Contas de Glenn estão na web: preguiça de apurar ou cumplicidade?

Trabalhando sozinho, nem sempre tenho tempo de parar alguns minutos para aprofundar apuração de fatos, algo muito diferente de redações que contam com muitos profissionais para fazê-lo.

Hoje cedo, tive este tempo e não demorou mais que 15 minutos para checar a versão dada ontem por Glenn Greenwald sobre o movimento – que se apontou como suspeito – na conta bancária que tem seu marido e sócio, o deputado federal David Miranda.

Não demorou porque é público e está no site da própria mantenedora do The Intercept, a First Look Midia, o que é explicado com todas as letras na seção “Sobre” do site:

The Intercept é uma publicação da First Look Media. Lançada em 2013 pelo filantropo e fundador do eBay, Pierre Omidyar, a First Look Media é uma empresa multimídia dedicada a apoiar vozes independentes em jornalismo investigativo, cinema, arte, cultura, mídia e entretenimento. A First Look Media produz e distribui conteúdo em diversos formatos, incluindo longas, curtas, podcasts, mídia interativa e jornalismo narrativo, seja com nossa propriedade intelectual digital ou através de parceiros.

O lançamento do site e sua vinculação foram fartamente noticiados nas publicações voltadas para a área de comunicação, como o Knight Center for Journalism in the Americas.

Acessando a página da FirstLook, que tem, nos EUA, como toda organização sem fins lucrativos, a obrigação de prestar detalhadas contas de suas receitas e gastos, não há nenhuma dificuldade em ter acesso – eles próprios disponibilizam – aos relatórios anuais (IRS) que entregam ao Departamento do Tesouro do governo norte-americano.

Estão todos lá, de 2013 a 2017 e acessei os três últimos.

A forma com que Glenn Greenwald recebe é pela empresa Enzuli Management LLC, que mantém em Nova York, registrada no Departamento de Estado local sob o número 4477324 e na qual tem como sócio David Miranda e os valores foram, em dólares, os seguintes: 2015 – US$ 518 mil; 2016 –US$ 476,5 mil; 2017 -US$ 370 mil.

Não sou especialista, mas creio que esta renda não é tributável no Brasil. Lembro que, quando constituí o Tijolaço como empresa, uma amiga, auditora da Receita Federal, sugeriu que eu abrisse uma conta no Banco do Brasil nos EUA para receber os pagamentos dos anúncios do Google , feitos de lá. Claro que não o fiz, porque ser de esquerda, aqui, sempre foi tratado como “crime”.

Os valores deixam claro, portanto, que Glenn e David não teriam razão para andarem às voltas com “rachadinhas” de servidores do gabinete.

Como o próprio Greenwald disse que iria exibir os documentos e estes são públicos e publicados no próprio site da organização que mantém o The Intercept, não vejo problema ético em dar acesso a eles aqui.

Problema ético, para mim, é deixar que uma armação para desacreditar o jornalismo corra sem resposta e sem defesa de órgãos de imprensa.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

44 respostas

  1. o que temos de “imprensa” nem merece esse nome. Imprensa mesmo são os blogues, confiáveis e claros em suas propostas e princípios. O resto é lixo.

    1. O espaço dos fuxiqueiros que procuram fuçar alguma informação que possa ser adulterada e transformada em ataque contra os inimigos políticos está se reduzindo, graças a dois fatores: Primeiro, pela informação verdadeira que circula nos blogs e nas redes sociais progressistas, e segundo, pela informação que vem da imprensa internacional, onde a verdade só pode ser manipulada até certo ponto.

      O Ministro do Meio Ambiente veio aos jornais confessar que o governo perdeu a batalha da comunicação na questão ambiental. Se a perdeu, foi por culpa do tsunami de informação que veio do exterior e não pôde ser “tratado” pelos canibais locais da imprensa marrom.

      Bem que o governo tentou recuperar a iniciativa e desviar o foco da informação, usando para isso os fortes ataques pessoais aos dirigentes franceses, e tentando travestir a destruição patrocinada por ele na Amazônia como sendo um ato de soberania nacional. Mas não deu, a não ser para alguns militares, que teimam em permanecer iludidos quanto à natureza antinacional deste desgoverno. .

      1. é isso mesmo. perfeito. aquele do bigodinho sabia da importância da comunicação.

    2. Não sei como alguém ainda compra esses tablóides (engana trouxas) da mídia canalha, depois que o Intercept Brasil trouxe à luz a vaza-jato? O Brasil já tem uma dívida enorme com Glenn Greenwald, por desvendar os porões imundos do sistema judiciário brasileiro, que vem enganando a população com a “operação” lava jato.

  2. Liberdade de imprensa, hoje no Brasil, é uma falácia hipocrita. Tente você praticar liberdade jornalística e verás com quantos trolls se faz o fascismo.

  3. Eis que, pela 1ª vez, algum blog que se intitula “de esquerda” e/ou “progressista” exibe o nome do bilionário patrão do “interceptador” GG, esse cujo marido (na acepção do próprio) herdou a cadeira de deputado de Jean Wyllys, depois que este abdicou do mandato na câmara Federal supostamente por sofrer perseguição política e ameaça, mas que depois ficamos sabendo ser por razões bem diversas dessa, como a de uma suspeita bolsa a ele concedida por uma instituição de ensino da Alemanha. Há poucos dias ficamos sabendo que JW foi convidado a ministra aulas em Harvard, essa universidade estadunidense muito famosa, mas que serve ao capital, à banca financeira que governa o mundo e na qual muitos lavajateiros que sequer dominam a língua portuguesa se jactam de ter estudado, feito algum cursinho de verão, etc.

    Pierre Omidyar nada mais é do que um agente do Deep State estadunidense, como bem demonstrou o jornalista e analista internacional Pepe Escobar.

    Quem lê e assiste ao Duplo Expresso já sabe, há bastante tempo, quem é e quais interesses defende o “interceptador” e sua turma.

    A operação controlada da Fraude a Jato e desse “limited hangout”, apud Pepe Escobar, está tão exposta quanto as entranhas dessa ORCRIM institucional formada por policiais federais, procuradores do MP e juízes, que desde 2013/2014 vem destruindo o Brasil, promovendo o desmonte, o entreguismo, a retirada de direitos, fome, pobreza, miséria, desemprego e falta de perspectiva para nosso País.

    E não adianta os chamados “blogs progressistas” tentaram aliviar a barra do “interceptador” e do PT jurídico-judicial; há mais do que batons nas cuecas dessa camarilha.

    1. Não é a primeira vez, João. É, no máximo, “a segunda vez”, porque o próprio The Intercept publica, desde o seu lançamento, quem financia a Frist Look Media. Portanto, você tem todo o direito de criticar, mas não o de dizer que isso era oculto. Não posso fazer jornalismo com teorias conspiratórias, apenas com fatos. E a fonte do financiamento do Intercept e suas contas são, como disse, públicas e publicadas, aliás por eles mesmos. Também não posso me colocar na pele de Jean Wyllys e saber como seria viver anos sob ameaças de morte e de violências contra si e sua família e dizer que ele se expatriou por capricho ou vantagens, porque não vou fazer o jogo de quem o ameaçava. Também me escapa sua ‘lógica” de que o “Deep State” norte-americano estaria patrocinando algo que atinge gravemente uma conspiração – esta evidente e provada – que serve a seus próprios interesses. Não tenho a pretensão de exigir do The Intercept a forma e a velocidade de suas revelações. Se fôssemos um país com uma mídia democrática, que tratasse escândalo como escândalo, fosse quem fosse o protagonista, talvez. Mas aqui, este episódio mesmo o mostra, só há escândalo quando interessa.

      1. Obrigado pela atenção e forma séria com que trata meus comentários, sempre críticos e às vezes muito duros. Sabemos que JW foi vítima de ofensas e ameças, muitas delas públicas. Apesar disso, ele deve explicações a todos nós, pois elegeu-se deputado e abdicou do mandato que lhe conferiram os eleitores fluminenses. Embora a informação de quem mantém “o interceptador” esteja publicada no próprio sítio, quase nenhum blog ou portal que diz “progressista” ou de esquerda a ecoou; este Tijolaço é uma exceção.

        Foram os grandes conspiradores (quase todos do Deep State estadunidense – NSA, DOJ, FBI, CIA, et caterva) que atribuíram aos críticos o rótulo de “teóricos da conspiração” e foram eles também que cunharam a expressão “teoria da conspiração”.

        As pessoas acreditam no que querem, inclusive na “filantropia” de Pierre Omidyar e de outras ONGs financiadas pelo império. Eu não.

    2. Não pretendo deslegitimar sua visão, mas apenas para elucidar melhor: Por que diabos, o Deep State estaria sendo favorecido, justamente por quem o atinge, ou melhor, atinge aos seus asseclas?

      Com todo o respeito, mas o Duplo Expresso deixou de ser uma fonte de discussões profundas, baseadas em fatos cruzados por uma série de fontes (mesmo de dentro da própria mídia), para se transformar num panfleto de alucinações e especulações contra uma tal “esquerda jurídica” ou “traidora”. Pelo menos, desde as eleições.

      Que segue a mesma lógica do “marxismo cultural” em todos os lugares, do Loucavo de Carvalho.

      Essa turma, já havia dito que Dilma traiu o Lula. Que Haddad era traidor do Lula. So faltou chamarem o próprio Lula de traíra, há pouco tempo, quando comentavam sobre o avanço das pautas neoliberais, no Congresso.

  4. Tenho toda a admiração a este jornalista, Brito, que com tanta presteza e rica argumentacao consegue abranger vários temas ,que digamos até mesmo, insalubres a nossa mente que hoje impera na nefasta política nacional. Parabéns a tão imensa determinação em se contrapor a grande mídia venal e aos porcos dirigentes desta hoje falida nação.

  5. Eles estão desesperados. O governo Bolsonaro se arrasta de crise em crise, e a pressão para libertar Lula cresce.
    O Intercept prestou um serviço à humanidade com a Vaza-Jato.

  6. Brito, você honra o verdadeiro jornalismo. A leitura do Tijolaço é obrigatória pra quem tem sede da verdade factual.

  7. No meio das tramas do golpe e da sede de prender Lula Dallagnol disse, entre os seus, com todas as letras que “a questão jurídica é filigrana dentro do contexto maior que é político”. (Tijolaço)

  8. É preguiça de ser honesto, Brito. Isso dá trabalho. Muito mais fácil se aliar a bandidos porque as notícias vêm de mão beijada e nem precisa apurar. Pra que trabalhar em investigação se publicar um vazamento é muito mais fácil?

  9. Engraçado que entre esquerdopatas uma situação que só precisa se deixar investigar agora é uma ataque ou como o Verdevaldo disse são “ilegais” hum provas ilegais kkkkkkk

      1. Tudo deve ser investigado, Dias toffoli, Flávio Bolsonaro, as milícias todos e alguns já estão.

    1. Já entre os fascistopatas…essa raça existe. São como os nazistopatas, vieram das profundezas do inferno, saíram dos ovos chocados pela serpente. Uns refinados canalhas. Lá no inferno, o Adolfinho mandou tirar o bigodinho, pois quer se parecer com o Messias, o incendiário da Amazônia..

  10. A globo divulga essa clara “trampa”, com ares de notícia verdadeira para ajudar Moro -Dalagnol – governo do Bozo, sendo que os mesmos não estão bajulando a emissora, estou certo?

  11. Como o próprio Glenn já afirmou que é proibido fazer jornalismo nas redações tupiniquins.
    Ele tem razão.
    Outra coisa, a lava jato é uma quadrilha. Espero ver todos na cadeia quando o Brasil voltar a existir como estado de direito.

  12. Como os jornalistas da globo são analfabetos e só falam o que o patrão imbecil quer, é lógico que o JN que na verdade é “A HORA DO BRASIL BURRO”, não iria pesquisar antes de falar besteira, pois só falam besteira mesmo e também não têm capacidade intelectual e habilidade em informática para efetuar uma simples pesquisa pública.

  13. Infelizmente verificamos que os grandes meios de imprensa estão comprometidos com seus maiores patrocinadores que na sua quase totalidade são as grandes corporações financeiras e empresariais. Desta forma para esses meios o que existe é um canal de propaganda dos interesses dessas corporações . A tão propalada isenção hoje se dá através dos meios personificados em sua maioria pelos chamados blogs. Muitas vezes sem grande estrutura mas com muita vontade de se fazer o verdadeiro jornalismo.

  14. Brito sempre vai na veia e sempre termina mostrando a agulha no palheiro: “Problema ético, para mim, é deixar que uma armação para desacreditar o jornalismo corra sem resposta e sem defesa de órgãos de imprensa.”

  15. É, mas sabemos como será. Para publicar a suspeita de irregularidades, a grande mídia exibe em letras garrafais e manchetes no JN. Estará feito o estrago. Quando for obrigada a desmentir, será em uma notinha de rodapé.

  16. o morocutaia aparelhou o governo para melhor servi-lo. Já tinha feito o mesmo com a prato feito na república de curitola. Isso é uma vergonha moro! Cadê o Queiroz moro

  17. Agora, falta ter a justificativa para movimentação dos milhões pelo clã Bolsonaro e pelo Queiroz, até hoje esperando a tal “explicação plausível”.
    A propósito, cadê o Queiroz?

  18. Brito, você traz uma luz de esperança de que as atuais trevas passar?o. Hoje dizer a verdade no Brasil nunca foi t?o revolucionário. Penso que o golpe de 2016 praticado pelos banksters/forças-armadas foi thermonuclear, vai demorar um pouco para começarmos a sair desta tragédia. Forte abraço!

  19. Vamos lembrar que foi essa mesma Globo que foi enganada anos pela Bel Pesce sem nunca ter ido apurar as mentiras que a mina contava nos 4 cantos.
    Jornalismo assim é fácil.

  20. Bolsonaristas são hoje aquilo que eles criticavam quando o PT estava no governo. Eles não querem discernir ou investigar desvios de condutas e corrupções, apenas querem apontar os erros do passado sem assumir os erros do presente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *