Relator propõe reduzir pena de Lula

O relator do recurso em agravo regimental do ex-presidente Lula rejeitou todas as argumentações de defesa, mas propôs a revisão da pena de 12 anos e um mês para 8 anos, 10 meses 20 dias.

Não é definitivo, é apenas o voto do relator. Mas isso implica na redução do tempo para a concessão do regime semiaberto para perto de 1 ano e seis meses (um sexto da pena) , dos quais Lula já cumpriu quase 13 meses, o que levaria sua liberação para outubro deste ano.

A tendência é que, se isso se modificar, será para menos.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

9 respostas

  1. EVITEI AS REDES SOCIAIS PROPOSITALMENTE POR UM TEMPO. SINTO QUE TUDO TEM SIDO EM VÃO. NOSSO AMOR É PEQUENO.NOSSA GRATIDÃO MINÚSCULA,NOSSAS PALAVRAS AS VEZES FORTES MAS SEMPRE BRAVATAS.
    SEI DISSO,TENTO A MAIS DE TRÊS ANOS ARREGIMENTAR PESSOAS PRA SE CONTRAPOR A ESSE GOLPE TERRÌVEL QUE ASSOLA O PAÍS,UM GOLPE QUE LEVARÁ CINQUENTA GERAÇÕES PARA SER ULTRAPASSADO OU TALVEZ JAMAIS O SEJA,JAMAIS CONSIGAMOS SAIR DESSE ATOLEIRO POR COVARDIA.
    SOMOS TODOS COVARDES A COMEÇAR POR MIM VISTO SER FÁCIL ENCHER AS VESTES DE NITROGLICERINA E IR PARA O INFERNO AO LADO DE CENTENAS DE NAZISTAS.
    NÓS NÃO LUTAMOS,NÓS ESBRAVEJAMOS,NÓS NÃO AMAMOS,ENGANAMOS NOSSO CORAÇÃO.
    PERCAMOS AS ESPERANÇAS TODOS NÓS,AQUELE QUE TANTO DEU DE NADA VAI RECEBER ALÉM DE MÚSICAS,HASHTAGS,E RETRATO NA MEMÓRIA PORQUE NOSSO AMOR,NOSSA GRATIDÃO NOSSO SENSO DE JUSTIÇA E NOSSA CORAGEM ESTÃO TRANCADOS NO FUNDO DO ESPELHO E NOSSO OLHAR NÃO VAI ALÉM DE NOSSO UMBIGO.

  2. De que adianta? A condenação criminosa deveria ser totalmente anulada. Não existem provas nos autos de crime cometido por Lula, mas sim crimes dos juízes, delegados e procuradores nessa farsa criminosa para condenar Lula.
    Hoje no blog do Reinaldo Azevedo ele mostrou a página do tribunal falando que vai julgar um crime que nunca aconteceu e que o próprio juizeco Moro confessou não ter existido.
    É a degradação vergonha do judiciário e da democracia.

    1. Estou totalmente de acordo com você.
      Não é o Lula que deveria estar preso e sim MUITOS membros do judiciário que trabalharam duro para não permitir que o Lula vencesse a eleição de 2018.
      Estes canalhas é que deveriam estar atrás das grades.

  3. É PRECISO IR PRÁ RUA E QUEBRAR A RESISTÊNCIA NA FORÇA DO POVO A ESTRUTURA DO SISTEMA NAZI-JUDICIAL!
    AFUNDA BRAZZZIL!

  4. Não há nada que a defesa faça que qualquer um desses tribunais considere e as razões são simples: Lula não deve sair da cadeia. O resto é jogo de cena.
    Até a redução de pena, que permitiria, em breve, o semi-aberto, é pjta armação. Não demoram e confirmam a condenação pelo sítio de Atibaia e Lula nem chegará a por um só dos pés do lado de fora e será novamente trancafiado.
    Nenhuma das acusações foi provada mas nada disso importa, “não vem ao caso”, como diria um “funcionário-padrão” do Departamento de Estado dos EUA. A prisão de Lula começou a ser engendrada ainda antes de 01/01/2003, quando os do os do poder não tiveram alternativa senão vê-lo empossado na Presidência. A blasfêmia se repetiu quatro anos depois e seria outras vezes repetidas, com triplo agravante: fazer a sucessão; eleger uma mulher; e essa mulher haver combatido a ditadura.
    Sabe quando o covarde Suptemo julgará o caso Lula? Nunca. E um nunca ainda mais distante se o filhote de ovo de serpente conseguir nomear para o Supremo, agora, além de covarde, capanga, ministros que, em caráter, em mau caráter, lhes sejam imagem e semelhança.
    Com um povo acomodado, como gado a caminho do matadouro, e com as forças progressistas incapazes de convocar a população às ruas, com os progressistas impondo a si mesmos um republicanismo que não encontra reflexos naqueles que republicanismo lhes cobram, só resta a Lula um destino: a morte na prisão como mártir se um povo que, por comodismo e alienação, escolheu ser recolonizado e arrastou consigo todo um continente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *