O Brasil do ‘Cavalão’. Por Mario Sérgio Conti, na Folha

Texto admiravelmente claro o de Mário Sérgio Conti, na Folha, que tem muito a ver, também,  com o que falei ontem sobre os “bananões” das instituições e da mídia, que criaram a sombra e o ambiente tóxico em que viram crescer este cogumelo para servir aos seus interesses e que, nem mesmo diante do desastre que produziram ousam reagir.

O Brasil na onda da ciberintoxicação
e da contrainsurgência permanente

Mario Sérgio Conti, na Folha

De novo, não foi na Copa. Tal como nos Estados Unidos, na Hungria, na Turquia e nas Filipinas, o apelo à autoridade e ao obscurantismo dá o tom na política. Um tom de ordem unida: difama inimigos, mobiliza fanáticos, intoxica eleitores.

Lá como cá, a cibertecnologia polui a política: debates na TV cedem lugar à disseminação massiva de mentiras pelo WhatsApp. Cá como lá, militares se achegam ao poder. Vão-se os civis e vêm os generais; vai-se a vassoura e vem a metralhadora (enrustido, o carinho pelo fálico continua).

A singularidade pátria da jabuticaba é um mito.

O Brasil é parte de forças planetárias. Ora elas se configuram assim, ora assado. Depende da situação em cada país, da sua história, da sua cultura, das facções que se enfrentam. As lutas numa nação ricocheteiam noutras.

Na raiz dos movimentos mundiais está a produção material da vida — a economia —, que faz com que bilhões de pessoas pendam para lá e para cá. Como o movimento é desigual e combinado, a França elegeu um presidente de centro-direita, Macron, e o México um de esquerda, Obrador.

A tendência dominante hoje, contudo, é autoritária na política, xenófoba no nacionalismo e conservadora nos costumes.

Há diferenças entre os que a adotam.

Trump não dá bola para religião, enquanto Bolsonaro corteja pastores dinheiristas para angariar votos do rebanho.

O capitão insultou a igreja majoritária, a católica, cuja cúpula comunga com ele a rejeição ao aborto.

A CNBB é “a parte podre da Igreja”, disse. A alta hierarquia papa-hóstia engoliu o sapo em silêncio.

Só D. Mauro Morelli teve peito para falar que ele é “desequilibrado e vulgar”.

O afã em submeter o Estado a seus desígnios aproxima Bolsonaro do húngaro Orban e do turco Erdogan.

Ambos enrijeceram as instituições para reprimir descontentes e diferentes.

Orban pôs mais juízes no Supremo. Aqui, dada a subserviência do STF, talvez nem seja preciso.

Nos Estados Unidos, refugiados e imigrantes servem de pretexto para a xenofobia.

O nacionalismo é seletivo: para ganhar as eleições, Trump se apoiou na máquina cibernética de Putin, a quem sempre incensa.

Aqui, a campanha do capitão usa o sistema de fraudes bolado por corporações americanas.

Só que o Cavalão lembra muito mais Duterte, o presidente filipino.

Clóvis Saint-Clair, autor de “Bolsonaro, o Homem que Peitou o Exército e Desafia a Democracia” (ed. Máquina de Livros, 192 págs.), diz que ele ganhou o apelido de Cavalão devido ao “vigor físico, fala grossa, frequentemente grosseira, e gestos incontidos”.

É tal e qual Duterte.

Ambos usam a retórica da ameaça atravancada.

Dizem barbaridades e, quando pega mal, voltam atrás, explicam que era brincadeira.

Saint-Clair, linguista, diz que se trata de um método expositivo.

Há pouco, Bolsonaro usou a palavra “hipérbole” para desdizer o que dissera. Sabia do que falava.

Duterte elegeu os traficantes de drogas como inimigos. Pôs a polícia na rua e a autorizou a mandar bala na bandidagem.

Aqui, o capitão promete o mesmo. Se eleito, descerá o pau nos inimigos, mas haverá balas perdidas para todos.

A fuzilaria não acabou com o tráfico nas Filipinas.

Isso interessa menos que ter inimigos e manter um estado de tensão permanente.

São muitos os inimigos que o Cavalão enuncia: petistas, sem-terra, sem-teto, ambientalistas, ativistas, quem fica de mimimi.

O capitão se apresenta como um militar patriota, o que é uma fake news digna de WhatsApp. Quem o demonstra é ele mesmo, que na sua propaganda na tevê aparece, dengoso e coquete, batendo continência à bandeira americana.

O lema “Brasil acima de todos” é outra fraude.

O Cavalão não defende nada de nacional, da cultura às artes e passando pela Amazônia. Delegou a condução da economia a um financista da globalização sem limites. Só a corporação dos fardados estará assegurada.

O recurso aos militares se dá nesse contexto.

O pundonoroso Exército de Caxias não ganha uma guerra desde a do Paraguai, na qual um dos seus feitos foi a Retirada da Laguna, ou seja, a fuga. Ele é uma força de uso interno. Tem sido assim de Canudos ao Araguaia à intervenção no Rio.

A estratégia usada pelo Exército foi desenvolvida no Pentágono, onde atende pelo nome de Military Operations in Urban Terrain. Ensinada às tropas brasileiras na “missão de paz” no Haiti, a MOUT é aplicada na Rocinha e na Cidade de Deus.

Contrainsurgência permanente, ela pressupõe a tutela e militarização da sociedade.

É esse o Brasil que o Cavalão prega.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

45 respostas

  1. ele pregar – tudo bem, sabemos que é um beócio
    duro é constatar a burrice do povo querendo eleger esse traste influenciado por calunias e difamações

  2. O PSDB de Aécio, a mídia golpista de Bonner e o judiciário golpista de Moro: Estes são os culpados pela invenção satânica que vai sair das trevas para ocupar o Planalto. Depois não poderá haver arrependimento de quem assinou o contrato com o Diabo.

  3. Cansou-se de ser dito aqui em todos os lugares que não haveria eleições e, que se houvesse, seria uma fraude. O golpe não teria sido dado com tanto planejamento, empenho e…lucros se fosse para dois anos depois se perder num mera eleição. Dilma, Suplicy e Requião estavam disparados em primeiro lugar para uma de duas vagas para o senado e perdem ficando em 3º ou 4º. Em Minas ou no Rio chegam disparados ao 2º turno dois candidatos que, rigorosamente, ninguém tinha ouvido falar. Todos do partido ou bolsonaristas declarados. Cada país com suas características mas, sim, o Conti tem toda razão. A história programada e que programa a todos nós está sendo executada à perfeição.

  4. O cavalão está solto e pregando barbaridades porque teve apoio da mídia golpista , Ministério público eleitoral e federal, polícia Federal, TSE, STJ, STF, TRF-4 etc…

    1. Faltou voce enumerar as forças armadas uma castta previlegiada armada até os dentes que so servem para matar brasileiros

    2. O cafajeste Bolsonaro teve e têm a participação e o apoio decisiva dos meios de comunicação tradicionais, bem como da justiça, venal, cara, corrupta e apátrida que temos.

  5. Esse cavalão que muitos pregam que mais cedo ou tarde se voltaram contra eles (provaram do próprio veneno) e quando esse dia chegar não poderão vir como mimimi. Já quem botou ele no poder serão exatamente aqueles que pregaram essa situação toda infelizmente.

  6. Vídeo mostra empresários e o coisa combinando envio de fake news

    Video prova que o coisa sabia dos “investimentos” de empresas em sua campanha via caixa 2 para produzir fake news contra os adversários

    https://www.facebook.com/brasileternamente?__tn__=%2CdC-R-R&eid=ARAq-WM_CsvYzXJQSLuLXG5SuGDt79iZVoOga12IoG2dnkxnxkFoI0qSNaqfixyZN4FoXUmCZFektry3&hc_ref=ARTL7VoAg-kvbB4QQBqObtoZPOJfroxSdVTLBz7cPv8Jai6kVWb3IFaWa-Pd_QcpjKU&fref=nf

    https://www.youtube.com/watch?v=R40lSZcQpUE

  7. Imaginem o Brasil sendo governado por um cavalao destes e o uso que ele faria do WhatsApp. Se quisesse cassar ministros do STF, procurador geral da república, presidente da camara, presidente do senado, governador, deputado, senador ou qualquer outro desafeto bastaria usar o WhatsApp né não. Ele teria o controle total sobre as instituições. Deve ser por isso que não aceita apenas 20 retuites no WhatsApp. Ele quer lutar por 250 retuites. Pois já que pode ganhar uma eleição presidencial com 20 retuites, o que não poderá fazer com 250? Eu digo: ele vai colocar o país de joelhos. Portanto, vocês aí que têm poder para barra-lo, se não são democratas, nem patriotas e não estão nem aí para o povo brasileiro, ao menos pensem em si mesmos e afastem a sombra do fascismo de cima do nosso país.

  8. O Erdogan é um nacionalista além do fanatismo, e tem desafiado os americanos diariamente, depois que sofreu tentativa de golpe de estado engendrado pelos Estados Unidos. Ao detonar este golpe, ele mandou prender 2.750 juízes e procuradores que estavam a serviço do golpe. A última dele foi que, depois de ter comprado por imposição da OTAN da qual faz parte aviões de última geração dos EUA, ele fez um giro de 180 graus e comprou um sistema de defesa aérea de última geração dos russos. Trump, furioso, fez a moeda da Turquia despencar de valor no mercado financeiro, mas Erdogan não voltou atrás. Aqui, quem deveria ser ultra-nacionalista bate continência para a Stars and Stripes e entra em delírio gritando com a plateia americana: USA! USA! USA!

    1. O Mário Sérgio Conte da globonews não sabe nada do Erdorgan . Se a Dilma tivesse dado um cavalo de pau no governo dela como o Erdorgan fez e o Putin alertaram a ela e o Lula , Talvez não tivesse sido derrubada. Com golpistas não se brinca, coloca -se na cadeia. Dr. Moro era para ser preso desde o início !!!!!!!!!!!!! .

      1. Acho que ela não tinha força pra isso. Para tanto é preciso contar com um exército aliado e nacionalista, o que não é nosso caso.

    2. “Golpe” forjado por ele mesmo para prender quem ele queria. Bozomerda provavelmente vai tentar o mesmo acusando a “esquerda” ao invés dos EUA.

      1. Também não acho que foi golpe forjado por ele mesmo. Foi coisa de um expatriado – uma espécie de Olavo de Carvalho – e do Pentágono.

  9. Agora depois dessa, que o moralista de goela nao vai pra debate nenhum, até a dilma nao fugiu dos debates. A banda podre da midia tentou abafar o CAIXA 2 do candidato “fake news”, se fosse o PT a globo faria um jornal nacional de 3 dias desmentindo todas as fake news. Pimenta no dos outros é refresco, bozonaro nao passa de uma fraude.

  10. Complementando meu comentário anterior: esqueci dos proprietários de jornais, revistas e redes de TV. Eles também estão no pacote, é claro!

  11. Desde sempre essa dificuldade das elites e do povo que ela manipula em se integrar na civilização como durante a escravidão Jose de Alencar esperava a gradual conscientização da elite para aceitar o obvio – a injustificavel escravidão – como agora se agarram ele por que são contra a inclusão projetada pelo PT.Como disse Ricardo Semler votam com a bilis

  12. Ainda complementando comentário anterior: hah, uma vez eleito, o Cavalão não estará em campanha eleitoral e os empresários poderão comprar a rodo os disparos de fake news para agrada-lo. Se eles fizeram isso na ilegalidade, imaginem quando não houver óbice legal. O máximo que daria para eles seria um processo de calúnia, injúria ou difamação, isto é, se fossem descobertos. Essa gente tem muito dinheiro. Isso é mole para eles bancarem. Agora, para quem é prejudicado não há dinheiro que pague a destruicao da reputação e os prejuízos dela decorrente. Ainda mais para quem não está precisando engrossar o caixa. Pois então, tudo indica que, se eleito, o cavalao provavelmente receberá ‘singelas’ doações WhatsAppianas daqueles que não querem pagar impostos nem direitos trabalhistas.

  13. O BOLSOLÃO é o maior crime de corrupção eleitoral da história mundial!

    O BOLSOLÃO do “capitão SuperFAKE” ‘DESmoroLIZOU’ o TSE, O STFede, o ‘mor(T)o’, o “DD playboy de porta de igreja” &$ o restante dos nazigolpistas tudo dentro!

    “O Coiso” é um mix do Coronel Ustra com o Tiririca!

    1. O juizeco ‘mor(T)o’ &$ o “DD playboy de porta de igreja” da ‘Farsa a Jato’ já se pronunciaram a respeito do BOLSOLÃO?

  14. O lider militar do golpe chama-se general Augusto Heleno, que foi comandante das forças da ONU no Haiti (a MOUT de que fala Conti), onde foi cooptado pelo pentágono e adotou suas táticas, sua agenda e tornou-se um agente estrangeiro dentro do exército brasileiro (suas posições revelam isto, basta ler, está publicado).
    As digitais do general Augusto Heleno estão estampadas na entrevista anônima ao jornal Ambito da Argentina (ler a tradução em http://www.patrialatina.com.br/jornalista-argentino-revela-como-as-forcas-armadas-construiram-a-candidatura-de-bolsonaro-para-chegar-ao-poder/).
    E bolsonaro em ato falho referiu-se a Augusto Heleno como seu vice (ou seja que de fato fala pelos generais golpistas).

  15. Complementando: e se o prejudicado vier a público denunciar que ele – o Cavalão – está por trás, ele vai dizer: ora essa, o que é que eu tenho com isso? Se alguém resolveu te sacanear pelo WhatsApp o problema é seu. Não estou sabendo de nada e quero distancia de quem sabe.

  16. TEXTO PERFEITO,CORAJOSO E QUE METE O DEDO NA FERIDA ,MAS,COM UMA RESSALVA ,NENHUMA MENÇÃO AO PAPEL DA TURMA DA MÍDIA (SEUS EMPREGADORES) NA CRIAÇÃO DESTE VERME MONSTRUOSO E GENOCIDA

  17. Parece que alguns jornalistas da Record denunciaram no sindicato dos jornalistas de SP que eles estão sendo coagidos pela emissora a favorecer Bolsonaro na programação e prejudicar Fernando Haddad. Já não basta os empresários estarem coagindo os empregados a votar nele. Se o capitão fosse tão bom assim não seria preciso enfia-lo pela goela de ninguém.

  18. O juizeco da ‘Farsa a Jato’ já se pronunciou a respeito do BOLSOLÃO? E o DD?

    “O capitão SuperFAKE” do BOLSOLÃO é o TRUMPaceiro da vez daqui!

    O juizeco de Curitiba não vota no Haddad, portanto, ele e o DD votam no BOLSOLÃO do “capitão SuperFAKE”! KKKKKKKKKKK

  19. O pessoal da ‘Farsa a Jato’ vota no candidato do BOLSOLÃO, “o capitão SuperFAKE”, 17 na urna!

  20. É atacá-lo em diferentes flancos. Pode-se reverter muitos votos, pois
    grande parte dos eleitores de Bolsonaro apega-se a questões morais e
    práticas que, infelizmente, acham que o coiso é uma solução.

    Para que tais eleitores leiam suas mensagens, pode-se usar o artifício
    da concordância, para depois jogar uma frase que faça o eleitor pensar
    (se é que isto ainda seja possível). Por exemplo:

    – Vamos votar em Bolsonaro para acabar com o cabide de empregos do Banco
    do Brasil. Vamos privatizar esse banco, mesmo que acabe com os juros
    mais baixos que ele oferece aos agricultores. Estes vagabundos que
    plantam vão ter que pagar juros maiores ao Itaú e Bradesco!

    – Vamos votar em Bolsonaro para acabar com o cabide de empregos da Caixa
    Econômica Federal. Vamos privatizar esse banco, mesmo que acabe com os
    juros mais baixos que ele oferece para a casa própria. Afinal, o
    apartamento que já temos da MRV não é tão pequeno assim!

    – Vamos votar em Bolsonaro para acabar com o cabide de empregos das
    universidades públicas. Vamos privatizar tudo, afinal poderemos pagar
    mensalidades entre R$2.000,00 (curso de letras) e R$ 11.000,00 (direito e
    medicina) para nossos filhos, sem ter que ficar convivendo com a
    pobraiada.

    – Vamos votar em Bolsonaro para eliminar a igreja católica em nosso
    Brasil. Vamos eliminar também este excesso de igrejas evangélicas,
    permitindo somente as comandadas por Edir Macedo, Feliciano e Silas
    Malafaia!

    – Vamos votar em Bolsonaro para acabar com estas mamatas da previdência.
    Vagabundo com menos de 70 anos tem que trabalhar mesmo, não ganhar
    aposentadoria!

    – Vamos votar em Bolsonaro para acabar com estas tias (professoras)
    primárias, que vivem a pregar comunismo para nossos filhos! EAD é a
    solução!

    – Vamos votar em Bolsonaro para matarmos os bandidos com nossas próprias
    mãos. Não precisamos de polícia! Precisamos é de armas que possam ser
    adquiridas nos supermercados. Se nossos filhos sofrerem bullying nas
    escolas, eles poderão revidar atirando nos agressores! Em discussão de
    trânsito, com nosso treinamento em Counter-Strike e CoD, sacaremos e
    atiraremos primeiro!

    – Vamos votar em Bolsonaro para acabar com a corrupção na Petrobras!
    Vamos vendê-la, mesmo que o comprador aumente o preço dos combustíveis e
    do gás de cozinha!

  21. Hoje veremos o triste espetáculo da instauração de uma ditadura, com o cancelamento do segundo turno – por crime eleitoral no primeiro turno. E a designação pela ABIN do “presidente” monitorado do STF, Toffoli, como mandatário tampão, de posse de um decreto ditatorial assinado por temer, ao apagar das velas de seu desgoverno usurpador e ilegítimo. No timing exato de ser promulgado o AI-171 no Fantástico, o porta-voz da casa-grande para a senzala.
    Por favor, perdoem minha imaginação pervertida, ISTO É SOMENTE UMA FICÇÃO!

  22. O texto é bom mas surpreende pela ingenuidade ao comprar a tese da mídia-empresa dos EUA da interferência russa na eleição de Trump, até hoje não comprovada.

    1. Ele segue a cartilha da mídia hegemônica ocidental. Ou não sabe de nada ou finge não saber do que realmente se trata a geopolítica atual.

  23. eles estão entrando no poder fácil fácil mas difícil será tirá-los de lá. Haverá mais gente para resistir do q houve em 64. Porém o contingente q antes era alienado agora os apoia ostensivamente

  24. A verdade é que teremos um terrorista, o Cavalão, no planalto. E muito terror no país. Pedir ditadura na democracia é fácil. Quero ver o oposto. Quero ver se os coxinhas serão os machões que foram contra a Dilma, ou se esconderão embaixo da cama, como sempre fizeram. Vai sobrar prá todos. Todos pagaremos por este erro insano: de petistas a tucanos, de coxinhas a mortadelas. Banqueiros, mídias e USA agradecem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *