante ou se fantasiar de índio.

    2. Tanto as Polícias Militares como as Polícias Civis subordinam-se administrativa e constitucionalmente aos governadores, como os governos progressistas (Governo Federal) poderiam ter interferido nas polícias estaduais? Além das Forças Armadas, a Polícia Federal subordinado ao Ministério da Justiça, e, portanto, à presidência da República, é o único órgão diretamente envolvido com o Sistema de Segurança Pública. Mesmo com todos os investimentos feitos e toda a autonomia dada a PF os governos progressistas foram acusados de “aparelhar” e “utilizar” a PF. Sabemos o papel que a PF desempenhou no Golpe de Estado e na “operação” que ajudou a criar as condições para ele (não preciso nem citar o tiro ao alvo com a foto de Dilma). Se nem com o respiro da transição democrática e o clima de descompressão nos anos 80 e 90 foi possível tocar neste vespeiro das “polícias” e da “cultura” da repressão política e social e da brutalidade, única “forma de comunicação” que nossas polícias sempre usaram, metidas na contravenção que ela deveria combater e não promover, imagina em um governo cercado. As pessoas precisam realmente aprender o sentido e o conteúdo da palavra PODER, e mais ainda da ausência dele.

  5. Seja lá como for, tanto empresários quanto seu querido governo bolsonarista já podem ser tidos como os maiores trapalhões da história econômica do Brasil. Os empresários de frigoríficos do Paraná fizeram pressão e ontem derrubaram normas de proteção ao Covid para trabalhadores da produção de carne de frango. Enquanto isso, ontem mesmo a província de Shenzem, na China, detetou o Covid-19 em asas de frango congeladas importadas do Brasil. A China é a maior importadora de carnes do Brasil, mas está em processo de troca do frango do Brasil pelo da Tailândia, e os empresários daqui, ao desconhecerem normas de produção em tempo de pandemia, não ajudam na manutenção de seu próprio negócio. Matam literalmente a galinha dos ovos de ouro.

  6. Ou inclui o POBRE ou o Brasil afunda cada vez mais, e já deveríamos ter acabado com essa safadeza de bolsa, maior ANTRO de roubo no mundo e os BABACAS (os “passa” fome) aplaudindo de barriga seca. Os “ricos”? brasileiros (metidos) só fazem três refeições diárias se for casa dos outros, pode ir na casa de um deles que não tem água pra beber.

  7. O genocídio etá acontecendo: é só pegar ônibus ou metro, das 17h em diante, em Sampa, para ver o estrago. A casa parece pertencer a eles, dada a venda,à vontade, dos bens nela contidos. Tal genocídio deve incluir quem mantém Bozo, et caterva, que são, na verdade,”boi de piranha”.

  8. se sair cpmf pode ter certeza que administradoras de valores ficam de fora, nem que seja uma só…..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.