O tumor Bolsonaro, análise de Luís Costa Pinto

O olhar atento do jornalista Luís Costa Pinto ajuda muito este blogueiro ao apontar-me, diariamente, no Facebook, pautas e temas que devem, necessariamente, analisados e destacados para mais bem entender o Brasil.

Hoje, faz uma importante metáfora sobre o estado de doença do organismo nacional e a falta de uma reação vigorosa ao “tumor que adoece, enfraquece e ameaça o Brasil”, Jair Bolsonaro, cuja extirpação deve unir todos os brasileiros interessados em retormar a sanidade do funcionamento do corpo-Nação.

É claro, didático e enérgico, inclusive ao tratar dos danos que isso está trazendo ao país na sua inserção mundial, exibido, a partir da figura presidencial, “um país estranho”, onde habitaria “um povo chulo, ignorante e boçal”.

Vale cada segundo assistir.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

12 respostas

  1. A dura realidade é que o Crime Organizado se instalou no poder e paulatinamente ele vai se firmando e decidindo os rumos do país. Infelizmente.

  2. O termo “tumor” embora traga à mente imediatamente a desgraça que o Bozo representa, o melhor seria usar a palavra CÂNCER.
    É que existe o tumor benigno. E todos sabemos que Bozo não tem nada de benigno.
    Então, acho melhor o termo “CÂNCER BOLSONARO”.

  3. O grande Paulo Nogueira B Jr escreveu artigo no GGN, onde faz a seguinte pergunta: “Bolsonaro tem futuro?
    Respondo com uma adaptação de um antigo enigma.

    Suponhamos que você seja o Brasil. Você está diante de um desafio.
    Há duas portas, uma leva ao céu e a outra, ao inferno.

    Em cada uma delas há uma pessoa.

    Uma sempre fala a verdade, sempre.

    A outra é o Bolsonaro (ou seja, só fala a mentira, sempre).

    A porta do inferno é guardada por Bolsonaro.

    Você só tem direito a uma pergunta a apenas um daqueles que guardam as portas.
    Ambos não podem ser reconhecidos. Você não vai saber a quem está perguntando, e nem qual porta é, claro.
    E através da resposta, você tem que decidir em que porta entrar.

    Que pergunta você poderia fazer para assegurar que sua decisão lhe garantiria o acesso ao céu, sem risco de cair no inferno?

    Solução. Você pergunta: Bolsonaro tem futuro? Dependendo da resposta, se afirmação ou negação, você inverte, faz o oposto.

    Ou seja:

    Se a resposta for sim, Bolsonaro tem futuro, você diz não, e vai pra outra porta. Isto é a entrada do inferno.

    Se a resposta for não, Bolsonaro não tem futuro, você diz sim, e entra sem medo. Ali estará o céu.

    Né não?

    Nota: A pergunta solução original é: “O mentiroso tá na porta do céu”. O resultado é o mesmo.

  4. Me lembrou o filósofo e médico do século XIII, Marsílio de Pádua, que tratava a filosofia política utilizando o corpo humano.

  5. Muito bom mesmo.
    Pintou o que resta do Brasil com cores realísticas e sombrias.
    Infelizmente é a verdade.
    Tristíssimo.

    1. E DAI Sr. BOLSONARO

      MORTES PELO VÍRUS ATÉ 03/05/2020 7.025
      MORTES PELO VÍRUS ATÉ 04/05/2020 7.321
      MORTES PELO VÍRUS ATÉ 05/05/2020 ?
      MORTES PELO VÍRUS ATÉ 06/05/2020 ?

  6. Excelente. Porém tenho a estranha (e horrível) sensação de que NADA vai acontecer. O estúpido desgovernante miliciano vai continuar fazendo seu governo capenga (pato manco) como dizem nos EUA. Incentiva os ataques as instituições, fala suas insanidades diárias, pede desculpas ali, provoca novamente acolá, notas de repúdio são emitidas, e fica tudo na mesma. Apostaria minhas fichas na dupla moro-globo derrubando o desgovernante bozo-demente, mas estamos em casa, não há oposição. Nao há clima nas ruas. Eu mesmo fico em casa postando “FORA BOLSONARO” mas isso não é suficiente, eles devem rir a toa. As mortes da pandemia serão suficientes para derrubar Bozo? Creio que não.

    1. O problema é que não fica tudo na mesma. Enquanto esta novela barata é exibida ao desorientado espectador, o Guedes faz boca de siri para ver se passa sem marola no Congresso sua PEC dos Trilhões. Há muitas oportunidades dentro de uma brutal pandemia em terras subdesenvolvidas, basta ter bons olhos de corretor para descobrir. O Guedes está caladinho porque ainda pretende fazer passar sua PEC 10/2020, pela qual o Banco Central terá carta branca para, segundo a Maria Lúcia Fattorelli, “operar no desregulado mercado secundário (de balcão) como um mero operador independente, podendo comprar derivativos sem lastro e debêntures de bancos, sem limite de valor, sem identificar os beneficiários, sem obedecer aos “Procedimentos Mínimos” recomendados pela Anbima, sem a possibilidade de investigação efetiva, sem limitar o prazo dos papéis, sem a exigência de contrapartida alguma ao país, e mais: pagando tudo isso com títulos da dívida pública, cujo peso recairá sobre o povo brasileiro!” Talvez seja essa espera para que seja servido o jantar aos especuladores aquilo que ainda está a segurar o desgoverno Bolsonaro. Aguenta, Brasil. (Leia o artigo de Fattorelli “Golpe de trilhões em plena Pandemia”, por Maria Lucia Fattorelli, neste link: https://auditoriacidada.org.br/conteudo/golpe-de-trilhoes-em-plena-pandemia )

      1. Terror. Maria Lúcia vem advertindo durante anos sobre a Caixa Preta da Dívida Pública.E agora essa PEC. Estopa e Pepe Escobar estão certos sobre o movimento dos 1% sobre a Humanidade. Um grupo seleto de pobres mortais sobrarão para servir a “Elite 1%” ganhando o suficiente para sobreviver, enquanto o restante morre de fome nos guetos. Oblivion é muito claro em relação isso. Os servos tem 30 anos para viver. Vida regrada e controlada. O resto é lixo. A Terra é plana, dentro do sistema dos “1%”.

  7. É um fundo de poço tão ignóbil que a gente nem sabe mais o que dizer. Ficamos aguardando uma reação que venha de não sei aonde. As forças progressistas estão desde 2016 reagindo, a reboque. Viramos uma colônia com títeres milicianos, criminosos. Triste fim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.