Saiu o “acordão”. Auxílio-moradia vai virar salário de juiz

Suas Excelências “se deram bem”.

Sai o auxílio-moradia de R$ 4.300 e entra um aumento de salário de R$ 5,5 mil, com a elevação de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil dos vencimentos dos ministros do Supremo, que acabam sendo, na prática, o valor da grande maioria dos juízes e desembargadores.

Com o desconto do Imposto de Renda, que não incide no Auxílio, ficam elas por elas.

Menos, claro, para o os investimentos públicos, que já são mínimos e vão ser cortados na bagatela de R$ 1 bilhão, para satisfazer os excelentíssimos apetites dos colegas de Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, nos tribunais e no Ministério Público.

Sem contar, claro, o da turma do Executivo e do Judiciário que vai de carona, inclusive deputados e senadores.

E, pronto, está restaurada a moralidade: eu não te roubo, você me doa.

Mas, calma, isso, além do prejuízo, vai nos proporcionar episódios juridicamente fascinantes.

É claro que, julgando-se ilegal o auxílio-moradia indiscriminado, os valores ilegalmente recebidos durante 4 anos (mais de RS 200 mil por cabeça) deveriam ser ressarcidos.

E há alguém na face da Terra que julga que o serão?

Vai ser na base do “quem pegou pegou, quem não pegou agora pega de outro jeito”, naturalmente traduzido para o latim de “ex-nunc”, o da decisão  produzir efeitos “daqui pra frente”.

E dane-se o povo brasileiro!

 

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

    1. PARECE-ME, ÀS VEZES, QUE SERIAM QUASE AS MESMAS COISAS…. A DIFERENÇA É QUE O LADRÃO TEM QUE CORRER RISCOS!

  1. Sou servidor público Federal do executivo e estou com meu salário congelado desde que a Presidenta eleita foi deposta.Para as excelência tudo, para os demais trabalhadores, nada!
    Os da iniciativa primava então, melhor nem comentar.
    A desigualdade neste país anda a cavalo e a justiça, esta não vem ao caso.

    1. André, estou sem um centavo de reajuste há 4 anos… só o beiçudo desgraçado FHC, o FDP com apartamento em Paris me deixou mais tempo sem um mísero reajuste. Foram 8 anos, e o desgraçado não morre, continua a destilar bosta saindo daquela boca escatológica

  2. Se não ficar de olho, eles receberão ambos ad aeternum… PL-06726/2016 – Regulamenta o limite remuneratório de que tratam o inciso XI e os §§ 9º e 11 do art. 37 da Constituição Federal.

  3. Para os de sempre, uma “modesta” compensação por não mais receberem o que não tinham direito.
    Para o erário público, “melhorou para pior”: não há mais pagamento irregular, apenas a mesma mamata, com novo nome e valor mais elevado. Mas isso também se compensa. É só reduzir ainda mais a já mísera capacidade de investimento do País, inclusive na área social. Mais importante: não se mexe na sagrada boca farta da tigrada do mercado financeiro.
    Quanto ao Zé Povão, a este dá-se a mais ampla e inquestionável segurança. De que continuará bancando as orgias dos moralistas sem moral!

  4. Eu professora do estado RJ com mestrado ganho líquido menos que o auxílio das excelências. A minha meritocracia não vale grandes coisas.

  5. e então, as esquerdas vamos ficar nas charges e aceitar caladinhos? Aumento do SM e dos aposentados devem então ser no mesmo patamar. Aumento de centavos em passagens deu naquilo que sabemos.
    não tem nenhuma liderança para fazer um movimento contra esse aumento que naõ tem explicação justificação nem paridade de direitos?
    a casta que mais ganha mais aumento tem.

  6. A QUADRILHA TOGADA CONTINUA A DITAR AS REGRAS EM SEU BENEFÍCIO.Independente de se for necessária a anuência do congresso,ela é óbvia visto que também serão beneficiados e porque hoje é “suicida” dizer não aos semideuses.
    Muitas vezes falei a respeito de minhas saudades da JUSTIÇA POPULAR dos 60/70 ,em menor medida no Brasil(sempre mais “tolerante”),mas particularmente na Argentina ,os “intocáveis” aqueles que a lei não alcança e usam e abusam dela,eram alcançados pelas azeitonas.Ao menos tinham que viver com o pavor de ser o próximo alvo ,não era de graça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.