Taxa de 1% em julho derruba de vez “meta de inflação”

Dois indicadores de mau agouro para a inflação oficial da inflação de julho, que será divulgada amanhã pelo IBGE.

O Boletim Focus, do Banco Central, aumentou para 0,95% a previsão de inflação para julho e para 6,88% a estimativa para o ano, o dobro do que se esperava no início do ano e, como sabe o mercado financeiro, uma taxa fadada a subir ainda mais nos próximos meses.

E o Índice de Preços ao Consumidor Semanal da Fundação Getúlio Vargas apurado até a semana passada, segue subindo (agora, 0,97% em 30 dias) e acusando uma alta mais forte que a média (1,1%) nos preços da alimentação.

Com isso, a taxa acumulada em 12 meses foi a 9,23%, contra a de 8,76% apurada na semana passada.

Com um taxa de perto de 1% em julho, o mercado financeiro sabe que não dá para pensar em uma taxa de juros que pare de subir ou suba mais lentamente.

E teme que, mesmo aumentando a previsão da Taxa Selic para 7,25% no final do ano, ela vá ficar, pela segunda vez, abaixo da taxa de inflação.

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.