Guedes, tirar 43,5% de um aposentado de R$ 2 mil é cortar “privilégio”?

Ontem, ao falar na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, o Ministro da Economia sofismou à vontade dizendo que a reforma da Previdência era para proteger os mais pobres, usando como argumento o aumento escalonado das alíquotas para os vencimentos mais altos do serviço público.

Demagogia barata, porque isso representa apenas 2,5% do dinheiro que visam com as mudanças.

Guedes só se intimidou diante da intervenção do senador Paulo Paim que, educadamente, o desafiou a provar, nos casos concretos, onde estava a tal “proteção aos pobres”.

Hoje o UOL publica um exemplo, formulado pelo Instituto de Estudos Previdenciários que, espero eu, seja repetido diante de Guedes, se este não faltar  outra vez, à Comissão de Constituição e Justiça.

Um trabalhador de 65 anos de idade, com 20 anos de contribuição e com média salarial de R$ 2.240,90 receberia hoje 90% da média, e sua aposentadoria seria de R$ 2.016,81. Com a reforma, a média salarial desse mesmo trabalhador cairia para R$ 1.899,41. Ele receberia 60% da média, e a aposentadoria seria de R$ 1.139,65, uma diferença de R$ 877,16.

É isso mesmo, uma perda de 43,5% nos seus proventos.

As perdas só deixam de existir existir – e não totalmente, porque a média de cálculo abrangerá todas as constribuições, não só as 80% maiores desde 1994 – quando o cidadão completar 40 anos de trabalho, com 65 de idade.

Mas tem de mostrar assim, com dinheiro, não com índices, fatores e percentagens, para que o povão entenda.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. O General Mourão disse que o salário mínimo do Brasil é um super-salário mínimo. Sua fé nos postulados mais vetustos e ultrapassados do ultra-liberalismo é tão grande e tão categórica que chega às raias do fanatismo. Ele não sabe distinguir os interesses de um país em desenvolvimento dos de um país desenvolvido, tudo está na mesma frigideira do sistema financeiro internacional. Para ele a economia é uma ciência exata, e a escola de Chicago é sua máxima expressão. Isso faz dele uma opção muito mais perigosa do que a loucura bolsonariana.

    1. esses caras estão se lixando para o povo

      estando militares, judiciário e banqueiros bem, o resto é resto

      1. Pelo visto, ele seria todo ouvidos para um dono de grande banco, mas não seria jamais capaz de convidar um Bresser Pereira para um alongado bate-papo.

        1. exatamente
          ele tbm é admirador de Ustra, e sabemos os tipos medonhos que são, nunca podemos esquecer disso

          1. Esse velhote “comunista” daria um banho de macro economia no Guedes. Por isso nunca será ouvido. Cara, 1 + 1 sempre será 2. Jamais será 1,2 ou 1,5 como quer o Guedes. O Paim, com uma só pergunta, destruiu esse ministro incompetente.

    2. Enquanto isso os soldos dos milicos passam de 20mil para 30mil para “compensar” a reforma…
      Oos togados tiveram um aumento de 17% este ano que refletirão em suas aposentadorias, fora os 50bilhões pagos via auxilio moradia graças ao min. Fucksdido…
      Junte-se tudo isso aos 15milhões de empregos que foram extintos e não contribuem mais para a previdência graças ao colosso da economia informal (elogiado pela miriam porca)… e os 500bilhões sonegados anualmente pelos grandes devedores, temos a tempestade perfeita para extinguir a aposentadoria dos pobres (como vimos os ricos continuarão a receber e inclusive com generosos aumentos), terceirizando aos bancos que ainda ficarão com mais da metade dos valores do trabalhador (pobre trabalhador), isso quando não desviarem e “quebrarem” tornando seus donos trilionários…

    3. Esses desqualificados morais sempre fazem comparações estapafúrdias do Brasil e suas mazelas sociais, com países com elevado desenvolvimento humano. Os cretinos nunca comparam o Brasil com países africanos, latino-americanos, asiáticos. Esse Mourão é mais um da trupe dos mentirosos do Bolsomiliciano, e chegou a dizer que o 13º salário é uma “jabuticaba brasileira”, desconhecendo que dezenas de outros países abonos de finais de ano como recompensa ao trabalhador, coisa que no brasil nunca existiu porque o 13º salário é apenas uma ajustamento pelas 4 semanas a mais que cada trabalha a mais em cada ano.

  2. Isso não é uma “reforma” da previdência social. É simplesmente uma proposta para acabar e para destruir a previdência social, como idéia e como sistema de proteção social, tal como estabelecido na Constituição de 88. Se aprovada tal como proposta significará o estabelecimento definitivo do apartheid social brasileiro, da separação definitiva da sociedade brasileira em dois polos e duas realidades distintas. O Estado Mínimo para os pobres, e através do mecanismo da dívida pública e da estrutura regressiva de impostos, um Estado para os ricos que garantam a boa vida e os privilégios exclusivos para a minoria protegida. E para isso não se dão nem mesmo ao trabalho de manejar cifras ou projeções, apenas se escoram em mentiras, ameaças, manipulações e mistificações para justificar o injustificável.

  3. É uma reforma proposta pelo mercado,pela elite,executada por eles ,sem consultas a sociedade ou aos representantes dos trabalhadores
    Justamente os trabalhadores que são o centro do sistema e o seu suporte ( contribuições patronais são repassadas aos custos,portanto é o consumidor final,o trabalhador que paga a conta).
    Politicamente um absurdo ,mas ,ainda menor que o absurdo de um trabalhador acreditar nessa enganação.
    O fato de serem eles os proponentes da “mudança” já devería ser uma certeza para a massa de trabalhadores que isto é um engodo.
    A maior parte da população desconhece a proposta ,a oposição devería aproveitar a chance política de mostrar o desastre que representa este governo.
    Mas, não é só a previdência privada (um roubo ,Chile é um prova disso) que está em jogo.O mercado especulativo não se tomaría todo esse trabalho ,por uma variável de aprovação incerta.
    Tem algo mais que ainda não sabemos.

  4. Como era diariamente alertado ao povo eleitor na época pré-eleitoral, quem votasse no Bolnosaro(as per John Bolton), ferraria com o seu futuro,dos filhos e netos.
    Não acreditaram e elegeram o sargento, e o resultado agora está aí e palpável: o eleitor se ferrou mesmo e sua família vai para o espaço.
    Deveríamos ter pena dele, quando nem ele mesmo teve?

  5. O vice ouviu dos empresários que eles só aceitam pagar o vale transporte (para o trabalhador chegar ao local de trabalho) e o vale alimentação (para manter o trabalhador vivo). O resto eles desejam que seja eliminado. O vice percebeu e jogou para a platéia dizendo que o salário mínimo não é o mínimo, pode baixar. Depois, o Chicago Boy PG, deu nó em pingo de éter em sua fala na Câmara, dissimulando e escondendo os reais objetivos.

  6. Pobre esquerda, que precisa (quase) sempre recorrer aos exemplos e dados fornecidos pela direitona mais escrota e sabuja que existe no mundo ! ! ! ! ! Tristes t(r)ópicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.