O inferno em nome de Deus

Já faz tempo que Jair Bolsonaro tornou-se um aproveitador da fé.

Isso, porém, chegou ao ponto do mais farisaico fundamentalismo.

Sua política não tem a menor vergonha de invocar Deus como avalista de seus atos demoníacos, que despreza vidas humanas.

Hoje, chegou a cúmulo, ao levantar uma imagem de Cristo diante de fanáticos adoradores. Adoradores de um homem que está lançando pessoas à morte pela doença, como antes adorava a morte pelas armas.

Ninguém, religioso ou não, que conserve o mínimo de razão, não pode se conformar em ver a fé assim manipulada por interesses políticos, num num espetáculo orgiástico, onde se urra por um autoproclamado e falso profeta.

Já não é direita e esquerda o que nos separa de Jair Bolsonaro, mas o simples exercício da inteligência humana.

As instituições de uma república laica não pode aceitar ser coagida pelo fundamentalismo.

Num governo, não temos um deus a quem o povo serve e dá a vida, mas um presidente que serve ao povo e deve dar a vida, até, pelo povo.

É preciso reagir contra este “estado islâmico” cristão, contra os talibãs que se proclamam evangélicos, contra este fanatismo obtuso que está desmobilizando nossa defesas médicas contra uma doença mortal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. Ha gente dessa turma q invoque que no passado os sacerdotes nao temiam esses demonios invisiveis e levavam conforto espiritual e q se o sacerdote nao tem coragem de levar a palavra aos necessitados ele nao e digno e deve ser desprezado pelos verdadeiros fieis

  2. Desculpa, amigo, mas o cristianismo é
    isso mesmo. Uma ideologia inventada por Constantino, com base em
    crendices surgidas durante uma agitação judaica contra o império romano,
    que tornou-se a religião oficial de todos os impérios a partir daí.
    Matou-se mais em nome de cristo do que em nome de qualquer outra ideia
    ou religião em toda a história da humanidade.

    1. Desculpe, mas isso é duvidoso. Acho que se matou muito mais em nome de Tangri. Também se matou absurdamente em nome de Svarog. Matar tem sido uma constante na evolução das civilizações, e os deuses ajudam nessa tarefa. Parece absurdo matar em nome de Buda, mas isso também já aconteceu muitas vezes.

  3. O talibã tem caráter nacionalista e a moral islâmica que eles praticam não é hipócrita. Isso tá mais pra estado islâmico mesmo, que é a política religiosa niilista, ou seja, a religião como um fim em si mesma, pra não levar a nada. Obs: não sou contra a religião mais sou contra o niilismo.

  4. Se Jesus (o verdadeiro) voltasse agora ao Brasil seria xingado de comunista.

    Sim, “comunista” virou um xingamento como outro qualquer.

    1. O xingamentos de comunista vindo das bocas e mentes que vem, já está sendo elogio. Comunista = aquele que pensa e age pela comunidade, pelo social. Comunista = aquele que é solidário, altruísta, que coopera com o seu próximo. Jesus Cristo comunista tudo haver nos dias de hojebcom esse bando de obtusos que tomou o poder e essa vara de descerabrados que os elegeram e ainda os apoiam.

  5. Alguém sabe por que o Marques de Pombal expulsou os jesuítas de todas as terras portuguesas? Foi após o grande terremoto e maremoto de Lisboa. Quando o Marques disse: enterrem os mortos e cuidem e alimentem os vivos. E, o que os jesuítas fizeram para ajudar? Eles que já vinham incomodando a tempos, em luta pelo poder temporal, organizaram procissões que passaram a circular para cima e para baixo em Lisboa a arregimentar pessoas, alegando que tinham que se penitenciar, pois os culpados pela tragédia era a população por causa dos seus pecados. Esse foi um dos motivos, pois além de não ajudarem em um momento de grande dificuldade, passaram a atrapalhar provocando pânico e histeria coletiva. Que falta fazem nos dias de hoje homens públicos como o Marques de Pombal.

  6. Ha um paralelo claro entre o Bozo explorar o fundamentalismo religioso e encorajar as pessoas a se contaminar com o novo coronavirus e o episodio do apolgista do suicidio coletivo Jim Jones, que mandou seus mais de 900 seguidores beber Flavor Aid / Kool Aid envenenado com cianeto em Jonestown na Guiana em 1978. Me admira que a imprensa nao tenha notado a semelhanca. E pior ainda o Congresso que, conivente e irresponsavel, nao esta trabalhando no impeachment imediato deste genocida alucinado sentado no Alvorada. A diferenca e’ que Jim Jones era o lider espiritual de umas 900 pessoas, que ele induziu ao suicido, enquanto e o Bozo e’ o presidente de 210 milhoes de brasileiros. O estrago vai ser muito maior.

  7. Se tivesse um mínimo de fé, em qualquer coisa, estaria todo borrado de medo das consequências.
    O fato é que psicopata não tem sentimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *