O brasileiro é mais civilizado que suas elites

pesqcons

Más  notícias para os sabidos da mídia, para os furiosos das redes, para os adeptos do ‘mata-esfola’ e para os neoliberais de cartilha e mantra do “estado mínimo”.

Ricardo Mendonça, no Valor de hoje, nos traz pesquisa do instituto Ideia Big Data na qual se indica ” que as posições dos brasileiros são bem menos conservadoras do que tem aparecido nas análises políticas, nos discursos de parlamentares e em manifestações em redes sociais”.

O estudo mostrou, entre outras coisas, que há forte apoio dos brasileiros à atuação do Estado para garantir igualdade de oportunidades, proteção aos mais pobres, aposentadoria aos mais velhos e crescimento econômico do país. São majoritários também o apoio a cotas raciais em universidades públicas e a defesa de direitos de homossexuais. A formulação segundo a qual os direitos humanos “devem valer para todos, incluindo bandidos”, supera com folga o entendimento de que deveria ser algo seletivo. E uma ampla maioria manifesta rejeição à ideia de punição criminal às mulheres que fazem aborto.

Até a história de que o Brasil precisa de “menos Estado” – que os colunistas não cansam de repetir como verdade absoluta sai torpedeada. Praticamente 80% preferem serviços públicos melhores e só 20% querem impostos mais baixos e que os pobres que se virem.

Mais de 86% acham que o governo deve proteger os mais pobres, e ampla maioria pensa que deve garantir a aposentadoria para todos, atuar na economia para promover o desenvolvimento. Idem para a importância dos partidos políticos (é…) e contra o encarceramento generalizado.

Publico abaixo as principais perguntas da pesquisa, encomendada pelo movimento Agora! , insuspeito de qualquer “esquerdismo”. Até o Luciano Huck o integra.

pesqcons1

 

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. Sobre a liberação da maconha a periferia, da qual faço parte, entende que droga são as substâncias proibidas.

        1. ô Frede69, ‘que nem’ pharmácia é a Globo porque ali o que não é droga, é manipulação.

          Sobre a superioridade do povo vs elites ate o Sarney sabia isso.
          Foi coisa de 30 anos atras que o presid Sarney disse, alias repetiu em um discurso oficial o q ja fora dito por outros : ”O povo brasileiro, enquanto povo é muito melhor que suas elites, enquanto elites”.

  2. Boa noticia para os brucutus que proliferam por aqui vomitando misoginia, homofobia, racismo e alergias às feministas, ao politicamente correto (crítica da direita para enganar esquerdista ameba), ou ainda, ao “suposto patrulhamento” (termo utilizado por machista parado no tempo). Essa notícia deve ajuda-los a tirar a poeira da cabeça por conta de um tempo que não volta mais. Até que enfim!

  3. Enquanto isso olha a parceria, Banco do Brasil e Globo. Acabei de receber o e-mail: “ O Banco do Brasil Estilo oferece a você acesso gratuito, por 75 dias, a todo conteúdo Premium do aplicativo Globo Mais. No aplicativo você tem todas as edições diárias do jornal O Globo e também das revistas da Editora Globo, em um único lugar, com assuntos de economia, negócios, gastronomia, moda, saúde, tecnologia e outros temas, de forma fácil e organizada.”

  4. realidade cruel com os filhotes da ditadura. comprovação prática de que as idéias do retardado do bostonauro são representação de uma minoria, que nas suas mentes confusas, se imaginam maioria!
    desenhando pra explicar. pra uns 45% o caminho é a esquerda. pra outros 45% o caminho é a direita. e uns 10% que acham que são maioria!

  5. somente a proibiçao da legalizaçao da maconha e a divisao sobre a pena de morte mostram um aspecto mais conservador

    1. Legalização da maconha não é questão de conservadorismo mas sim de interesses econômicos de vários setores da mafia internacional dos donos do mundo. Quanto a pena de morte pode-se considerar que está sendo aplicada no genocídio dos jovens negros brasileiros já há muito tempo. Tudo assim naturalizado e distorcido. Nada a ver com conservadorismo !!!

  6. A estratégia da direita é reverberar poucos para que pareçam muitos, sempre foi assim. A diferença na atualidade são as redes sociais e suas bolhas “criadoras de realidade” e, em consequencia, de desesperança para os que acreditam que o mundo pode e deve ser diferente.

  7. Isso só prova que o povo pensa uma coisa e responde outra. É como aquela pesquisa que mostra que 98% dos brasileiros acredita que há racismo e 98% dizem que não são racistas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.