Programa de governo: doença e ignorância

A manchete da Folha quer dizer isso mesmo que você está lendo aí.

Falta chamarem as agências de propaganda para lançar os programas “Mais burros” e o Mais Doentes”.

Ou, quem sabe, reunir tudo num grande “Mais Pobres”, por medida de economia.

Paulo Guedes, o feitor do Brasil, não tem vergonha nem mesmo com o espetáculo apavorante que nos dá o Chile, seu modelo de política econômica.

Lá, a educação vem perdendo recursos – é metade do que gasta o Brasil, em percentagem do PIB – e a saúde é cada vez mais privada: pode ter quem puder pagar.

Isso, sim, é que é pais modelo a ser seguido! Falta a capitalização da Previdência, que arruinou a velhice por lá e não deu para enfiar goela abaixo aqui, mas seguem tentando.

Mas e o descontentamento popular? E se ele explodir?

Ora, chama o Exército e manda bater.

Povo serve para trabalhar muito, ganhar pouco e sem chiar.

Com menos educação, ganha menos; com menos saúde, morre mais e alivia o déficit previdenciário.

Estamos no século 21 e sendo dirigidos por almas de escravocratas do século 19.

E que estão dispostos a fazer dos nossos militares – sob a pusilanimidade de alguns altos oficiais – capitães do mato deste retrocesso civilizatório estrelado por personagens ridículos e sem amor ao povo brasileiro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

30 respostas

  1. discordo apenas do fim do texto, quando o autor coloca os militares como forçados a aceitar a função de capitães do mato por alguns generais malvados. A história tem mostrado que todos fazem isso com alegria. Nossas FFAA são uma escola de formação de capitães do mato e eles exercem a função com grande entusiasmo.

    1. O autor do blog ,assim como alguns por aí,ainda imagina a ou sonha com um militar NACIONALISTA.
      A realidade mostra extamente o contrário ,mas, fazer o qué????

    2. Sim, soldados, pobres em sua maioria, e pagos para sub-julgar o povo quando necessário. Mas a culpa é do próprio povo brasileiro, rebanho por excelência.

      1. vc tem razão, devemos ser mais precisos. Os generais de hoje foram formados pelos vencedores de 64, que fizeram uma “limpeza ideológica” nas FFAA, e o baixo oficialato de hoje foi formado por esses generais. Seria razoável afirmar que 99% das FFAA são de capitães do mato. O 1% restante conseguiu se disfarçar para não ser descoberto, ficando em silêncio e cumprindo as ordens. Eu fui injusto ao arredondar.

        1. Bom, o detalhamento. Precisamos saber muito mais a respeito da formação de nossos soldados e nossos oficiais. Quanto mais soubermos, mais vamos tirar esta cortina espessa que encobre suas atividades e seus pensamentos do resto do país e do povo aos quais deveriam servir com devoção absoluta. Mas ainda dá para contestar os números. 99% parece exagerado. Houve, sim, uma limpeza ideológica em 1964, mas escaparam desta limpeza generais como Geisel, que deu condições, por exemplo, para que fizéssemos um enriquecimento de urânio próprio e independente, a despeito da radical oposição dos EUA. Talvez por este feito, que atraiu o ódio dos Estados Unidos e deve ter influenciado na prisão do almirante Othon pela Jetwash, Geisel foi considerado comunista e o é até hoje, por esta mesma turma do Bolsonaro. Mas não é possível que não haja muitos outros oficiais que pensem como Geisel, porque o Exército é muito grande.

          1. A questão não é no todo, mas de que oficiais estamos falando. Conforme você citou, a turma do mulo-sem-cabeça é da ala mais radicaloide, Heleno foi próximo de Sylvio Frota quando era jovem, basta ler o livro do ex-ministro (Ideais Traídos, Jorge Zahar Editora) para podermos imaginar que tipo de doutrinação recebeu. Qualquer dúvida, basta ver o que os capacetes azuis da ONU fizeram no Haiti quando ele estava no comando (https://www.democracynow.org/2005/11/15/headlines/us_brazilian_governments_sued_over_killings_in_haiti). Mourão, por sua vez, foi próximo de não mais não menos que Brilhante Ustra, a quem muito estimava e de quem não precisamos falar muito. Realmente, os heróis dele não morreram de overdose, matavam. Talvez a melhor definição que eu li, a respeito do grupo de reformados que circunda o governo, foi de que o ex-capitão não levou os militares de volta ao Planalto, levou os porões da ditadura. Os que não se encaixam nesta forma, ainda que existam, não tiveram nem terão espaço neste valhacouto.

        2. Um amigo meu convive com um militar que é contrário a tudo isto aí, esse militar é considerado um pária para seus colegas, qualquer coisa que ele vai contra sofre sanções e desrespeito.

          1. Dentro de uma classe média esquizofrênica que teme perder suas casas se algum social-democrata for eleito e que acha que o comunismo ateu e comedor de criancinhas nasceu com a Revolução Francesa e se espalha entre todos os grandes artistas do país, e cuja miopia não lhes permite sequer ver quem é o Bolsonaro, também seus parentes e amigos de esquerda ou mesmo apenas democratas são considerados párias. Não é um fenômeno que se restringe aos militares. Mas isso vai passar, vai passar, e vai ser rapidamente.

    3. A propósito dessa inclinação dos militares deste pobre país, é interessante dar uma olhada em Canudos. Após o horror, o genocídio, após se divertirem cortando cabeças, eles, os gloriosos militares, dividiram as meninas e as mulheres sobreviventes entre os oficiais, as mais bonitas e, atendidos estes, dividiram as restantes entre os graduados, até chegarem aos praças. É desse tipo de FFAA que falamos, é desse tipo de mentalidade. E essa gente não evoluiu, mesmo durante os governos trabalhistas, que não quiseram enquadrar esses inúteis e punir os crimes da ditadura, os crimes do herói do canalha desqualificado que uma horda de bárbaros ignorantes e ressentidos colocou na cadeira presidencial, para que a imundiciasse com suas fezes e com o conteúdo podre de sua mente doentia. No meio desse caminho, em que não foram nada mais do que feitores e algozes da nação brasileira, ainda se permitiram uma passada pelo Haiti, onde cometeram os mesmos atos bárbaros que cometeram um século antes, em Canudos, matando, torturando, estuprando, só não conseguindo fazer de suas vítimas escravas sexuais, como as pobres meninas de Canudos porque daria muito na vista. No presente se permitem luxos, como dar mais de oitenta tiros num músico e sua família e saírem impunes e, como é sabido, recebem cargos e afagos na administração do miliciano, como pobres vítimas que foram de estudantes e trabalhadores, que ousaram se levantar contra seus atos covardes e, como sempre, antipatriotas, ao tempo da ditadura. Bom seria que esse câncer fosse extinto.

      1. Por isso derrubaram D. Pedro II.
        Ele jamais admitiria barbaridades como essa de Canudos.
        Na mente da Princesa Isabel, mulher de fortes princípios morais e religiosos, não entraria sequer o pensamento de permitir horrores semelhantes, nem mesmo na forma de pesadelos.

  2. Pouca gente percebe que algo semelhante vem acontecendo com os USA, com aumento brutal da concentração da renda e da riqueza, ou seja, ricos cada vez mais ricos e pobres cada vez mais pobres. Atualmente são aproximadamente 40 milhões de pobres e 4 milhões de miseráveis que dependem da caridade para sobreviver. Há pouco tempo, o país ficou chocado com o suicídio de um casal de idosos aposentados por falta de condições de cuidar da saúde

    1. Elite aqui, elite lá e de qualquer lugar, tem o mesmo objetivo, enriquecer cada vez mais sem se preocupar com aqueles que os faz enriquecer.

  3. O BOLSOASNO DELINQUENTE MANDOU O SEUS “CAPITÃES BALTA” A NOS MONITORAR,MAS O QUE É —–VERDADE—– SEMPRE,CEDO OU TARDE ACABA APARECENDO .

    https://www.youtube.com/watch?time_continue=2&v=CM-SAZTroWU

    Ele está “preocupado” com que o ambiente de revolta se espalhe pelo BRasil,assim os “rapazes” que a gente mantém com o nosso esforço e miséria ,estão nos monitorando para que não agitemos a luta pela justiça.

    https://reinaldoazevedo.blogosfera.uol.com.br/2019/10/23/temendo-contagio-governo-monitora-protestos-em-paises-da-america-latina/

    Sería muito mais fácil poupar o dinheiro dos espiões e governar para O POVO POBRE ( MAIORÍA) DO BRASIL.

  4. Este primata neo-liberal= delinquente podería (se tivesse interesse pelas maiorías) tentar imitar o programa MEDICARE da Austrália liberal.
    Mas,este símio é muito básico,é um ladrão ralé.

  5. Eu espero que a Rosa Weber exija o respeito à Constituição e que não desonre as mulheres provando que nós não precisamos de colhões para mostrar a nossa força e a nossa dignidade.
    Espero também que Rosa seja mais forte que Carmem Lúcia.

    1. Sandra, Sandra, por favor, não mistura Rosa, colhões e as mulheres. A Rosa não se vê como mulher, mas, como deusa; é outra coisa. Se houver respeito pela Constituição, da parte dela, da Carmem, da maioria daquela turma, por certo, não terá sido por um bom motivo, mesmo que o resultado seja bom.

  6. Enquanto o povo não participar da democracia efetivamente e os partidos de esquerda montarem as suas bases nas periferias, essa realidade não mudará.

  7. Essas revoltas, como a chilena, vão explodir por todo o mundo, pois a escravidão é latente: 1% da população com 50% da riqueza mundial e os mais vulneráveis, ou seja 99% da população mundial com 50% da riqueza mundial, ou mudem para um estado de bem estar social ou a bomba vai explodir e teremos uma nova Revolução francesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *