Villas Boas manobra para não fazer de Mourão “mártir” de intervencionistas

villasb

Tem gente que não enxerga que existe, no Brasil, um surto de autoritarismo que não é, apenas, um delírio de grupelhos ensandecidos.

A pesquisa CNT/MDA, publicada ontem, mostra que  Jair Bolsonaro  não é – claro, pode deixar de ser, quando as máquinas de campanha eleitoral se moverem – apenas um factóide.

Representa este surto autoritário e tem repercussão na área militar.

Como tenho dito desde o início, é clara a estratégia do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, de não transformar o general Antonio Hamilton Mourão em “mártir” do intervencionismo militar que, com o nosso retrocesso – obrigado, Sérgio Moro! -, saiu da toca e se apresenta quase que sem véus.

Há os que, claro, “exigem” punição exemplar para Mourão e não há dúvidas que, em condições normais de temperatura e pressão, ele a mereceria.

Mas, agora, só um ingênuo não vê que ele próprio a deseja e seria, ao contrário, um prêmio para ele. E pouco sabemos sobre onde e quanto os coturnos militares apertam os calos de seu comando.

Ontem à noite, no “Conversa com o Pedro Bial”, na Globonews, Villas Bôas deslizou e deu como “questão resolvida” o caso, dizendo, em outras palavras, que não vai criar caso com o que Mourão ache, desde que siga as diretrizes do comando.

– Ele não fala pelo Alto Comando, quem fala pelo Alto Comando sou eu.

É uma evidente manobra tática de quem dividiria opiniões se partisse para a punição – repito, correta mas inconveniente – imediata. Se Mourão seguir nas suas manifestações ostensivas, puni-lo será mais fácil e sem traumas.

Claro que isso afeta a autoridade do comandante do Exército e certamente seria da vontade deste ir além, mas, na sua visão, impede que “pipoquem” outras manifestações do gênero, o que geraria uma crise militar extremamente séria.

A impressão é que Villas Bôas foi ao limite do que lhe era possível, não onde  deveria ir, num quadro democrático – inclusive com o reforço da subordinação militar ao poder civil, algo complicado de compreender nestes tempos de ilegitimidade total à autoridade civil , no quadro de fragilidade a que chegou a nossa democracia, que precisa chegar a 2018 sem nada que impeça a livre manifestação do povo brasileiro, seja pela ação de juízes ou de generais.

O trecho da entrevista de Villas Bôas onde ele fala de Mourão está aqui.

contrib1

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

61 respostas

  1. O comportamento do general Villas Boas está me lembrando muito o comportamento “republicano” de Dilma e Cardozo. Deu no que deu. O general parece um homem sensato. É melhor ele começar a considerar de tomar alguma atitude, não só em relação a membros “rebeldes” dentro das forças armadas, mas também em relação ao bando que está acupando o executivo e o judiciário. Se não fizer alguma coisa, os linhas-duras vão passar por cima dele, dar um golpe e jogar de vez merda no ventilador da nossa trágica republiqueta de bananas.

    1. É exatamnete o que vai acontecer. O General Comandante do exercito que pare de bancar Dilma “Eu sou Republicana” e tome uma atitude ou os reaças tomarão por ele. O Que o General Mourão fez foi um Desafio ao Comandante do Exercicito. Temos agora uma questão militar!!!

  2. Uma outra pergunta: por que raios o general foi vestido com traje camuflado para uma entrevista? Precisou cortar caminho por alguma selva?

    1. Os militares são os mais nacionalistas. Batem continência à bandeira nacional, cantam o hino da nossa pátria diariamente. Não são entreguistas, têm visões estratégicas e não se furtariam de combater as ameaças externas ainda que com equipamentos defasados. Sinceramente, numa situação de caos político, preferiria uma intervenção militar a uma jurídica nos poderes Executivo e Legislativo até que a ordem e a paz político-social retornasse. Tá na hora da esquerda começar a abrir os olhos, abandonar seus arquétipos empoeirados e entender que o mundo está à beira de uma convulsão provocada pelos rentistas abutres que compram entreguistas facilmente e, assim, sequestram países inteiros. Infelizmente é o caso atual do nosso Brasil.

      1. Papai noel chega na noite de 24 de dezembro,pra vc e todos os coitados que tem essa visão da lacra representada pelas FFAA.
        Historicamente NUNCA estiveram do lado do povo,não seria desta vez que os alucinados com a ameaça vermelha,teriam uma atuação em benefício do país.
        NEM DEVERÍAMOS ESTAR DISCUTINDO UMA SITUAÇÃO ABSOLUTAMENTE ILEGAL ,IRRACIONAL E ESTÚPIDA COMO SERIA UMA INTERVENÇÃO DAQUELES QUE NÃO TEM A MÍNIMA CAPACIDADE DE ADMINISTRAR UM PAÍS.
        A QUEDA DOS GOLPISTAS É SÓ QUESTÃO DE TEMPO,NÃO FOSSE ESSA MASSA DE BOS–TAS QUE TEMOS NESTE PAÍS,ELES NUNCA TERIAM ASSUMIDO.

      2. Sua percepção da cultura militar brasileira é impressionante. Pena que seu conhecimento de história do Brasil impressione menos, bem menos.

      3. Se assim fossem não eram na sua maioria tucanos mal informados pela Globo.
        Se assim fossem já tinham tomado uma posição oficial contra a entrega do pré-sal, do programa nuclear brasileiro, da amazônia, da soberania. Nenhum deles tem a inteligência para lembrar, pelo menos lembrar, que os governos do PT foram os que mais respeitaram e mais investiram nas forças armadas.
        Esses militares são uns bostas que só sabem bater continência e cantar hino. Isso não é ser nacionalista. É ser bitolado.
        Nada contra um militar se candidatar à presidência da república, mas na mão grande, NÃO PHODE.

  3. INSTITUIÇOES
    Se a Midia é um clube de cumplicidade uniforme -ou uniformidade cúmplice-
    se o judiciário é consorcio corporativista e no seu topo de rejeiçao ao estado de Direito,
    Se o Legislativo é a pocilga inacreditável onde ronca forte e chafurda a vara temerista
    Se o palacio é o núcleo escancarado e o simbolo assumido da ilegitimidade …
    Então, o que vai ser o exército e as FA que não tem sequer dinheiro para afastar traficantes de morros cariocas?
    Com o detalhe que, se PIORA mais, serão eles que vao definir o que é e o que não é CAOS.
    e nao se esquecam que, quando falta $$ aqui, tem lá fora fontes inesgotaveis que imprimem quanto desejarem. Basta surgir a oportunidade e a conveniencia.

  4. Tem general que só dá declaração contrárias aos interesses da nação.
    Tem general que acha que só as forças armadas servem a pátria.
    O nível é muito baixo.
    O pais invadido pelo mercado financeiro, por instituições estrangeiras obscuras,
    por espionagem em massa, com setores chaves e estratégicos da economia sendo privatizados e quando a população espera um pronunciamento democrático em relação a estas questão, na defesa do patrimônio brasileiro, eles se calam.

  5. Vai demorar quanto tempo mais para o Brasil fazer a bomba atômica e uma porção de misseis nucleares?
    Vamos ficar sem os submarinos de propulsão nuclear, Tá tudo parado devido ao golpe vagabundo.

  6. O comandante assume que o exercito tem planejamento permanente para uma intervenção militar dentro do pais. Mas não tem planejamento permanente contra as invasões “invisíveis” permanentes feitas no território nacional.

  7. Para manter o status quo de injustiça a casa grande sempre conta com seus cães de caça quando a situação se complica!

  8. Há a possibilidade de que toda esta “mis en scene” seja balão de ensaio. Como cairia na população ou, pelo menos, nas forças vivas da sociedade uma intervenção militar? Em que grau, por quanto tempo? Qual seria o motivo principal? Mesmo que uma ação militar saneadora no judiciário, no congresso e no executivo (até que seria saudável botar fogo com todo mundo dentro e salgar depois o terreno, desde que não se esqueça a globo) venha a ocorrer, a democracia é quem mais vai ser aviltada. Se já vivemos uma ditadura jurídico/midiática que finge seguir as regras da democracia, aí sim não teremos traços de democracia. E esta notícia que ouço insistentemente de fechamento dos três poderes para realizar eleições em três meses… já ouvi esta história antes e durou vinte anos.
    Outra hipótese: a direita está prestes a apertar os parafusos e arrochar de vez prendendo o Lula, interditando o pt e impedindo eleições em 2018 (só não vê quem não quer). Estariam os militares dando o seguinte recado: assim sim mas assim também não? Devagar com o andor que o santo é de barro? Se ele cair e quebrar, as forças armadas vão ter que intervir numa possível convulsão social e querem evitar isso.

  9. NÃO ENTENDI!!!
    …o general faz comentário CONTRA A ESQUERDA, sendo que é a DIREITA o grande quadrilhão que a décadas assola o país!!!
    Sinceramente…agora começo a perder a esperança!!! É triste de se ver a incompreensão saudosista de grandes militares brasileiros!!
    Direita e Esquerda são membros de um mesmo Corpo! Ésta deve auxiliar aquela, e vice-versa!!!!
    Corrupção é que é o VERME AGENTE NOCIVO QUE DESTRÓI O CORPO !!!
    Então se é para intervir militarmente, ataque a COMPROVADA CORRUPÇÃO DOS CORRUPTOS !!!
    …E DE IMEDIATO CONVOQUE ELEIÇÕES GERAIS POIS O PODER DADO AO MILITAR >>>>> EMANA DO POOOOOVO!!!!!
    Falar contra a corrupção evidenciando e atacando a Esquerda Política é o mesmo que um ser humano com a mão direita decepar a mão esquerda com o objetivo de curar a malária que contaminou o fígado !!!!!!
    Vai continuar a morrer vítima da malária e sem o auxilio de um braço!!!

  10. Villas Boas não pune o general Mourão, o criminoso insubordinado, pela mesma razão que a Presidenta Dilma não tomou providência para evitar o golpe anunciado: ele não tem autoridade e comando sobre as tropas, muito menos a lealdade delas. Se os tivesse, já teria aplicado punição exemplar não só a Mourão como a outros criminosos insubordinados. Ao contrário, como ocorreu com William Pina Botelho, o que se infiltrou numa manifestação de jovens contra o golpe e aliciou menores de idade, os criminosos do braço armado do Estado têm recebido condecorações, homenagens e promoções.

  11. Intervenção militar não é solução para nada. É puro retrocesso.
    Democracia e respeito ao voto e aos resultados das urnas.

  12. Mais um general colocando as mangas de fora. Perdeu o comando da tropa.
    Não estamos em 64 , guando a população só tinha as mãos e a voz pra se defender.

  13. Tem senador traficante no senado.
    A “inteligência brasileira” faz um belo trabalho.
    Entra e sai de tudo pelas fronteiras, pelos portos e aeroportos.
    Tem garimpo clandestino, roubo de terras, minérios, exploração indevida das riquezas nacionais pela plutocracia nacional e internacional.
    Como se vê as forças armadas fazem um belo trabalho defendendo a nação brasileira.

  14. MONIZ BANDEIRA é um intelectual confiável!
    E autor do livro A Formação do Império Americano – Da Guerra Contra a Espanha À Guerra no Iraque, entre outros best sellers

    ***

    MONIZ BANDEIRA VOLTA A PREGAR AÇÃO MILITAR CONTRA O DESMONTE NACIONAL

    O embaixador Luiz Alberto Moniz Bandeira, primeiro intelectual nacionalista e de esquerda a defender uma intervenção militar para derrubar o golpe representado por Michel Temer, que, além de denunciado por corrupção, obstrução judicial e organização criminosa, é aprovado por apenas 3,4% dos brasileiros, voltou a sustentar sua posição; “O importante é impedir que o patrimônio nacional – Eletrobrás, Eletronuclear, Petrobrás e pré-sal, bancos estatais – seja dilapidado, entregue aos gringos: é evitar que o desenvolvimento do Brasil, com a inclusão, não seja interrompido; é impedir a entrega aos gringos de uma parte da Amazônia maior que a Dinamarca”, diz ele, enfatizando que não deseja um regime de exceção

    20 DE SETEMBRO DE 2017 ÀS 09:49

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: https://www.brasil247.com/pt/247/poder/318190/Moniz-Bandeira-volta-a-pregar-a%C3%A7%C3%A3o-militar-contra-o-desmonte-nacional.htm

  15. MONIZ BANDEIRA é um intelectual confiável!
    E autor do livro A Formação do Império Americano – Da Guerra Contra a Espanha À Guerra no Iraque, entre outros best sellers

    ***

    MONIZ BANDEIRA VOLTA A PREGAR AÇÃO MILITAR CONTRA O DESMONTE NACIONAL
    Leia, abaixo, a carta de Moniz Bandeira ao historiador *Valter Pomar:

    *Entre 2005 e 2009, Valter Pomar esteve à frente da Secretaria de Relações Internacionais do PT e desde então ocupa o cargo de Secretário Executivo do Foro de São Paulo, desempenhando, nestas funções, importante trabalho de interlocução política do PT com as forças de esquerda de todo o mundo – em especial, na América Latina. Atualmente integra a Direção Nacional do PT e leciona Relações Internacionais na Universidade Federal do ABC.

    Meu querido Valter,

    insisto, em nada tenho ilusão. Sei que tudo pode acontecer, se houver uma intervenção militar. Mas o fato é que, se Dilma Rousseff foi deposta por um golpe de Estado, e de fato foi, não mais existe Estado de Direito nem democracia no Brasil. Acabou a Constituição.
    (…)
    Falar em Constituição, agora, é que é uma grande ilusão. As liberdades são relativas, como durante o regime militar, porém nem imprensa alternativa existe mais como naquele tempo. Toda a mídia repete o mesmo e o alvo é o ex-presidente Lula, com o judiciário a condená-lo, sem provas, apenas para efeito de repercussão na imprensa e desmoralizá-lo.
    (…)
    Tenho até dúvidas de que as eleições ocorrerão. Temer e demais cúmplices sabem que, ao descer a rampa do Planalto, sem imunidade, podem ser presos e enviado para a Papuda. A insatisfação no meio militar é enorme, conforme exprimiu o Antônio Olímpio Mourão. E teve toda razão o deputado Aldo Rebelo, do PC do B, quando recomendou o diálogo com os militares. O proto-nazifascista Jair Bolsonaro não é representativo das Forças Armadas. É minoria.
    A intervenção militar pode ocorrer. Como se desdobrará é difícil imaginar. (…) Claro que não defendo regime de exceção, mas regime de exceção é o que já existe no Brasil, com um verniz de legalidade. O que ocorreu no Brasil, com a derrubada da presidente Dilma, foi golpe de Estado, como, na Ucrânia, com a destituição do presidente Wiktor Yanukovytch, na madrugada de 21 para 22 de fevereiro de 2014, por uma decisão de um Congresso comprado. A Constituição deixou de existir. Ilusão é pensar que, após realizar as reformas pretendidas pelo capital financeiro e o empresariado nacional, as forças, que se apossaram do poder, vão deixá-lo sem ser por um golpe de força. E, infelizmente, as forças populares já demonstraram a sua impotência. A nada reagiram.
    Não desejaria que ocorresse intervenção. Todos sabem como começa, mas não quando termina. Porém, não estou a ver outra perspectiva no Brasil. É necessário impedir o desmonte do Estados nacional. E há-de chegar um momento em que o impasse político, com o agravamento da situação econômica e social, terá de ser pela força.

    Com afetuoso abraço, Moniz

    FONTE [LÍMPIDA!]: https://www.brasil247.com/pt/247/poder/318190/Moniz-Bandeira-volta-a-pregar-a%C3%A7%C3%A3o-militar-contra-o-desmonte-nacional.htm

    1. Muniz esta certo sobre muitas coisas, mas sobre a intervenção militar para combater o entreguismo ele esta errado. É cair na armadilha. Da mesma forma que o general que diz que contra o caos as forças armadas podem intervir. Então porque não fizeram um intervenção de forma PONTUAL contra o golpe e o caos pregado pelos meios de comunicação e setores da oligarquia ? Além do mais a construção do caos é a primeira arma imperialista. E tecnicamente inclui-se no que se chama de Psychological warfare PSYWAR/PSYOP / inclui-se também no chamado Political warfare.
      Facilmente, com a “ajuda” e o financiamento dissimilado dos meios de comunicações locais e internacional podem lançar uma operação desta como vimos nos últimos anos contra os interesses do pais e de seu povo e em benefício de negócios obscuros.

    2. Acreditar que uma intervenção militar, à essa altura do descontrolado jogo de poder político que há no país, será de ordem “nacionalista” contra a política de desmonte do governo, é de uma ingenuidade absurda.

      Talvez, digna de certa parte da esquerda que insiste em não enxergar um palmo da realidade institucional, diante de si.

      Caso essa maldita intervenção ocorra, será para fechar todas as instâncias legitimidas pelo voto popular que, apesar de corruptas, são democraticamente colocadas pela sociedade e, mesmo que em menor escala, podem ceder às suas pressões.

      E se colocarem a Justiça Civil no pau de arara, vão substituir por quem? Pelos Tribunais militares, cujos “culpados” todos sabem quem serão e o que sofrerão ?

      E as Reformas Trabalhista e da Previdência, acha mesmo que uma junta golpista militar, vai mesmo retroceder na agenda de retirada de direitos, por algum súbito surto de “trabalhismo” Varguista?

      Qualquer caminho que não sejam as eleições diretas no ano que vem, com a participação de Lula e das forças progressistas na disputa, será mera continuidade para o fundo do poço.

      1. … E se a intervenção militar não impor violência e censura, sendo apenas uma, digamos”, ponte para o futuro da eleição do TRIPRESIDENTE LULA?…

        1. … E os militares poderiam enquadrar os canalhas arrivistas &$ entreguistas procuradores de merda do ‘miniSTÉRIO’ PRIVADA, a engavetadora ‘Rachel Limusine do MT”, o STFede e tudo dentro!

          1. Messias,
            o golpe tem uma função específica, alinhada com os EUA. Se os militares forem na contramão dessa meta, a Globo convoca o “povo” para ir às ruas como massa de manobra, como em 2013.
            Não acredito nessa hipótese.

  16. A Globo em situação difícil, incapaz de impor aos brasileiros seus interesses( ideias)fragilizada pelo seu passado de falsidades e banditismo,recorre e retoma seu velho caminho dos anos 60, que a fez grande: “UDN/ Marinhos/Forças Armadas” Novos tempos! Novos profetas e pastores! Velhos crentes,fiéis ignorantes! Novíssima e cada vez mais podre mídia de surradas e dementes ideias e aç?es.Pobre Brasil! Deus tenha
    Misericórdia de seu humilde povo!

  17. Falhada a entrega do poder aos tucanos, Aos poucos a Globo conduz o Brasil ao golpe militar, único cenário em que ela pode se perpetuar. Pintar o Brasil de azul em tempos de exceção é a grande competência da Globo.

    1. não sei se falhou a entrega do poder aos tucanos. na verdade a globo abaixou a cabeça para OS ESTADOS UNIDOS! os Estados Unidos mantem o temer por que querem principalmente o petróleo nosso. e se vir ordens de botar o PSDB no poder eles aceitam!

  18. o momento não permite diversionismos, não comporta maniqueísmos. intervencionistas são os que tomaram o poder para vender o país e quebrar o bem-estar social que vinha devagar sendo construído. estamos numa instabilidade que ninguém confirma eleições em 2018. em Brasília muitos sabem que fora do poder devem seguir para a Papuda, inapelavelmente. não estamos mais num estado de direito, não estamos mais numa democracia eleitoral – votos foram jogados no lixo. as forças que estão no poder hoje têm pressa e não vão deixar Lula se eleger. o congresso aprovou tudo isso, juntamente com o STF (acovardado, dizem, mas tal “característica” só será provada quando quebrarem sigilo bancário de todos juízes e “operadores do direito”). onde fica claro que estão separados os intervencionistas verde-oliva dos civis bandidos no congresso? quem pode afiançar que os militares seguem mesma cartilha? como parar a entrega do patrimônio brasileiro? quando vai parar a caminhada para o abismo? ditadura de direito (e do direito) já estamos vivendo. as forças do obscurantismo já se mostram à luz solar: cura gay, confisco de obra de arte, interrupção de exposição queer, impedimento de uma peça teatral ir em cena.
    do que mais precisamos para entender que ultrapassamos um limiar, aquele que garante que vivemos numa democracia? às vésperas da Revolução de Outubro, a burguesia russa continuava a ir aos teatros para assistir óperas.
    nossos alvos não são invisíveis, como pensam eles.

    1. Baader matou a pau. O articulista do blog está sempre atrasado e seu ímpeto primeiro sempre é diversionista, de viseira comprometida e naturalizada numa realidade de comentário de botequim. Baader matou a pau.

  19. Me dói escrever isso, mas se uma intervenção militar tiver o viés nacionalista e não entreguista, prefiro-a ao que está aí, esta velha política entreguista dos anos 90!

  20. Quem precisa de um intervenção militar é o PIG.
    Expulsar os que conspiram e defendem a liquidação da nação;
    Mas no Brasil golpistas são bem vindos. Enchem os bolsos da mídia mega corrupta.

  21. Já viram aquele depoimento sobre o regime militar em que o temer diz que no Brasil é assim a cada 20 poucos anos ou coisa parecida tem um golpe/intervenção. Tá no YouTube em algum lugar.

  22. Mantenha o inimigo ao seu comando,imagina Mourão expulso do exército,virando mártir e tomando o lugar de Bolsonaro nas eleições? Atitude mais que correta de Villas Boas!

  23. Não se iluda achando que teríamos da noite para o dia, uma elite militar totalmente dissonante da elite econômica do país.

    Qualquer “intervenção” nesse momento, seria apenas pra uma limpeza de imagem nessa verdadeira zona institucional que os golpistas civis do PMDB de Temer fizeram ao tomarem o poder.

    Não foram capazes de dar o mínimo de freio moral e institucional aos próprios arreganhos pelo dinheiro público, mantendo encontros escusos com gente escusa à plena luz do dia no próprio Palácio.

    E é apenas por isso, que essa parcela agitada e saudosista das Forças Armadas, fala em Intervenção.

    Não por causa do projeto ultra-liberal colocado em prática pelo governo, que em nada gerou descontentamento com direito a palavras de ordem, no Mourão e seus semelhantes.

  24. Fernando Brito,
    Um general de 4 estrelas diz com todas as letras que o alto comando do Exército pode realizar uma intervenção militar e que possui planejamento para isso. Diz isso fardado, na ativa, com suas condecorações à mostra; e isso aparece postado na internet para a galáxia inteira ver.
    O comandante do Exército vai na maior rede de TV do país, elogia o subordinado, diz que não vai punir o general e que as Forças Armadas podem sim intervir segundo sua peculiar “interpretação” da Constituição. Nem se esforça em negar o inegável.
    O que mais precisa para você ver o óbvio? O tanque na rua? Um milico meter o pé na sua porta e te prender?
    A máscara do alto comando caiu. Os militares continuam pensando como em 64, como Mourão bem revelou.
    E ainda tem iludido que acredita no “legalismo” dessa gente…
    Precisamos de uma transformação em nossas FA, já!

  25. Só lembrando que no ano passado mais de 60 mil foram assassinados no Brasil.
    Mais que muitas guerras. Muito mais que muitos atentados terroristas,
    E dá-lhe hipocrisia.

  26. Pra defender intervenção tem um punhado de midiotas.
    Quero saber quem vai defender a democracia, pois é ao lado desse que vou lutar.

  27. Caro FB
    O golpe civil, está minando muito, os militares, o setor homogênico, apoia, sendo contra o PT e qualquer movimento social, eles babam de ódio, estão se preparando para assumir, de eminências pardas, para comandantes.
    Os maçons aplaudem, FIESP, aqueles coxinhas que tiravam fotos juntos com os soldados, tropas de choques etc etc também.
    O nacionalismo deles, batem continência para o titio Sam.
    Saudações

  28. Entrevista softball na REDE GOLPE DE TELEVISÃO.
    As perguntas do bial devem ter sido muito relevantes…
    Só no brasil sil sil sil , viva a republica das bananeiras.

  29. Li, em algum lugar, que o general vai se candidatar ao Clube Militar; então, quem sabe foi propaganda política para ganhar votos? E tb pode ter sido um “balão de ensaio” para ver qual seria a reação do povo.

  30. JUCÁ – [Em voz baixa] Conversei ontem com alguns ministros do Supremo. Os caras dizem ‘ó, só tem condições de [inaudível] sem ela [Dilma]. Enquanto ela estiver ali, a imprensa, os caras querem tirar ela, essa porra não vai parar nunca’. Entendeu? Então… Estou conversando com os generais, comandantes militares. Está tudo tranquilo, os caras dizem que vão garantir. Estão monitorando o MST, não sei o quê, para não perturbar.

  31. Qual é a moral que o ministro da indefesa tal Raul Julguimann pra determinar um papel que não é do exército, patrulhar ruas, eu acho que o exército tem como missão defender nossas fronteiras.

  32. Sua percepção da cultura militar brasileira é impressionante. Pena que seu conhecimento de história do Brasil impressione menos, bem menos.

  33. Fala do General:

    “Se você recorrer ao que está na Constituição, no artigo 142, como atribuição das Forças Armadas, diz que as Forças podem ser empregadas na garantia da lei e da ordem por iniciativa de um dos poderes”, disse o comandante do Exército na entrevista.

    “O texto diz que o Exército se destina à defesa da pátria e das instituições. Essa defesa poderá ocorrer por iniciativa de um dos poderes, ou na iminência de um caos. As Forças Armadas têm mandato para fazer”, completou.”

    Assistiram ao golpe parlamentar e as forcas armadas nada fizeram…entregaram o pré-sal e nada fizeram…acabaram com a engenharia Nacional, destruíram o programa do submarino nuclear e a indústria naval e nada fizeram…vão intervir so no caos! e querem uma ainda maior do que esse que se encontra no Brasil?! “Ces Tão é de Cao^!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.