Secretário da Receita é demitido e CPMF “sobe no telhado”

Marcos Cintra, bolsonaríssimo secretário da Receita Federal, acaba de ser demitido.

Oficiosamente, através do site que é linha auxiliar do Governo, a demissão teria partido do Ministro da Economia, num seminário realizado ontem em Brasília, pelo economista Marcelo de Sousa Silva, adjunto de Cintra, de estudos não autorizados por Guedes.

Acredite nisso quem quiser.

A guilhotina, certamente, caiu desde o quarto de hospital onde está Jair Bolsonaro.

Não era segredo para ninguém – e foi dito com todas as letras aqui – que uma nova CPMF tinha pouquíssimas chances de ser adotada, pelas resistências políticas que enfrentaria e, de fato, foi torpedeada desde aquele momento.

Paulo Guedes, que partilhava com Moro a condição de superministro, divide com o ex-juiz a condição de miniatura.

Claro que nenhum auxiliar divulgaria uma medida destas sem o aval do ministro, no mínimo.

E Guedes deu a cabeça de Cintra como Moro deu a do Coaf.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

4 respostas

  1. É incrível o que acontece neste país,se bem nunca chegamos nem perto do espírito de luta dos castelhanos , a letargía ,o torpor que tomou conta das massas vitimizadas deste país será motivo de desprezo das futuras gerações de brasileiros.
    Assistímos diariamente uma aberração após a outra ,o críme contra a Previdência dos pobres será aprovada esta semana ,e assim como todos os inúmeros crímes já cometidos desde o GOLPE DOS CRIMINOSOS em 2016 ,NADA ACONTECERÁ.
    Iremos ,dia após dia caminhando em direção ao fim ,sem sequer exibir a consciência da morte que o gado tem quando caminha em direção ao matadouro,…nem isso.
    ESTE PAÍS VIROU UMA ENORME MASSA DE BOSTA.

    1. Parecemos sapos colocados em água sobre o fogo: a temperatura sobe e eles vão se “acostumando” até morrerem cozidos.
      A cada dia estamos mais “acostumados” e extáticos com os descalabros revelados. Perdemos a capacidade de nos indignarmos; perdemos a capacidade de reagir.
      Se tirarmos o “LulaLivre” o que nos resta? A discussão se o Dino será ou não candidato em 2022?

  2. Sempre tive e terei INVEJA dos brios políticos e da formação política de argentinos, uruguaios e chilenos. Estão anos luz na nossa frente, nós que nos preocupamos com novelas e futebol…………

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.