O marketing da barbárie

O tal Olímpio quer professores e funcionários armados nas escolas para “evitar tragédias” como a de Suzano.

Flávio Bolsonaro quer facilitar a instalação de fábricas de armas e de munições.

Bancada da bala usa massacre de Suzano para faturar, mostra Bernardo de Mello Franco, em O Globo.

A cereja podre do bolo amargo veio hoje, mais cedo, quando o histérico vereador Fernando Holiday, do MBL, foi ao Twitter anunciar que tentará obstruir a indicação do nome de Marielle Franco a uma praça paulistana, pela falecida ter sido “uma vereadora extremista que defendia ideais perturbadores”.

Não, não é apenas estupidez e insensibilidade, embora sejam estúpidos e insensíveis.

É o marketing da selvageria com que se promovem ante uma sociedade transtornada pelo ódio que nossas elites construíram.

Não são elementos curiosos, “folclóricos”, apenas bobalhões, como muita gente tende a ver.

São os vermes do ódio que sobrenadam no caldo de brutalidade que impuseram ao povo brasileiro.

Só há uma maneira de acabar com eles, é secar este caldo, sem o qual voltam a ser as larvas que eram.

Desprezem-nos, porque é só o que merecem.

Mas a mídia mexe e remexe essa panela, porque precisa desta gente para impedir que o povo brasileiro recorde que, não faz muito tempo, este era um país de esperanças.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. Todo este frisson com a venda de armas e armamento das pessoas é marketing sim: das indústrias de armamento que pagam os políticos e suas campanhas.

  2. Deixa o povo pobre sofrer, Fernando Brito! Ele gosta disso. Ele veio ao mundo pra isso. Quem sabe algum dia mude! Duvideodó????

    1. É o negro da casa grande, que come o de melhor que o seu sinhô lhe oferece para manter a senzala esperançosa por dias melhores!

      1. Pois é, e ainda acha ruim ser chamado de “capitão do mato” pelo Ciro Gomes…????
        P.S.: eu não gosto do Ciro e nunca votei nele, mas nesse caso específico ele tem razão.

    2. É negro, mas combate qualquer medida para diminuição da desigualdade social. É gay, mas evitou durante muitos anos de assumir sua condição. Diz que combate a corrupção, mas foi eleito pelo DEM e faz parte do MBL (patinho da FIESP)….. Sem palavras para um sujeito assim.

  3. E o pior dos negros. Aquele que defende o senhor dono de senzala! E tem negro como ele . Sem caráter e sem vergonha na cara! Este negro merece ser linchado e pendurado no poste como fizeram com o Musseline !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.