Queda de ações da Petrobras supera piores previsões

Todos esperavam um tombo forte logo na abertura do pregão da Bovespa, mas o movimento de queda das ações da Petrobras – e de todas as estatais, em menor escala – só está se aprofundando e, neste momento, passa dos 20% .

Claro que, como os especuladores estão em movimento, há “forçação” de barra nestas cotações, mas dois outros preços deixam mais difícil e custosa para a empresa a intenção de Jair Bolsonaro de rebaixar os preços dos combustíveis. O dólar sobe 2,4%, a R$ 5,51, e o petróleo outros dois por cento.

Como os dois são indexadores do preço dos combustíveis, só hoje o salto beira os 5%.

Eletrobras, em razão do “dedo na tomada” prometido por Bolsonaro, cai 7% e Banco do Brasil, em razão do receio que o ex-capitão aproveite a oportunidade do “bundalelê” nas estatais para fazer “rodar” a diretoria do banco, tomba acima de 10%.

Nos cálculos de valor de mercado – que nada têm a ver com valor real, mas estão sempre nas contas dos financistas – as três empresas perderam algo pouco acima de R$ 100 bilhões, apenas hoje, R$ 125 bilhões se considerada a queda de sexta-feira.

O mercado não está “irritadinho” com Bolsonaro, está, para usar a linguagem presidencial, puto da vida.

Deveriam estar com eles próprios, que apostaram num cavalo xucro, achando que era um burro manso.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *