MEC: sai militar, entram tecnocratas, sob aplausos dos imbecis

O Globo divulga os nomes que comporão parte do 1° escalão do Ministério da Educação e Cultura sob o comando do grosseiríssimo Abraham Weintraub, que hoje soltou mais uma “pérola” dizendo que “uma pessoa que sabe ler e escrever e tem acesso à internet não vota no PT”- e várias outras barbaridades, como a de que em um dia de protestos na Venezuela morre mais gente do que morreu na ditadura militar brasileira e que a solução para agressividade de alunos em sala de aula é cortar o Bolsa-Família (?), processar os pais e tirar-lhes a guarda. Realmente só faltou mandar entregar a criança ao traficante mais próximo, não é?

Bem, a lista – que está aqui – é composta quase que exclusivamente de tecnocratas, gente do “mercado financeiro” e quase ninguém da área de educação. Quem olhar os currículos vai achar que o sr. Weintraub está se preparando para um “vestibular de Economia”. Ou será porque os profesores, como os banqueiros e os donos da mídia “são todos comunistas?” O tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira, nomeado há apenas dez dias e já defenestrado da Secretaria Executiva do Ministério não deve ser, mas foi humilhado assim mesmo.

As falanges bolsonaristas, nas áreas de comentários dos portais, urram de prazer com Weintraub. Um pede a volta da palmatória, outro manda acabar com a merenda escolar, porque  “é um verdadeiro banquete de elite” e aconselha: “tire essa merenda de luxo, escola só para quem quer estudar”.

Ficamos assim, então: a Educação entregue aos energúmenos, sob aplausos dos imbecis.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. Se nem a ditadura militar com seu aparato repressivo e truculento, conseguiu eliminar o pensamento crítico e o contraditório das universidades, eles acham que conseguirão. Vão criar campos de concentração e câmaras de gás?

    1. Sabe Flávio, esse século está um pouco diferente. Vi colegas,com Mestrados e Doutorados, funcionários da UFMG; vestindo a camisa e defendendo Bozo… Até quando vai durar não sei, mas o pensamento crítico morreu por ali.

  2. Felizmente, eu não sei ler nem escrever as sandices do Olavo de Carvalho.

    Mas, convenhamos, é a cara do governo do Boçal Nato.

    Ele precisava de um circo para distrair o público, então nada mais adequado que usar como circo aquilo que é lixo para ele – a educação.

    Enquanto isso, o país afunda – como na música de Chico Buarque – em “tenebrosas transações”.

    1. Discordo do pensamento que o circo e as barbaridades deste governo sejam propositais.
      Elas estão sendo tremendamente úteis,mas, se eles fizessem um governo comúm sem grandes erros (aparentes) nem grandes logros(reais) sería muito melhor pra eles.
      Eles são absolutamente incompetentes,imorais (ética e decoro são descartáveis) entreguistas e sabujos
      .Eles não fingem ,eles são assim mesmo.

      1. Pessoal técnico para tocar a desconstrução e privatizar os investimentos em educação agora há. O problema não é a capacidade técnica e sim o plano político de desconstrução. Do ponto de vista de atingimento dos objetivos, agora está mais preocupante do que a situação de inação do ministro anterior.

  3. Amo tanto meus filhos que decidi não te-los. Cada dia que passa tenho mais certeza de que tomei a decisão certa.

    1. Apesar de ser mãe, sou obrigada a concordar. Registro meu imenso respeito às pessoas que escolhem não ter filhos, porque olha, não está fácil…

      1. Olho para os meus e também sinto culpa. Por tê-los trazido a viver este mundo. Não por tê-los gerado, criado e educado, mas por deixar-lhes de herança este Brasil. Todo o meu esforço tem sido o de reunir lastro financeiro suficiente para que ele possam, um a um, ir buscar sua vida em um pais melhor.

    2. Amo meus filhos mais que tudo nessa vida, mas diante da atual situação a sua opção é completamente sensata. Se eu me casasse hoje e me conhecendo bem eu jamais traria um ser humano pra penar nesse país que nas mãos desses crápulas se tornou cretino e inabitável.

  4. Segundo grande artigo de Eliane Brum hoje no El Pais, temos que rir dessa gente, desmoralizá-los, ganhar pelo ridículo e pelo deboche. Mas confesso que tá difícil. Convivendo diariamente com bestas ruminantes eleitores de bozonaro, tô entrando em parafuso. Não encontro motivos para rir.

  5. Os critérios para a escolha dos “ministros(as)” devem ser o tamanho da ferradura e a potência do coice.

  6. VÃO SER DEVORADOS LENTA E SABOROSAMENTE PELOS MEIOS ACADÊMICOS INSTITUCIONAIS!
    COMO NADA SABEM, VÃO CHEGAR CHUTANDO BALDES E CADEIRAS! MAS, SEM MAIORES INFORMAÇÕES TUDO VAI ESTAGNAR E O SISTEMA TENDE À IMOBILIDADE! SERVIDOR CONCURSADO NÃO MORRE DE SUSTO! PASSA A CUMPRIR DETERMINAÇÕES BÁSICAS DO CARGO E DEIXA A BOMBA SEGUIR SEU RUMO!
    ENFIM… MAIS CAOS! MAIS RESISTÊNCIA! MAIS CONSCIENTIZAÇÃO! MAIS ORGANIZAÇÃO NA BASE SOCIAL E REAÇÃO AO “CORPO ESTRANHO FASCISTA”!
    É SIMPLES ASSIM!
    MAIS 100 DIAS E TROCA-SE O MINISTRO….
    E, COMO SE DIZ, O CABOCLO CONHECE A ALDEIA…
    AFUNDA BRAZZZIL!

  7. Isto era de se esperar. O ensino privado, principalmente as universidades privadas, não aceitam a superioridade acadêmica e a melhor qualidade de ensino das escolas públicas, suas diretas concorrentes. Popular o MEC de economistas está dentro dos desejos deste governo de acabar com o ensino público para encher de alunos as escolas particulares.

  8. Doce ilusão de que o colombiano cairia pra dar lugar a alguém menos ruim. O desgoverno do bolonssauro consegue se superar todos os dias

  9. Nem eles mesmos acreditam naquilo q dizem. Não interessa a mensagem mas sim o efeito q ela provoca. Disse lá o irmão do ministro (q no conteúdo parece uma cópia do irmão) ”xinga. Faz como o Olavo diz pra fazer. E quando você for dialogar, não pode ter premissas racionais”. Eles tem perfeita consciência da irracionalidade deles. Mas a coisa é tão ardilosa e maquiavélica q sempre dá certo q nem receita de bolo. Quem tem prole ou pretende ter, o negócio é ensinar idiomas desde tenra idade e tentar fazer com q escolham profissões q podem ser exercidas em mais de um país. E quem sofre com esse padecimento diário de saber o q o outro lado está aprontando, deve, caso tenha meios, considerar imigrar. O diabo é q o resto do mundo tb tá um lixo. Mas é o eu tenho considerado em minhas ruminações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *