“Trio do Mal” usa mão de ferro e nada passa na comissão da Previdência

Valeu tudo, inclusive trocar deputados na última hora, para manter a fidelidade dos votos.

Rodrigo Maia, o Centrão e o PSL acabam de demonstrar que não estão dispostos a um mínimo de concessões para aprovar, a toque de caixa, o projeto da reforma da Previdência.

Parece que as ameaças feitas nas manifestações de domingo produziram efeito sobre Maia.

A Comissão, que vinha sendo tocada de forma democrática até o início da semana, entrou num frenesi deliberativo que suprimiu, na prática, todas as discussões e diferenças de entendimento.

Em nada, ou quase, aconteceram concessões.

Nem mesmo a aprovação de regras mais brandas de idade para professores e para as categorias da segurança pública foram aceitas na votações dos destaques.

Só os policiais militares ficaram com regras para serem definidas à frente, dentro das alterações propostas para os militares das Forças Armadas.

Por mais otimismo que haja, difícil imaginar que a votação em plenário, também feita na correria, vá ter um quadro diferente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

15 respostas

  1. Manifestações ? Ah não ! As “manifestações” que estão acontecendo são nos bastidores mesmo. Muito dinheiro, pressão, tudo que se possa e não se possa imaginar. Discordo de que a câmara não pense no povo. O POVO é que não pensa em si mesmo e vota com uma estupidez incomparável. Colocaram lá seus algozes, alegremente e sob rojões. Agora todos vão se danar, inclusive que não errou.

  2. Não entendo seu apoio a benefícios a categorias isoladas, Fernando. A principal luta da esquerda deveria ser justamente essa: já que querem forçar reforma, que seja para todos. Por que um trabalhador comum tem que trabalhar até os 65 anos e aposentar com 5000 reais e um policial federal aposentar aos 55 com 30 mil? A esquerda tem que focar em combater a capitalização, que é a destruição da previdência e promover a isonomia entre as categorias, ou seja que todos tenham um plano de aposentadoria similar

    1. Eu não acho isso. Mas seria um sinal de que teriam de aceitar concessões e, por isso, não tinham a maioria acachapante

  3. Previsível, dado o comportamento totalmente servil, ao mercado financeiro, que boa parte do Congresso sempre demonstrou.

    E aqueles que esperam do STF, uma palavra final mais “moderada”, a respeito das inconstitucionalidades dessa Reforma, podem esperar sentados.

    Lá estava, na festinha de independência dos EUA, nosso ilustríssimo e puxa-saco Dias Toffoli, a bater palmas para o astronauta de Rio das Pedras.

  4. Não entendi um papo de dias atrás que a oposição desobstruiu a pauta [quero me informar melhor sobre isso). Eu não sei o que ficou ou não ficou na reforma, mas uma mulher que conheço ficou desesperada porque, segundo ela, tiraram o inss de doentes incuráveis, como o filho dela

  5. A próposito, soube agora que o capitão está defendendo o trabalho infantil. Ele quer ver as crianças sendo exploradas legalmente. Então tá, capitão.

  6. Vão passar a previdência para roubar dos pobres e passar para os ricos, via aumento da taxa selic e outras maracutaias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *