De onde a PEC de Guedes tira dinheiro para governadores e deputados

O Estadão publicou – sem questionamentos – ontem e o blog comentou aqui.

Mas há um silêncio sepulcral da imprensa sobre o que seria a PEC anunciada por Paulo Guedes, pela qual o Ministro da Fazenda daria “controle total” sobre o Orçamento para os deputados e Senadores.

Não há sequer um registro sobre o absurdo que representa aumentar as transferências para que Estados e Municípios possam pagar dívidas e se aliviarem e que os parlamentares possam alocar livremente recursos em obras, serviços, convênios e outras iniciativas de “retorno eleitoral” nas áreas de seu interesse eleitoral.

É muito (e ponha muito) mais que isso.

O Globo hoje chega a listar de onde viria este dinheiro, mas com a mesma tranquilidade que diria se fosse tirado de bailes de carnaval ou de festas de aniversário de municípios com cantor sertanejo.

Transcrevo o que o jornal diz ser a “solução” de “desvincular o Orçamento”:

Atualmente, a imensa maioria dos gastos públicos é engessada, em despesas obrigatórias como pagamento de benefícios previdenciários, gastos com pessoal, abono, além dos limites mínimos constitucionais para saúde e educação. Sem esses limites, ou seja, com o fim das despesas obrigatórias e as vinculações do Orçamento, o Congresso poderia negociar livremente as prioridades de gastos, observando o limite imposto pelo teto… 

Dá para entender? Não está claro feito água? Só o que não é despesa obrigatória no gráfico lá de cima é a fatia preta, das despesas disccricionárias, menos de 10% do total.

Se não é para tirar, porque desvincular? Afinal, o dinheiro para os governadores e para as emendas parlamentares de algum lugar tem de vir…

Não dá para acreditar que estejamos num país onde o Ministro da Fazenda quer tirar dinheiro do pagamento de aposentadorias, de salários e de escolas e hospitais para entregar à farra de emendas parlamentares e isso é não é um escândalo de dar manchete.

Será que não vai ter um coleguinha que se disponha a perguntar ao Ministério de onde virá o dinheiro a ser passado a governadores e posto à disposição dos deputados para usarem em suas bases eleitorais?

Ou será que não se pode dizer, pela grita geral que isso trará, ameaçando comprometer os negócios com que se acena para aprovar a reforma da Previdência?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

14 respostas

  1. Éééé, Brito… com todo o respeito, você põe muita fé nos seus coleguinhas, especialmente os do chamado PiG. Mas, como a esperança é a última que morre, sigamos procurando, de lanterna acesa, um disposto a investigar (e com meios para isso).

  2. Não dá para acreditar é que exista um povo tão imbecilizado quanto o brasileiro. Eu já estou achando que a ficha só vai cair pra essa gente daqui a cinco anos ou mais. Quando a fome e a falta de assistência forem caóticos e os imbecis perceberem que o PT nunca teve culpa de nada.

    1. Fomos imbecilisados. Isso significa que alguém, voluntariamente, nos imbecilizou. Quem? Bem, o primeiro passo que tomado foi acabar com o ensino de filosofia nas escolas, ainda na década de 1960, porque muitos dos adversários da ditadura eram oriundos de faculdades de letras, história e filosofia. Filosofia ensina ao pensamento humano caminhar com as próprias pernas, e isso é um perigo para quem deseja manipular massas. A Era das Redes Sociais sepultou de vez qualquer possibilidade de se reverter isso, pois matou qualquer desejo de se acessar as fontes primárias de conhecimento. Algo disruotivontera que ocorrer no ara que a luz volte à Humanidade.

    2. Mas o ciclo eh esse mesmo… A direita prejudica o pobre e ele vota na esquerda. A esquerda ajuda o pobre e ele sobe de vida. O pobre acha que subiu de vida por meritocracia e nao por causa de politicas da esquerda e vota na direita. A direita prejudica o pobre e ele vota na esquerda… e assim vamos… desde antes de Vargas…

  3. Posso estar sendo ingênuo ou mal informado ,mas,qual é o truque da reforma da Previdência??
    Por qué o “mercado” tem tanto interesse numa alteração que conforme se divulga só tería efeitos no medio prazo ?
    Não acredito que eventuais “boas notícias” sobre a “reforma” façam subir a bolsa e cair o dólar se só terão seus ganhos em uma par de anos.
    Deve ter uma outra coisa por trás disso ,não parece muito racional que o governo (conforme este post) queira abrir mão de seu poder ( comando sobre certas despesas) para aprovar a surrada “reforma da Previdência”.
    Aí tem coisa ,ou estamos sendo incompetentes para analisar ou estamos sendo enganados e a reforma é muito pior do que se divulga.

  4. “Atualmente, a imensa maioria dos gastos públicos é engessada, em despesas obrigatórias como pagamento de benefícios previdenciários, gastos com pessoal, abono, além dos limites mínimos constitucionais para saúde e educação. Sem esses limites, ou seja, com o fim das despesas obrigatórias e as vinculações do Orçamento, o Congresso poderia negociar livremente as prioridades de gastos, observando o limite imposto pelo teto”.
    MAS ESSAS DESPESAS OBRIGATÓRIAS E OS LIMITES CONSTITUCIONAIS NÃO TÊM QUE SER JUSTAMENTE AS PRIORIDADES DE GASTOS EM TODOS OS PAÍSES?

  5. “Atualmente, a imensa maioria dos gastos públicos é engessada, em despesas obrigatórias como pagamento de benefícios previdenciários, gastos com pessoal, abono, além dos limites mínimos constitucionais para saúde e educação. Sem esses limites, ou seja, com o fim das despesas obrigatórias e as vinculações do Orçamento, o Congresso poderia negociar livremente as prioridades de gastos, observando o limite imposto pelo teto”.
    MAS ESSAS DESPESAS OBRIGATÓRIAS E OS LIMITES CONSTITUCIONAIS NÃO TÊM QUE SER JUSTAMENTE AS PRIORIDADES DE GASTOS EM TODOS OS PAÍSES?

  6. Acho que está claro:
    “Emissão de moeda”, com inflação cavalar, mais retração, recessão e depressão.
    Quebra do Estado.
    Voltaremos aos Fiscais do Sarney em porta de supermercado.
    Mas o povo pediu isso ao votar no Fakenaro, que sempre disse que faria todas essas insanidades, sem rodeios.
    Agora povão: FUCK YOU

  7. Como diz Mino Carta: “No Brasil, os jornalistas sao piores que os patroes”. Por isso nao tenho doh quando vejo um deles sendo atacado pelo ORANOSLOB. Alias, engracado ver essa materia do FB no Tilojaco (que consegue ver isso sozinho e sem 1/1000000 dos recursos da grande imprensa) e observar o Estadao posando de defensor das liberdades aproveitando que sua reporter foi jogada as feras.

    1. A Casa Grande nunca engoliu a Constituição Cidadã de 1988! Tatcher, com seu ditado “não existe sociedade, existem indivíduos”, continua mais viva que nunca! Mas o 1% pode constituir sociedades para sua autoproteção, nós não! Sociopatas no poder novamente, que pena……

  8. Prezado Brito, tentarei ser delicado e elegante ao escrever o que penso. Tentarei escrever do modo educado como a minha mãe me ensinou que eu deveria me relacionar com as pessoas, mas não abrirei mão da minha sinceridade e do direito de ir contra a cara de pau desses filhos da puta, que não respeitam ninguém. Já está na hora de falarmos sem circunlóquios e parar de sermos educados como a D. Rosa, me ensinou a ser. Com bandidos, com banqueiros mafiosos, não tem conversa. Temos que desmascará-los impiedosamente.
    Estive lendo o último livro do Jessé de Souza – A classe média no espelho – onde ele publica uma entrevista sensacional. Um desses CEO’s, advogado intelectualizado que trabalha como diretor de um escritório jurídico de um banco que ele não diz qual é. Mas trata-se de um exemplo empírico de como é que a banda toca entre os banqueiros e o resto da nação. Eles estão cagando para as pessoas e compram quase todo mundo. Acho que estamos muito cheios de pudores para relatar o que está acontecendo de verdade. Penso que estamos sendo muito educados nessa luta de resistência à ciranda financeira que esses caras querem implantar aqui no Brasil. Essa gente é cínica e quer mais que a nação se foda. Penso que canalhas como esses, pessoas que deram dinheiro para eleger esses mafiosos deveriam ser fuzilados, tal como os “sanguinários ditadores” bolivarianos fazem com os seus opositores. Fuzilar é o mínimo que podemos fazer e mais uma vez me perdoe pela falta de educação.

    1. Concordo,o nosso “republicanismo” nos colocará no túmulo ,”felizes e confortados” por não termos descido ao nível deles .
      A utilidade disso?? …não sei

  9. O que eu queria saber mesmo é se tem alguém tentando alguma coisa concreta, prática, como tentar anular essa eleição cujo resultado foi engolido muito rapidamente pela própria esquerda e que, parece, já está consolidada… Não tem como anular a chapa milica ? Tem alguém fazendo alguma coisa de concreto em alguma instância ? Porque só ficar de conversa pra cá e pra lá já se sabe (ou não?) não produz melhores resultados. Não estou disposto a passar quatro anos nessa situação surreal “esperando” que democracia caia do céu…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.