Lula, ao ‘Pagina 12’: “o ódio a mim é como o ódio aos Kirchner aí”

O jornal argentino Pagina 12 publica hoje uma entrevista com o Lula, na qual o ex-presidente

– O que lhe dá forças para começar todos os dias?

– Primeiro, quero viver muito. Não sei por que, mas acho que vou viver 120 anos, então alguém que vai viver muito precisa ter muita força porque, caso contrário, a vida se tornaria chata. E eu sei porque estou aqui. Estou aqui condenado por um ex-juiz mentiroso (Sergio Moro); por um promotor mentiroso e desonesto (Deltan Dallagnol) e por alguns comissários que me armavam com causas mentirosas contra mim. Eu posso não estar aqui, eu poderia ter deixado o Brasil. Mas vim aqui porque tenho quatro pessoas que sabem a verdade sobre esses processos contra mim: eu, Deus, o juiz e os promotores. Eles sabem que mentem. E Deus e eu sabemos que estou com a verdade. É por isso que estou aqui. Estou aqui para provar minha inocência. Além disso, eu provei minha inocência, o que eu quero é que eles provem minha culpa. Quero e continuo esperando que alguém me culpe por alguma coisa. Estou esperando mostrem um dólar ganho desonestamente na minha vida. Na verdade, esse é o crime que cometi neste país, o de provar a uma elite brasileira politicamente desonesta, que é possível que as pessoas comam lombo e chouriço, que é possível que os pobres viajem para Bariloche, para Buenos Aires , para Miami de avião, que é possível que uma pessoa tenha uma casa, que seja possível que uma pessoa entre em uma universidade, que é possível que uma pessoa vá para uma escola técnica e que é possível que uma pessoa tenha acesso à cultura , à recreação, ao teatro, ao cinema, a um restaurante. Esse foi o crime que cometi. Gerar 22 milhões de empregos em branco. Aumentar o salário mínimo em 75%. Disponibilizar 52 milhões de hectares de terra para fazer a reforma agrária. Fazer o maior programa de história nacional do Brasil e fazer amizade com todos os países da América do Sul. Foi o momento de cordialidade. Foi o momento em que não tivemos disputas. Foi o momento em que sonhamos: Kirchner, Lula, Chávez, Rafael Correa, Tabaré, Pepe Mujica e sonhamos em construir um forte bloco econômico, tecnologicamente desenvolvido para poder promover a exportação de produtos de valor agregado e não apenas de mercadorias.

– E o que aconteceu com esse sonho?

– E ainda tenho esse sonho e é por isso que tenho força. Porque ainda quero estar vivo e quero ajudar a derrotar todas essas pessoas más, que não gostam dos pobres, que apenas governam para o mercado. Aqui no Brasil, há um ano, não se fala em emprego, não se fala em salários, não se fala em renda. Fala-se apenas de privatização e redução da máquina pública. Então, minha vontade de lutar é como se eu tivesse 20 anos. Aqui e fora do país. E acho que eles têm medo de me deixar ir, porque sabem que quando me deixam ir, vou para a rua. Eu vou para a rua Eu quero ir até a porta da Rede Globo de Televisão e negar. Há dez anos, ele conta mentiras sobre mim. Quero fazer um debate com o canalha do juiz que me julgou e o promotor que me acusou. Então é por isso que tenho força.

– Sua liberdade depende da justiça, você confia na justiça e nas instituições brasileiras em geral?

– Eu poderia fazer uma pergunta e é uma pergunta que faço a mim mesmo todos os dias. No dia em que parar de acreditar na justiça, fico imaginando o que vou fazer. Não é porque um juiz tenha sido um canalha, não é porque um promotor tenha sido um canalha, você deve julgar toda a justiça por causa desse erro. O problema é que espero, com muita calma, que o Supremo Tribunal tome uma decisão. Eu tenho dois habeas corpus que precisam votar. Há uma grande pressão da imprensa brasileira, especialmente da Rede Globo de Televisão, para que o Lula não saia da prisão. Porque o grande problema da operação de Lava Jato é que ela deixou de ser uma operação de investigação de corrupção e se tornou um partido político. Ou seja, existe um pacto entre a mídia e a operação Lava-Jato. Todas as mentiras que Lava-jato conta, Eles são realmente transformados na imprensa brasileira. Nas três revistas nacionais, nos grandes jornais, a Lava-Jato tinha um jornalista em cada jornal, em cada revista que recebia preferencialmente as informações antes dos advogados de defesa. E isso ainda continua. Vocês acompanham na Argentina as revelações do blog Intercept, que descobriu tudo o que está podre na Lava jato. Para a grande imprensa brasileira, não há Intercept. Nenhuma denúncia feita por Glenn (Greenwald, jornalista da Intercept) é relatada na grande imprensa. Agora, no domingo, houve uma denúncia muito séria das mentiras dos promotores, do comissário de polícia, do juiz Moro, sobre o fato de que eu aceitei ser ministro de Dilma. A mentira é a coisa mais séria até agora e a Rede Globo não disse nada. A Record não disse nada. O SBT não disse nada. Ou seja, a imprensa não consegue se destacar do Lava-Jato porque, quando Lula é libertado, uma parte do Lava-Jato perde credibilidade. Porque até agora eles só contavam mentiras. E estou com muita sede, querendo, em liberdade, questionar a credibilidade dessas pessoas. É por isso que acredito na justiça.

-O que você acha que estava errado se tivesse que fazer uma autocrítica à sua gestão? E o que consertaria isso?

– Aqui no Brasil tem algo na moda, todo mundo quer que o PT faça uma autocrítica. É impressionante. Eles governaram por 500 anos, o PT apenas 13 anos, apenas o PT fez mais do que eles. Para se ter uma ideia, em oito anos de governo, fui o presidente que criou mais universidades na história do Brasil. Colocamos mais estudantes na universidade, em 12 anos, mais estudantes do que em um século. Então, se eu tivesse que fazer uma autocrítica, olhava no espelho e dizia: “Lula, por que você não fez mais? Por que você não melhorou mais o salário das pessoas? Por que você não fez mais universidades? Por que você não gerou mais empregos? Por que você não fez mais pela reforma agrária? ”Essa era a autocrítica que eu faria. Faça mais, mais e mais, porque só assim vamos criar um povo com um padrão de vida decente.

– Como pode ser desmontada essa coalisão entre mídia e justiça para gerar tais golpes institucionais?

– Nunca fui almoçar ou tomar café da manhã com o dono de um jornal, uma estação de televisão para pedir um favor. A única coisa que quero e exijo é que elas existam para informar bem a sociedade, para não mentir para você, para não mentir. E no Brasil muitas mentiras foram construídas. Se você levar em consideração que as principais notícias televisivas do Brasil, segundo pesquisa feita por um professor da Universidade Federal de Minas Gerais, em pouco mais de um ano, são 80 horas nas principais notícias desta televisão. , falando mal de Lula. E, ao mesmo tempo, ele tem mais de 100 horas, transformando um juiz mentiroso em um herói. Quero dizer, eles pensaram que a mentira ia ganhar. E estou aqui para lhe dizer: a verdade vencerá, o que for preciso, tarde o que for preciso, Mas o povo brasileiro saberá a verdade e que as pessoas que me acusaram não têm moral. Eles usaram a justiça para fazer política e o objetivo principal era impedir que Lula se tornasse presidente da República deste país. E que o PT não pode mais vencer as eleições. É isso, o mesmo ódio que tiveram com Kirchner e com Cristina.

– Você se vê de novo Presidente?

.- Estou ciente de que meu papel agora é contribuir para que outras pessoas, mais jovens que eu, com mais energia que eu, com mais entusiasmo que eu … Com mais desejo, não acredito. Mas outras pessoas, o Brasil tem pessoas muito boas. Existem vários governantes interessantes, há novas pessoas na política. Espero que o Brasil não precise de mim. Espero que tenhamos novos quadros, novas mulheres, novos homens para participar de um processo eleitoral.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Vamos colocar o retrato do velhinho no lugar. Da mesma forma que nos anos 50 colocaram o retrato do velhinho no lugar, o sorriso do velhinho faz a gente avançar.

  2. Narrar que são quinhentos contra treze anos é embarcar numa ilusão. O respiro dos anos do petê faz parte da história, mas o poder não saiu do lugar, essencialmente, no longo prazo e em camadas muito mais profundas do que a política. Ao mesmo tempo, o que se cobra com o nome de “autocrítica” é de uma desfaçatez impressionante: é o resultado claro da mágoa velha, bem velha, do tucanato.

  3. Este país só será transformado para melhor quando se criar uma consciência política nesse povo. A transformação de nossos meios de comunicação em transmissores de informação de verdade, só será possível com uma sociedade politicamente estruturada, sem estruturas institucionais frágeis, como as que temos agora.

  4. “Esse foi o crime que cometi. Gerar 22 milhões de empregos em branco. Aumentar o salário mínimo em 75%. Disponibilizar 52 milhões de hectares de terra para fazer a reforma agrária. Fazer o maior programa de história nacional do Brasil e fazer amizade com todos os países da América do Sul. Foi o momento de cordialidade. Foi o momento em que não tivemos disputas. Foi o momento em que sonhamos: Kirchner, Lula, Chávez, Rafael Correa, Tabaré, Pepe Mujica e sonhamos em construir um forte bloco econômico, tecnologicamente desenvolvido para poder promover a exportação de produtos de valor agregado e não apenas de mercadorias (de pouco valor agregado, matérias-primas).”

    Em suma, o crime do Lula, Chavez, Morales, Correa, dos Kirchner, da pink tide toda, foi esse: botar o pobre na equação e imaginar um país soberano e próspero, muito além do papel de gigantesco plantation desejado pelas elites neocoloniais e submissas à Metrópole da vez. Mas pensar em quebrar o ciclo da pilhagem do Sul Global pelo Norte é “pedir muito”.

  5. “O problema do mundo é que
    tolos e fanáticos estão
    sempre cheios de convicção,

    Enquanto os sábios estão
    sempre cheios de dúvidas”.

    Bertrand Russell

  6. “O problema do mundo é que
    tolos e fanáticos estão
    sempre cheios de convicção,

    Enquanto os sábios estão
    sempre cheios de dúvidas”.

    Bertrand Russell

  7. A imprensa canalha fascista hoje com o pé podre e perto de amputar pelo tiro errado que deu no próprio pé ! Toda a equipe podre globosta news estão sem saber o que dizer , batem cabeça , são desonesto com eles mesmo ! O bosta do Merdal Pereira esse coitado , muitos nem sabe o porquê dele ser membro ABL. Só porque e um bosta que trabalha na globosta é melhor poupar os brasileiros PQP! Todos ficam famosos quando a empresa colocar esses jornalistas canalhas diante de celebridade para fazer entrevistas ! O papa Francisco fez um idiota nordestino ser um merda na globosta e outros(as) também ! Globosta continua o câncer do Brasil !

  8. Esqueci o gigante Lula livre ! É o maior líder político vivo atualmente preso político no mundo aliás no planeta terra! Lula LIVRE ! O Brasil tem que voltar ser feliz o povao merece ! Tirar essa canalhice esses milicianos do poder ! Prender o Queiroz ! E junto levar o Aecim do pó também para grades com os seus amigos do Vaza a Jato

  9. A essas alturas já conhecemos bem do que é capaz a nossa elite para saber que o PT fez o possível. Lula é pragmático e devia saber que se esticasse a linha seria derrubado mesmo tendo apoio popular. Dilma errou a mão na economia com Levy e mexeu com certos enclaves: mudou a diretoria de Furnas, tirou gente do Temer da CEF, tornou mais transparente as licitações com a Petrobras, demitiu uns corruptos da estatal e aprofundou programas sociais – e isso foi indesculpável, pois já estava sobrando menos para a elite com a queda de arrecadação do Estado. Para culminar, não negociou com Cunha e não queria dar aumento para o judiciário, daí foi com STF, com tudo. E tudo isso juntou com a espionagem dos EUA que havia culminado na Lava a Jato em guerra híbrida total.

  10. A elite mais canalha do mundo é dona da mídia mais canalha do mundo. E esta, como vaticinou Pulitzer, está produzindo um público tão canalha quanto ela.
    Cabe a cada um de nós lutar para que o Brasil não seja um país definitivamente acanalhado.

  11. O cárcere tem feito muito mal ao ex-presidente.
    Infelizmente, Lula não repete a lição de Talleyrand: “não aprendeu nada, não esqueceu nada”.
    Lula repisa a narrativa de que não faria nada diferente.
    O que implica um quadro mental dogmático, quase catatônico, de negação da realidade de forma obstinada e contumaz.
    Até o mundo mineral sabe o tamanho dos erros crassos de Lula e do PT.
    Insistir com Dilma em um segundo mandato.
    As tempestades de junho de 2013 já informavam que Dilma não poderia ir além de um “mandato-tampão”.
    A nomeação de Joaquim Levy, ex-diretor do BRAM (Bradesco Asset Management – responsável pela administração do patrimônio dos milionários e bilionários brasileiros -, para ministro da fazenda. Levy praticou o estelionato eleitoral que Dilma atribuiu, na campanha eleitoral, à oposição.
    A rendição ao Judiciário da Casa Grande, quando a única opção política e ideológica condizente com a sua auto-inocência declarada seria o asilo político, para o qual não faltariam países e embaixadas à disposição.
    Nem se fale do “Italiano”, residente em um apartamento de R$ 12.000.000,00 nos Jardins, em regime aberto, com tornozeleira eletrônica.
    A direita e a extrema-direita chegaram ao poder, simplesmente porque Lula e o PT persistiram de forma neurótica, com a obsessão pela hegemonia do centro-esquerda e da esquerda, sem abrir mão da cabeça-de-chapa, sob o pretexto de ser o maior partido com maior capilaridade junto à população. Os olhos do PT miravam o fundo partidário que, se aprovado, implicara cerca de meio bilhão disponível aos militantes e dirigentes partidários. Uma bufunfa considerável!
    2018 confirmou que o PT e Lula voltaram ao patamar de 1989, quando Lula e o PT perderam para Collor de Mello.
    O “filhote da ditadura”, na expressão de Brizola, com o apoio da Vênus Platinada, esmagou Lula e o PT.
    2022 confirmará que o PT e Lula voltarão ao patamar de 1989, se Lula e o PT insistirem em perder, outra vez, para o “filhote da ditadura”, conforme a insuperável definição de Brizola.
    O fenômeno do anti-petismo cresceu, de forma lenta, gradual e segura.
    O ciclo do lulo-petismo chegou ao fim.
    A direita e a extrema-direita jogam com as brancas e o espectro democrático, popular e progressista necessita suplantar essa bipolaridade fatal para a derrota dos filhotes da ditadura no Brasil e do ultraliberalismo que empurrou o país para a anomia social.

  12. Mas ao contrário da ex-presidente da Argentina, Lula e o PT não aceitam ter humildade e buscar uma via alternativa na esquerda. Resultado, com o mensalão, petrolão, e outros o PT regrediu a década de 90, chega ao 2 turno, mas a rejeição alta em várias
    do eleitorado, inclusive na classe média o faz presa fácil. A irresponsabilidade de fazer tal análise permitiu ao PT flertar com o caos que vivemos agora, aceitou a derrotada cantada de Haddad para tentar manter a hegemonia da esquerda e nos deixou nesse mar de desgraças que vivemos. É preciso aprender com a eleição da Argentina para a esquerda voltar ao poder em 2022.

  13. Precisamos trazer de volta ao Brasil a capacidade de sonhar. Sonhar com um país livre de empresários sabujos , de imprensa e justiça partidárias, de milicianos perigosos e de imbecis de plantão. Só uma liderança forte e segura pode conduzir o Brasil ao seu grande destino. O sonho tem nome: LULA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.