“Rachadona” de Jair mostra mandatos a serviço de seu clã

O mapa, publicado pela Folha, dos vaivéns de cargos e o sobe-e-desce de remunerações de assessores no gabinete do então deputado Jair Bolsonaro, ao longo de seus 28 obscuros anos na Câmara e os troca-trocas com os gabinetes dos filhos com mandato só confirmam que a política, ali, era antes de tudo uma espécie de “empresa familiar” dos Bolsonaro.

Foram 110 nomeações só no gabinete do “papai”, com 350 movimentações que implicaram, durante muito tempo, em pagamento de rescisões contratuais e liquidação de férias em dinheiro.

Não é, claro, novidade na política brasileira, mas retrata o trato da atividade parlamentar como patrimônio privado, mecanismo de acumulação de renda em família, repetindo, em nome do “moralismo” uma das mais imorais tradições da vida brasileira.

Bolsonaro, é claro, vai reagir com fúria à investigação do jornal que, afinal, não faz senão reproduzir informações que são públicas e que dizem respeito a gastos com dinheiro público.

E seus fanáticos dirão, é claro, que ele é o paladino da moralidade e dos valores familiares.

Literalmente, valores e familiares.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

19 respostas

  1. Parece que a boiada passou e começou um estouro geral. O Lauro Jardim hoje afirma que o Ministério Público está indo prá cima do Guedes com força total, por conta de suspeita de gestão fraudulenta da grana de seus clientes, entre os quais o fundo de previdência da Caixa, ao qual ele teria dado um prejuízo de 22 milhões. É incrível. Um corretor inconfiável. E foi isso que foram procurar para ser ministro da economia do Brasil.

    1. É que para compor esse governo, além de ser ladrão tem que “rachar” com os chefes … Veja a dificuldade de encontrar ladrões honestos … por isso que estamos sem ministro da Educação e Saúde todo esse tempo …

  2. Parece que a boiada passou e começou um estouro geral. O Lauro Jardim hoje afirma que o Ministério Público está indo prá cima do Guedes com força total, por conta de suspeita de gestão fraudulenta da grana de seus clientes, entre os quais o fundo de previdência da Caixa, ao qual ele teria dado um prejuízo de 22 milhões. É incrível. Um corretor inconfiável. E foi isso que foram procurar para ser ministro da economia do Brasil.

  3. Imagina a quantidade de dinheiro arrecadado pela família nesse esquema , a Milicia Family nunca trabalhou na vida .

        1. O contrato inicial deveria ser de uns 70%, pois o Bolsonaro não acreditava que seria eleito e colocou o Hélio candidato com seu nome para garantir mais algum, já que os filhos repassam os royalties da franquia “Bolsonaro”.

  4. É necessário destruir o mito de que a “RACHADINHA É UMA CORRUPÇÃO MENOR”.

    Flávio Bolsonaro com seus 36 imóveis… provavelmente movimentou mais dinheiro do que muitos diretores da Petrobrás. A maioria dos diretores envolvidos no Petrolão estavam com valores como 10 milhões em suas contas… após 20 anos de desvios.

    A rachadinha facilmente alcança os mesmos valores da corrupção da Petrobrás porém com uma flexibilidade maior em termos de lavagem de dinheiro… usando esquemas manjados de imóveis e lojas de chocolate.

    Seria bacana fazer uma comparação do patrimônio do Flávio com os envolvidos no Petrolão.

  5. Meu Deus do céu, não sei porque o espanto!
    Todo mundo sabe que o esquema das rachadinhas começou com o Bolsonaro.
    Os filhos, como Flávio Bolsonaro, apenas herdaram o esquema iniciado pelo pai.

  6. E bom lembrar que no meio deste cipoal do gabinete do Jair está em destaque a atual esposa do “Mito”.
    Que ele conheceu como funcionária de gabinete de um dos deputados da base evangélica do Rio de Janeiro. Além de ela deve ter passado e conhecido o afamado apartamento de abate que Bolsonaro citou na sua entrevista na Playboy, consta que a digníssima só concordou em se casar com o cavalão SE ANTES ele a nomeasse chefe de seu gabinete com um significativo aumento. O que foi feito.
    Ela só saiu do cargo quando posteriormente sua posição foi notada no curso de uma investigação de nepotismo no Congresso Nacional e no STJ ao se vedar a prática explícita, o então Deputado foi obrigado a exonerar a própria esposa da chefia de seu gabinete…
    A Folha e demais órgãos de imprensa tem o mesmo problema de timing da Justiça Lavajatista…

  7. Vixe!!! Como esse cara é esperto!
    Esperto ou sujo?
    Acho que sujo; mais sujo do que pau de galinheiro!

  8. Esse anuncio de contaminação do Covid-19, é com certeza pra jogar esse assunto no rodapé dos jornais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.